Câmara da Trofa realiza sessão de esclarecimento sobre o ensino superior

O Município trofense, em parceria com o Agrupamento de Escolas da Trofa, realiza uma sessão de esclarecimento sobre apoios diretos e indiretos no Ensino Superior para os alunos do 12.º ano. A iniciativa decorre nos 22 de abril, pelas 10h30, no anfiteatro da Escola Secundária da Trofa.

Inserido no Projeto Municipal “Trofa+ Orienta-te”, a sessão visa elucidar e dar a conhecer aos alunos informações sobre bolsas de estudo, alojamento e outros apoios indiretos existentes, contribuindo para promoção e progressão académica e aumento do nível de formação dos jovens trofenses.

A sessão contará com a presença de cerca de 150 alunos, sendo que as apresentações e esclarecimentos são da responsabilidade dos serviços de Ação Social do Instituto Politécnico do Porto.

«É nossa pretensão que os nossos jovens saibam os apoios que podem usufruir no Ensino Superior e que podem escolher e construir o seu futuro, sem estarem, obrigatoriamente, condicionados pelos rendimentos dos seus agregados familiares» reforça Sérgio Humberto, presidente da Câmara Municipal da Trofa.

Famalicão: Tribunal adia decisão sobre alunos que não frequentam aulas de Cidadania

O Tribunal de Família e Menores de Vila Nova de Famalicão adiou, esta terça-feira, a audição das testemunhas no processo de promoção e proteção de dois alunos que, por decisão dos pais, não frequentam a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento. João Pacheco de Amorim, advogado da família, admitiu que poderá acontecer em setembro ou outubro, embora não haja data marcada.

No entanto, para o advogado da família, este adiamento significa que o Tribunal considera que «não há perigo iminente para os menores».

Recorde-se que nas alegações, o Ministério Público pedia que os alunos ficassem à guarda da escola durante o período de aulas.

O Ministério Público considera que os pais «põem em perigo» a formação, educação e desenvolvimento dos filhos, adiantando ainda que há o perigo de os jovens sofrerem «maus-tratos psíquicos», «não receberem os cuidados ou a afeição adequados às suas idades» e «estarem sujeitos a comportamentos dos pais que afetam gravemente o seu equilíbrio emocional».

Com estes argumentos, o Ministério Público pedia que os alunos ficassem à guarda da escola durante o período de aulas.

Sobre as alegações, o advogado João Pacheco de Amorim classificou-as de «absolutamente inusitadas» e de estarem «em aberta e frontal contradição» com os relatórios dos técnicos da Segurança Social que acompanham o processo.

«É uma coisa perfeitamente bizarra, não tenho memória de, em 30 anos de exercício da profissão, ver uma promoção deste teor», afirmou o advogado, acusando o magistrado do MP de estar «ideologicamente confrontado na defesa do Governo», face «à forma carregada e absolutamente infundada» como elaborou as suas alegações.

Pais acusam Governo de «superioridade moral»

«Naturalmente que não concordamos com estas alegações», afirma Artur Mesquita Guimarães. Acrescenta, em comunicado, que «perante tais atitudes, completamente arbitrárias, temos que reconhecer que o Governo de Portugal assume uma postura de superioridade moral dos poderes políticos e de inferioridade moral dos cidadãos. Além de que se serve das estruturas do Estado e do poder coercivo que lhe é próprio para alcançar os fins puramente ideológicos que move o conjunto dos indivíduos que ocupam os lugares públicos em causa». Termina, dizendo que o «Governo de Portugal não é um bom exemplo de cidadania».

Recorde-se que os dois alunos, irmãos, frequentam o Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, e os pais impedem-nos, desde o ano letivo 2018/2019, de frequentarem a disciplina Cidadania e Desenvolvimento, por considerarem que o conteúdo é da inteira responsabilidade dos pais e não da escola.

Nos últimos quatro anos, os alunos, que são de excelência, foram dados como “chumbados”, por causa das faltas àquela disciplina, mas, por decisão do Ministério da Educação, têm transitado, de forma condicionada, de ano, enquanto se aguarda pelo desfecho dos processos judiciais relacionados com o assunto.

