Braga: Centro Comercial sem mãos a medir com tantos clientes em plena pandemia

Surgiu nas últimas horas na rede social facebook uma fotografia do interior do centro comercial Braga Parque tirada esta quarta-feira.

Na imagem vê-se o espaço completamente lotado de pessoas que, apesar de estarem de máscara, não estão a respeitar outras regras básicas como o distanciamento social.

Apesar de várias entradas estarem fechadas, os seguranças não tiveram capacidade de filtrar os acessos pelas outras portas, garantem os clientes nas redes sociais.

Entretanto a administração do centro comercial já se pronunciou sobre o caso. Os responsáveis esclareceram que a equipa de segurança atuou mesmo antes da lotação do espaço ter sido atingida, encerrando as entradas.

 

 

CIM divulga Oferta Formativa do Ensino Profissional no território do Ave

A Comunidade Intermunicipal do Ave arrancou, esta semana, com a divulgação da Oferta Formativa do Ensino Profissional para próximo ano letivo. Estão aprovadas 80 turmas, distribuídas por diferentes áreas e cursos profissionais, que poderão ser consultados em Bookletsemmapa_v3 (cim-ave.pt)
Esta oferta é resultado de um processo de concertação intermunicipal da rede de oferta formativa, junto dos municípios e das escolas que integram o território do Ave, seguindo uma estratégia de alinhamento com as necessidades e expectativas empresariais e sociais do território.

Desta forma, a CIM do Ave assume-se como parceiro fundamental na procura da melhoria contínua e estratégica do Sistema Nacional de Qualificações e no reforço da confiança e valorização das modalidades de Educação e Formação Profissional. Aliás, tem sido da responsabilidade desta Comunidade Intermunicipal mobilizar e facilitar a implementação do Modelo de Aprofundamento Regional do SANQ – Sistema de Antecipação de Necessidades de Qualificações, em articulação com a DGEstE, municípios, escolas com ensino profissional e outros agentes que atuam no território, no âmbito da formação profissional.

Desenvolvida em conformidade com o Referencial Metodológico definido pela ANQEP, I.P., esta oferta pretende, ainda, responder às efetivas necessidades do território da NUT III Ave, numa perspetiva de desenvolvimento estratégico, mas sem romper com a capacidade instalada da oferta do território que contempla os municípios de Vila Nova de Famalicão, Cabeceiras de Basto, Fafe, Guimarães, Mondim de Basto, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho e Vizela.

Distrito de Braga registou 18.419 crimes em 2021

O Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), de 2021, aprovado na reunião do Conselho Superior de Segurança Interna, revela que a criminalidade participada em Portugal registou um ligeiro acréscimo em comparação com 2020, verificando-se mais 2.597 crimes. Ou seja, foram denunciados às forças e serviços de segurança 301.394 crimes, mais 0,9% do em que em 2020 quando se registaram 298.797.

O distrito de Braga, com 18.419 denúncias de crimes, é o quinto distrito com números mais elevados, sendo que Lisboa (72.183), Porto (47.552), Setúbal (28.679) e Faro (20.788) seguem na frente.

A criminalidade violenta e grave registou no ano passado uma descida em comparação com 2020, tendo-se verificado menos 855 crimes. O RASI dá conta de 11.614 crimes violentos e graves, menos 6,9% do que em 2020, quando ocorreram 12.469.

Tal como acontece na criminalidade geral, os distritos de Lisboa (4.619), Porto (1.886), Setúbal (1.234), Faro (707) e Braga (469) registam o maior número absoluto da criminalidade violenta e grave.

Aumenta sinistralidade rodoviária

A sinistralidade rodoviária também aumentou, quase 7% no ano passado, em relação a 2020.

O Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) registou 114.960 acidentes, mais 7.308 do que em 2020 (+ 6,9%), que provocaram 400 vítimas mortais no local do desastre ou a caminho do hospital (mesmo assim foram menos quatro); mas sobem os feridos graves, foram 2.269, mais 273; aumentaram também os feridos ligeiros, com 35.404 pessoas, mais 3.333.

Zé Amaro e Augusto Canário são cabeças de cartaz na Expotrofa

Augusto Canários & Amigos, Zé Amaro e a Banda Myllenium são os artistas que vão animar a edição deste ano da EXPOTROFA, que decorre entre os dias 6 e 10 de julho, na Alameda da Estação, bem no centro da cidade. Dois anos depois da última edição, o certame regressa com muitas atividades, bem como as habituais tasquinhas.

Da programação, realce para Augusto Canário que animará a noite de 6 de julho, a partir das 21h30, e no dia seguinte, 7 de julho, o palco será para a Banda Myllenium. A 8 de julho, o palco está reservado para a Orquestra Urbana da Trofa com o Tributo a António Variações e a participação especial de Paulo Praça. Dois dias depois, a 9 de julho, Zé Amaro sobe ao palco.

A edição deste ano encerra no dia 10 de julho, com um desfile de moda, com a participação do comércio local na área do vestuário e acessórios. As dificuldades provocadas pela pandemia levou a Câmara Municipal da Trofa a abrir, pela primeira vez, a iniciativa a todos os estabelecimentos comerciais do concelho.

Com entrada gratuita, a EXPOTROFA assume-se como um dos maiores certames do género da região Norte. O evento dá a conhecer as empresas da região, os artesãos locais e as associações do concelho. Tal como em edições anteriores, a oferta gastronómica está assegurada com as tasquinhas que mobilizam muitos trofenses e visitantes.

«É um regresso aguardado por todos nós. A EXPOTROFA tem a capacidade de mobilizar os trofenses e todos aqueles que se deslocam à Trofa para participar nesta mostra», salienta Sérgio Humberto, presidente da Câmara Municipal.

