Associação de Famalicão HumanitAVE constrói escola na Guiné-Bissau

Está quase concluída a construção da escola de aldeia de Malbuloto, no setor de Bigene, Guiné-Bissau.

O sonho da comunidade, que passa por inúmeras carências, está perto de ficar concretizado pela mão da associação famalicense HumanitAve, que tem sede na freguesia de Pedome.

Tudo começou no ano de 2019 quando, em missão naquela aldeia, a HumanitAve encontrou 72 crianças a estudar numa espécie de abrigo, que a população sempre apelidou de escola.

Foi a partir aí que a associação famalicense meteu “mãos à obra” e, com a generosidade de centenas de pessoas (empresas e particulares), conseguiram angariar o dinheiro e materiais para o sucesso da obra.

Pouco mais de um ano depois, este novo espaço, que se encontra em fase de acabamento, já está a ser utilizado por 117 crianças

A criação desta infraestrutura teve um custo de cerca de 5 mil euros. Os trabalhos, foram levados a cabo pela HumanitAve em parceria com a Missão Católica de Bigene e a comunidade local.

No decorrer da próxima semana, será dado o último passo para a conclusão da obra, a pintura da escola.

Precisa de médico? Quase 200 centros de saúde com horário alargado este feriado

O Governo adianta em comunicado que além destes 197 centros de saúde que hoje prolongam o horário, no fim de semana haverá um reforço do atendimento nos cuidados primários, com 233 centros de saúde abertos no sábado e 200 centros de saúde abertos no domingo.

Estas informações são também atualizadas no portal do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

“Para melhor atendimento e aconselhamento, reforça-se a importância de ligar em primeiro lugar para o SNS 24 (808 24 24 24), para uma triagem e encaminhamento adequado de cada situação, promovendo-se uma resposta mais célere e também o melhor planeamento da atividade do SNS”, refere o Ministério da Saúde.

Governo português envia 30 milhões de euros para ajudar refugiados ucranianos na Polónia

O Governo português aprovou hoje, em Conselho de Ministros, um apoio de 30 milhões de euros para ajuda humanitária aos refugiados ucranianos que se encontram na Polónia, o país que recebeu mais pessoas que fogem da guerra na Ucrânia.

O apoio constitui parte do que tinha sido prometido, em maio, pelo primeiro-ministro, António Costa, durante uma deslocação a Varsóvia, na qual visitou o estádio nacional da capital polaca, onde foi instalado um centro de acolhimento de refugiados.

Na altura, António Costa anunciou que Portugal iria dar apoio material às autoridades polacas para o acolhimento de refugiados ucranianos num valor de até 50 milhões de euros, ajuda que passaria também por bens como casas pré-fabricadas ou produtos farmacêuticos.

Desde o início da invasão russa da Ucrânia, em 24 de fevereiro, a Polónia recebeu mais de três milhões de refugiados ucranianos, devendo observar uma nova vaga nos próximos meses.

Há duas semanas, a Polónia, em conjunto com a República Checa, a Hungria e a Eslováquia, pediu à Comissão Europeia ajuda adicional para receber os novos refugiados que deverão deixar a Ucrânia nos meses de inverno, depois de a Rússia ter adotado uma estratégia de ataque às infraestruturas de energia naquele país.

“Vem aí mais uma vaga de refugiados”, afirmou, no dia 24 de novembro, o primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, numa conferência de imprensa realizada na cidade eslovaca de Kosice, depois de participar numa cimeira do Grupo de Visegrado, composta pelos quatro países da Europa central, dos quais três partilham uma fronteira com a Ucrânia.

“Exortamos hoje Bruxelas a tomar medidas preventivas rápidas e a ajudar mais os países de acolhimento, devido aos elevados custos que os refugiados implicam”, disse Morawiecki.

Na terça-feira, os quatro países defenderam que preferem ajudar Kiev a gerir a crise humanitária do que enfrentar uma nova vaga migratória.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), pelo menos 4,8 milhões de refugiados da Ucrânia foram registados em toda a Europa, sendo a Polónia o principal destino, com um registo estimado de até 3,5 milhões de pessoas.

A invasão russa — justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.702 civis mortos e 10.479 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Empresa procura Pais Natais: Paga 135 euros por duas horas de serviço

Ser Pai Natal por duas horas pode render 135 euros, é isso que promete a plataforma de serviços locais Fixando.

O desafio é lançado à comunidade devido à falta de animadores para festa de natal, em todo o território nacional. Assim, os interessados devem-se registar na Fixando para receber todo o apoio necessário para desempenhar a função.

“Com dois serviços por dia, num fim de semana é fácil atingir mais de 500 euros, bastando apenas um pequeno investimento no fato, que custa cerca de 30 euros já com botas e adereços (barba e bigode)”, esclarece a responsável da Fixando.

 

IVAucher, Bruno de Carvalho, Putin e Big Brother foram os mais pesquisados em Portugal durante 2022

O google já revelou as palavras e personalidades mais pesquisadas durante o ano de 2022, que se aproxima do fim.

Nas pesquisas gerais, a palavra que se destacou foi IVAucher, o programa do governo criado para estimular os consumo nos setores mais afetados pela pandemia.