Zé Amaro, Augusto Canário e Banda Myllenium animam Expotrofa

Dois anos depois da última edição, a EXPOTROFA está de regresso com cinco dias de muitas atividades e com as habituais tasquinhas. Augusto Canário anima a noite desta quarta-feira, a partir das 21h30; na quinta-feira, o palco será para a Banda Myllenium e, no sábado, Zé Amaro dá concerto.

Com entrada gratuita, a Alameda da Estação recebe a EXPOTROFA que se assume como uma das maiores exposições da região Norte. O evento dá a conhecer as empresas da região, os artesãos locais e as associações do concelho. Tal como em edições anteriores, a oferta gastronómica está assegurada com as tasquinhas que mobilizam muitos trofenses e visitantes.

A edição deste ano encerra, no domingo, com um desfile de Moda, com a participação do comércio local na área do vestuário e acessórios, aberto a todos os estabelecimentos comerciais do concelho.

«Ao longo dos últimos 3 meses temos sentido a mobilização do nosso tecido associativo nas suas mais diversas atividades e muitos falam do regresso da EXPOTROFA. Sentimos que será um grande certame e mobilizará centenas de pessoas à Alameda da Estação. Da nossa parte tudo faremos para acolher e proporcionar momentos de convívio e lazer a todo os que nos visitarão», salienta Sérgio Humberto, presidente da Câmara Municipal da Trofa.

PROGRAMA

6 JULHO|QUARTA-FEIRA

19h00: Abertura Oficial; 19h15: Head Phone – Academia de Música da Trofa; 21h00: Escola Passos de Dança; 21h30: Augusto Canário

7 JULHO|QUINTA-FEIRA

20h00: A Rapaziada; 21h00: MTV4 Dance – Academia de Dança; 21h30: Banda MYLLENIUM

8 JULHO|SEXTA-FEIRS

20h00: Sons e Cantares do Ave; 21h00: Alva – Escola de Artes de Palco; 22h00: Orquestra Urbana da Trofa apresenta Variações com Paulo Praça

9 JULHO|SÁBADO

15h00: Rufos do Castro; 16h00: Charanga da Orquestra Ritmos Ligeiros; 17h00: Curinga; 20h00: Curinga; 21h00: Marcha da Trofa – Coreto D’Alameda; 22h00: Zé Amaro

10 JULHO|DOMINGO

15h00: Banda às Riscas; 17h00: Dupla Cantares ao Desafio: Domingos Soalheira e Liliana Oliveira, João Oliveira na Concertina; 19h00: Sons e Cantares D’Outrora; 21h00: Noite de Moda

HORÁRIOS: Quarta e quinta-feira, das 19 às 24 horas; sexta-feira, das 19 às 01 horas; sábado: 10 às 01 horas; domingo, 10 às 24 horas.

 

 

Famalicão: Nova geração de políticas de inclusão envolve 271 crianças e jovens

Ao longo do ano letivo que terminou, o Município de Vila Nova de Famalicão desenvolveu um novo programa de inclusão inteligente, centrado nas respostas sociais de proximidade às comunidades de risco do concelho. O Acompanhar + envolveu cerca de 271 crianças e jovens, assim como mais de 10 famílias dos Complexos de Habitação Social das Bétulas, Lameiras, Valdossos, Cal e de Meães.

O projeto faz uma abordagem integrada e inovadora no território do Vale do Ave, com uma equipa multidisciplinar e presença continua no terreno, com intervenções na área socioeducativa e de resposta às situações de emergência social. Esta ação resulta num programa de educação parental, que dá respostas de formação integradas e personalizadas, família a família; outro de capacitação e treino de competências que decorre ao longo de todo o ano (incluindo nas férias escolares) que envolve as 271 crianças e jovens; e um programa de apoio ao estudo e promoção do sucesso educativo, com uma equipa de Mentores e Tutores de Pares que atuam nas cinco comunidades do projeto.

Deste trabalho resultou a resposta a uma lacuna, relacionada com a necessidade de colocar em sintonia todos os parceiros que dão resposta às comunidades mais desfavorecidas de Famalicão, e um diagnóstico mais real da situação, o que permite dar uma resposta mais robusta e objetiva a situações de exclusão que passavam despercebidas.