Trofa reflete sobre as alterações climáticas no II Fórum Ambiente

A Câmara Municipal da Trofa volta a organizar o Fórum Ambiente. Nesta segunda edição, o tema central do debate é a adaptação dos territórios às alterações climáticas. O II Fórum Ambiente, inserido na celebração do Dia Mundial do Ambiente, realiza-se a 3 de junho, no Fórum Trofa XXI.

A iniciativa inicia-se às 9h45 e vai contar com a presença do vereador do pelouro do Ambiente e Espaços Urbanos da Câmara Municipal da Trofa, Sérgio Araújo e do secretário da Comissão Executiva da Área Metropolitana do Porto, Miguel Oliveira. O presidente da Câmara Municipal da Trofa, Sérgio Humberto, vai ser o responsável por encerrar o evento.

O primeiro painel do fórum vai focar-se nos desafios locais na adaptação às alterações climáticas. Jorge Rodrigues de Almeida, da RdA Climate Solutions, Cátia Costa, da Agência de Energia do Porto, Pedro Macedo, do Centre for Ecology, Evolution and Environmental Changes e José Lameiras, da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto / CIBIO-InBIO vão ser os oradores da primeira parte do evento.

O segundo painel vai discutir sobre os espaços urbanos adaptados. O chefe da Divisão de Planeamento, Urbanismo, Mobilidade e Ambiente da Câmara Municipal da Trofa, António Charro, vai moderar o debate entre os especialistas Paulo Farinha Marques, da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto/CIBIO-InBIO, Gonçalo Andrade, da X-SCAPES / Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e Cláudia Fernandes, da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto/CIBIO-InBIO.

Durante a tarde, vai desenrolar-se uma discussão sobre os territórios rurais adaptados. A conversa vai decorrer entre Luís Brandão Coelho, da Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte, Joaquim Mamede Alonso, da Escola Superior Agrária de Ponte de Lima e entre Sandra Vinhais Sarmento, do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas. O encontro vai ser moderado pelo responsável pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, José Cangueiro Cabral.

Artista famalicense leva a “Universidade de Bolso” a Guimarães

A presente edição da “Universidade de Bolso”, conferência criada pelo famalicense João Sousa Cardoso, está marcada para os dias 27, 28 e 29 de maio, no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães.

Desta vez o tema é a “Coabitação e as novas temporalidades”, concentrado na atualidade dos direitos das minorias étnicas e na elaboração social, ética e estética de uma cultura cosmopolita e transtemporal.

Para quem não conhece, a “Universidade de Bolso” é um programa de construção de conhecimento em regime intensivo que promove o encontro de ideias e experiências sobre um tema proposto.

Esta edição tem convidados de reconhecidos méritos, mas também é aberta à participação da comunidade. Os artistas/pensadores convidados para esta aula pública são: Françoise Vergès, intelectual, escritora e militante francesa que tem desenvolvido um pensamento crítico sobre as relações entre anticapitalismo, ativismo feminista e decolonização; Vladimir Safatle, filósofo brasileiro, docente na Universidade de São Paulo e músico, que tem produzido reflexão sobre a construção política das subjetividades entre a filosofia, a crítica da cultura e a teoria psicanalítica; Mary Enoch Elizabeth Baxter, que também assina com o nome hip‐hop Isis Tha Saviour, artivista norte‐americana que trabalha a relação entre o sistema institucional da justiça (incluindo a justiça reprodutiva), a violência de estado e a comunidade afrodescendente nos Estados Unidos da América.

Svitlana Baptista e Niranjan Sapkota são duas cidadãs radicadas em Guimarães que vão partilhar a experiência de imigração da Ucrânia e do Nepal, respetivamente, para Portugal.

Além dos oradores e dos habitantes locais convidados, esta “Universidade de Bolso” tem ainda os “observadores” que fazem a análise dos três dias de conferência. Este ano, a tarefa está entregue à historiadora francesa Yvane Chapuis – responsável pelo Departamento de Pesquisa na escola de artes La Manufacture, em Lausanne (Suíça) – e a António Guerreiro, crítico cultural e professor na Faculdade de Belas‐Artes da Universidade de Lisboa.
Para participar nesta conferência é necessário inscrever-se, que pode ser no Centro Cultural Vila Flor, Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Casa da Memória ou na Loja Oficina.

Esta conferência internacional é criada pelo artista e docente famalicense João Sousa Cardoso, licenciado em Artes Plásticas e doutorado em Ciências Sociais.

Quarta edição do iTechStyle Summit de 25 a 27 de maio

O CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias do Têxtil e Vestuário, com o apoio do Município de Famalicão – Cidade Têxtil, realiza nos dias 25, 26 e 27 deste mês, no Terminal do Porto de Leixões, a quarta edição do iTechStyle Summit – Conferência Internacional do Têxtil e Vestuário.

Esta é uma das mais importantes reuniões globais do mundo têxtil, tanto em termos de lançamento dos novos desafios do futuro como de enquadramento do setor com a envolvente económica.

O foco desta edição está orientado para as áreas Decarbonização; Novos modelos de negócio; Dupla transição: verde e digital; Revolução nos materiais; e Skills para a indústria.

Para esta edição estão já confirmados diversos oradores de renome. António Cunha (CCDR-n), Lisa-Lang (Climate-KIC), Thomas Gries (RWTH Universidade de Aachen), Giusy Bettoni (C.L.A.S.S.), Elvira Fortunato (Universidade NOVA/CENIMAT/i3N) Antonio-Murta (Pathena), Isabel Furtado (TMG Automotive/COTEC Portugal) e Adriana Dominguez (Adolfo Dominguez) são alguns dos nomes que vão partilhar os seus contributos sobre as tendências atuais, estratégias, oportunidades e desafios.