Nas personalidades nacionais, o mais pesquisado foi Bruno de Carvalho, seguindo-se Liliana Almeida e Bernardo Sousa, todos eles ex-concorrentes do Big Brother. O realty show da TVI também surge em primeiro lugar nas pesquisas de Programas / Séries e Filmes.

O ranking da google é revelado todos os anos e tem por base todas as pesquisas efetuadas em território nacional.

 

Câmara de Santo Tirso compra em leilão a Taça de Portugal conquistada pelo Aves para a devolver ao clube

A Câmara Municipal de Santo Tirso devolveu hoje ao Desportivo das Aves o troféu da Taça de Portugal de futebol conquistado em 2017/2018, que a autarquia tinha adquirido em leilão há dois meses, por 30.000 euros.

“Foi uma injustiça que a nossa própria justiça quis meter em cima da mesa, mas que tem de ser revista. É execrável que haja aspetos legais que impeçam que o título passe para as mãos de outros, quando foi muito bem vencido dentro de campo. A Câmara Municipal apenas fez aquilo que lhe competia, que era manter o património de uma população, de um clube e de uma terra no sítio certo”, reiterou aos jornalistas o autarca Alberto Costa.

A entrega do cetro decorreu em pleno relvado do Estádio do CD Aves, na Vila das Aves, ao intervalo da receção vitoriosa do Desportivo das Aves 1930 ao Rio de Moinhos (3-1), para a 13.ª jornada da Série 4 da Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto.

Conquistado em 20 de maio de 2018, com um triunfo diante do Sporting na final da prova ‘rainha’ (2-1), no Estádio Nacional, em Oeiras, o troféu esteve penhorado no âmbito da insolvência da SAD nortenha, tendo sido leiloado em hasta pública de agosto a outubro.

Um ‘bis’ de Alexandre Guedes, contra um golo do colombiano Fredy Montero, ‘selou’ um inédito êxito dos avenses, então orientados por José Mota, apenas cinco dias depois da invasão à Academia de Alcochete, onde adeptos agrediram vários jogadores ‘leoninos’.

“A Câmara Municipal de Santo Tirso fez isto por respeito a quem esteve em campo, após uma semana em que parecia que o Desportivo das Aves não existia. Voltava a fazer em consciência o que fiz como presidente da autarquia. Tratámos dos aspetos formais para assegurar que aquilo que se passou não volte a acontecer”, confidenciou Alberto Costa.

A cerimónia contou com futebolistas, equipa técnica e outros funcionários envolvidos na conquista da Taça de Portugal, cujo cetro foi levado pelo então guarda-redes e ‘capitão’ Quim e o avançado Alexandre Guedes até ao relvado para ser simbolicamente entregue pelo autarca ao recém-empossado presidente do clube da Vila das Aves, Pedro Pereira.

“O sentimento é o que se sentiu no estádio. Houve o agradecimento pela conquista mais importante da nossa história, que também serve como pontapé de saída do renascimento para o qual estamos a trabalhar, de modo que o clube volte aos patamares que alcançou no passado. A Taça de Portugal está bem entregue. Os departamentos jurídicos trataram de garantir que não irá a mais lado nenhum”, estabeleceu o sucessor de António Freitas.

O leilão foi gerido pelo Tribunal Judicial da Comarca do Porto e terminou há exatamente dois meses, tendo, a partir de um valor de abertura de 800 euros e de um valor base de 1.600 euros, fixado 1.360 euros como fasquia mínima aceite para a aquisição do troféu.

A maior conquista de sempre do Desportivo das Aves foi arrestada à SAD em julho de 2020, quando a administração liderada pelo chinês Wei Zhao reprovou nos requisitos de licenciamento nas provas profissionais da temporada 2020/21 junto da Liga de clubes e dispensou o recurso para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol.

Os nortenhos já tinham sido despromovidos desportivamente à II Liga, mas ‘caíram’ pela via administrativa no Campeonato de Portugal, então terceiro escalão nacional, afetados por dívidas salariais e rescisões unilaterais de jogadores, equipa técnica e funcionários.

A SAD, que ainda assistiu ao arresto dos dois autocarros do Desportivo das Aves, optou por desistir de participar no Campeonato de Portugal em setembro de 2020, cinco meses antes de ter sido declarada insolvente pelo Tribunal Judicial da Comarca de Santo Tirso.

As dívidas da SAD de quase 37,5 mil euros a três clubes estrangeiros levaram a FIFA a impedir o clube de inscrever novos jogadores desde agosto de 2020, mas a direção de António Freitas resolveu refundar as secções de futsal e de futebol dois meses depois, que passaram a representar um novo clube, designado por Desportivo das Aves 1930.

 

Póvoa de Varzim: Um ferido em violenta colisão entre dois carros

Uma pessoa ficou ferida e teve que receber assistência hospitalar, na sequência de uma colisão entre duas viaturas, este domingo, na Póvoa de Varzim.

O acidente aconteceu cerca das 07h00, na Rua Gomes de Amorim, junto ao McDonald’s da Póvoa.

No socorro estiveram quatro operacionais e dois veículos dos bombeiros.

A PSP registou a ocorrência.