O programa Acompanhar + junta como parceiros o Município – através dos Pelouros da Ação Social e da Educação -, a PASEC – Plataforma de Ação Socioeducativa e Cultural, o Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, o Agrupamento de Escolas D. Sancho I, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, o Gabinete de Ação Social da Associação de Moradores das Lameiras e o Projeto Eurobairro do Programa Escolhas, apoiado pelo Alto Comissariado para as Migrações.

 

Famalicão: Gerações encerra ano letivo com mostra dos projetos educativos

A Associação Gerações exibiu, no passado sábado, uma mostra de propostas e projetos educativos concretizados ao longo do ano letivo de 2021 – 2022. Esta foi a forma diferente que a Gerações encontrou para, simbolicamente, encerrar este ano letivo.

Animação didática e pedagógica, com particular incidência sobre o Ambiente, não faltaram numa tarde plena de criatividade e imaginação com vários momentos que surpreenderam os presentes (crianças e famílias) pela beleza e temas abordados.

Os finalistas do Pré-Escolar tiveram o seu momento simbólico e muito emotivo de despedida, já que, no próximo ano letivo, vão prosseguir o processo educativo e de socialização noutras escolas, mas mantendo sempre a ligação com a instituição que quase os viu nascer e onde se mantiveram, na maioria dos casos, entre 5 e 6 anos. A entrega dos “diplomas de finalistas” marcou este momento único, especialmente dedicado às famílias e às suas crianças.

O vereador da Educação da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Augusto Lima, associou-se a este momento, tendo percorrido os espaços onde tudo acontecia numa interação contínua das crianças, dos pais e das colaboradoras da instituição. O autarca elogiou a grande criatividade e atualidade de tudo o que viu, felicitando e elogiando a Gerações por «saber e querer ser diferente e por apostar num projeto educativo cheio de grande atração e de grande criatividade». Augusto Lima elogiou, também, o trabalho das colaboradoras.

Mês da intergeracionalidade

Sendo a intergeracionalidade um dos componentes fortes do ADN da Associação Gerações, a instituição decidiu dedicar-lhe, com mais intensidade, todo o mês de julho, com várias atividades, em que mais novos e mais velhos vão partilhar conhecimentos, participar em jogos e atividades artísticas que vão juntar saberes e experiências.

Esta semana, crianças e seniores participam numa semana de praia coletiva; no dia 12 de julho, decorre um workshop de dança intergeracional, onde se misturam os estilos de dança mais apreciados pelos mais novos com estilos de dança mais apreciados pelos mais velhos, o mesmo acontecendo, no dia 14 de julho, com um workshop de pintura intergeracional e uma tarde de jogos tradicionais; no dia 18, decorre uma atividade de decoração de “cupcakes” e na manhã dia 19, há sessões de ginástica postural.

As atividades continuam no dia 27 de julho, com um passeio de bicicleta na ciclovia e encerram no dia 29 de julho com um passeio – convívio intergeracional ao Bom Jesus, em Braga.

Famalicão: Festa infantil do Centro Social de Calendário

Na tarde do passado sábado, decorreu a festa infantil (final de ano) do Centro Social de Calendário instituição que, no dia 16 de julho, comemora 40 anos de existência.

A partir das 15 horas, centenas de pais, avós e outros familiares praticamente encheram o salão paroquial para ver e ouvir as suas crianças a cantar, a dançar e a tocar, num espetáculo sob o lema “A Vida é Bela”.

Pelo palco passaram doze grupos das diversas salas e idades, desde a Creche, Jardim de Infância e CATL. Como habitualmente, as colaboradoras que acompanham e orientam os mais pequenos, também atuaram (foto) para encerramento da festa. No final, antes da entrega dos filhos aos pais, decorreu o habitual lanche entre todas as crianças e adolescentes.

Famalicão: Escola Secundária D. Sancho I celebra os Santos Populares

Os Cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA) desenvolveram a atividade agregadora “Viver os Santos Populares com os EFA”. A iniciativa surgiu no decorrer das festas e arraiais populares que marcam o mês de junho. As turmas criaram elementos alusivos aos Santos Populares, reutilizando materiais. Os alunos construíram ainda textos criativos. Os trabalhos foram expostos no átrio da Secundária D. Sancho I.

No dia 28 de junho, decorreu um arraial que reuniu os adultos dos cursos EFA. O encontro marcou o encerramento da atividade agregadora.