Alerta da ONU: “Gravidade da seca em Portugal é impressionante”

Portugal atravessa uma seca “impressionante” e precisa de melhorar a eficiência do uso da água, nomeadamente no setor da agricultura, alertou hoje o relator especial para os Direitos Humanos e o Meio Ambiente das Nações Unidas (ONU).

“A gravidade da seca em Portugal é realmente impressionante. Quando viajámos pelo país, foi realmente devastador ver como a paisagem está seca após estes muitos meses de seca”, afirmou David Boyd, numa conferência de imprensa realizada no Oceanário de Lisboa, sublinhando: “Podemos usar a água de forma muito mais eficiente, seja em eletrodomésticos ou em sistemas industriais que reciclam e reutilizam a água em circuito fechado”.

De acordo com o especialista da ONU, o maior utilizador de água em Portugal é o setor agrícola, sendo ainda importante, “dadas as circunstâncias atuais” no país, apostar em tipos de culturas que requerem menos água para o seu desenvolvimento.

“Precisamos de encontrar formas de utilizar a água de forma muito mais eficiente na agricultura e as suas soluções tecnológicas, como a irrigação gota a gota, que pode custar mais do que a irrigação convencional, mas que é muito mais amigável do ponto de vista da eficiência hídrica”, argumentou.

David Boyd abordou ainda a possível reciclagem de água em algumas cidades portuguesas, ao notar a existência de tecnologias que podem purificar para o consumo ou, em última instância, para a sua utilização na produção agrícola.

Confrontado sobre a escassez de água no futuro e os riscos de possíveis racionamentos no consumo de água em alguns pontos do país, David Boyd defendeu que a instalação de dessalinizadoras não será a melhor resposta: “Usar a água com muito mais eficiência será uma solução menos cara e menos prejudicial ao meio ambiente do que a dessalinização. A dessalinização tem custos muito elevados, também requer energia e produz resíduos”.

Simultaneamente, o relator especial para os Direitos Humanos e o Meio Ambiente da ONU alertou para a importância de melhorar os sistemas de abastecimento de água – quer ao nível de água potável, quer nos sistemas de águas residuais – dentro das cidades perante a elevada quantidade de desperdício através de fugas.

“Garantir que essa infraestrutura é monitorizada e alvo de uma manutenção regular é uma peça essencial do puzzle, porque isso é água que está a ser desperdiçada”, sentenciou.

A visita de David Boyd incluiu contactos com representantes do Governo, das autoridades nacionais, das autarquias locais, da sociedade civil, das empresas, do mundo académico, de jovens, de agências da ONU e outros especialistas. O relatório completo desta missão será apresentado apenas em março de 2023 ao Conselho dos Direitos Humanos da ONU.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ASAE apreende 35.295 euros em operação de combate ao jogo ilícito

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu 32.295 euros e instaurou dois processos-crime por exploração de jogos não autorizados, no âmbito de duas operações realizadas no concelho de Murtosa e Vale da Cambra.

“A ASAE realizou, através da Unidade Regional do Centro, duas operações de fiscalização no âmbito do combate ao jogo ilícito, direcionadas a dois estabelecimentos de bebidas localizados no concelho de Murtosa e Vale da Cambra”, indicou, em comunicado.

Nestas operações, foram instaurados dois processos-crime por exploração de jogos sem autorização e apreendidas nove máquinas de jogos, equipamento informáticos e dinheiro.

O valor total das apreensões nos dois estabelecimentos ascendeu a 35.295 euros.

Num dos locais, a ASAE desmantelou ainda um casino ilegal, no qual foram detetadas máquinas de jogo, nomeadamente, “em cima do balcão de clientes, no acesso às casas de banho e em sala localizada junto ao armazém”.

A ASAE garantiu que vai continuar a desenvolver, em todo o território, operações contra “o flagelo do jogo ilícito e seus crimes conexos […], tentando minorar os problemas sociais daí decorrentes”.

Exército paga funeral da militar que morreu arrastada pelo mar na Póvoa de Varzim

Realiza-se este fim de semana o funeral da jovem militar que faleceu, na Póvoa de Varzim, arrastada por uma onda, enquanto tentava ajudar duas colegas que se encontravam em apuros, na madrugada do passado dia 25 de novembro.

Sabe-se agora que o exército vai assumir todos os custos das cerimónias fúnebres.

O funeral, no Cemitério da Amadora, vai contar com honras militares.

Poupanças: Portugal é o quinto país da União Europeia onde as famílias menos poupam

A população portuguesa é das que menos poupa na União Europeia. Esta é a conclusão dos dados divulgados pela Eurostat, onde dão conta que em 2021 as famílias portuguesas apenas conseguiram poupar 9,8% dos seus rendimentos.

Dentro da União Europeia a Irlanda é o país onde as famílias mais conseguem poupar (cerca de 24% dos seus rendimentos).

Hoje há um grande simulacro em Famalicão

Os Bombeiros Voluntários Famalicenses realizam, este sábado, um simulacro de grande escala no centro de Vila Nova de Famalicão.

O exercício vai desenrolar-se a partir das 15h00, no Edifício a Câmara Municipal de Famalicão.

Este simulacro está inserido nas comemorações dos 95 anos dos “guitas”.

Famalicão perde com o Torreense para a Taça da Liga ( 1 – 0 )

O Futebol Clube de Famalicão sofreu a primeira derrota na Taça de Liga, em casa do Torreense, na noite desta sexta-feira.

O único golo do encontro surgiu nos primeiros minutos da segunda parte, por intermédio de João Vieira.

O próximo desafio do Futebol Clube de Famalicão, que se encontra no Grupo H desta competição, está marcado para sexta-feira, dia 9 de dezembro, às 20h45, diante do C.D.Tondela.

Famalicão: Morreu homem de 42 anos envolvido em acidente na freguesia de Oliveira S.Mateus

Não resistiu aos ferimentos e morreu, ao final da tarde desta sexta-feira, o homem envolvido num despiste automóvel, na freguesia de Oliveira S.Mateus, Famalicão.

O acidente aconteceu cerca das 18h00, em plena EN310.

A vítima, de 42 anos, foi socorrida pelos Bombeiros Voluntários de Riba d’Ave, apoiados pela VMER.