Chuva que tem caído continua a não ser suficiente para melhorar a situação do país

De acordo com o investigador e especialista em reabilitação de rios do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR) da Universidade do Porto, Pedro Teiga, a chuva tem ajudado o país, mas não é, contudo, “suficiente para colmatar as necessidades hídricas de Portugal”, especialmente na zona sul.

“Se olharmos para os campos, vemos como já estão verdejantes e a responder positivamente a estas chuvas, [com alguns rios] que podem entrar em situação de cheia e causar inundações”, disse, em declarações à Lusa, o investigador.

No entanto, apesar da chuva que cai nas últimas semanas, os “cenários problemáticos” irão continuar, caso a utilização de água a nível doméstico, industrial e agrícola se mantenha igual à do ano passado, uma vez que esta situação não permite criar os armazenamentos necessários para os diferentes usos da água.

“O grande problema não é a seca em si, mas sim os padrões atuais de utilização e as pressões” exercidas sobre os cursos de água, referiu.

Teiga indicou que, apesar de tudo, os rios têm capacidade de responder de forma natural aos períodos de seca existentes, sendo que o problema é pior quando os núcleos são utilizados para a agricultura ou para sistemas industriais, ficando a balança do equilíbrio hídrico “altamente descompensada”, com “consequências graves nas espécies ribeirinhas”.

“Existem várias espécies de peixes e de macroinvertebrados a morrer ao longo das margens dos rios, devido ao stress hídrico e à falta de água, que este ano se fez notar não só a meio da encosta, mas também nas galerias ribeirinhas”, acrescentou.

Pedro Teiga disse ainda que a água das chuvas não deve ficar retida apenas nesses locais, pois também é necessária e importante para aumentar o caudal dos rios. “As descargas de poluição – que ocorreram muitas vezes em período de verão e em períodos de seca – e as pequenas lamas que ficam no fundo dos leitos precisam levantar e entrar na corrente, para que o rio faça o seu transporte, distribuição e autodepuração ao longo de todo o seu trajeto”, explicou o engenheiro.

Famalicão: Aluna do Agrupamento Camilo Castelo Branco vence concurso nacional

Maria Clara Barbosa, aluna da turma 12, do 7º ano do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, venceu o Concurso Uma Aventura…. Literária 2022, na modalidade de Texto Original.
Trata-se do maior concurso do género em Portugal, que contou com 12.798 trabalhos, individuais e de grupo, de alunos de escolas de todo o país, incluindo Açores e Madeira e também de escolas de França, Suíça, Macau, Cabo Verde e Brasil. Com tantas participações, maior é o feito da jovem Clara Barbosa.
O prémio consiste na publicação do trabalho num dos livros da coleção Uma Aventura, cujo título e edição serão divulgados oportunamente. A aluna premiada e o professor que coordenou o trabalho recebem, ainda, como brinde, um cheque-livro.

Este concurso destina-se a alunos do pré-escolar, 1.º ciclo, 2.º ciclo, 3.º ciclo e secundário. Nesta edição, em que se assinalam os 40 anos da coleção Uma Aventura, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, o concurso teve 6 modalidades: Texto Original, Crítica, Desenho, Olimpíadas da História, Recomendação de Leitura e Teatro na Rádio (nova modalidade).

Todos ao Jamor para apoiar a equipa feminina do FC Famalicão

No tarde do dia 28 de maio, a equipa feminina do FC Famalicão disputa a final da Taça de Portugal, contra o Sporting, no Estádio Nacional do Jamor.

Para este momento singular na história do emblema famalicense, o clube continua a desenvolver uma campanha que convida os famalicenses a fazerem parte desta festa do futebol. O ingresso e transporte custam 10 euros e os interessados devem dirigir-se à Loja Oficial ou à Academia.

Vários clubes famalicenses, associando-se a este apelo e a este momento inédito no desporto concelhio, estão a partilhar nas redes sociais este convite, apelando a que todos apoiem a equipa neste importante jogo, marcado para as 17h15 do dia 28 de maio.

Famalicão: Escola aberta para apresentar oferta formativa

Como forma de divulgar a Oferta Formativa, o Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado convidou os alunos do 3.º ciclo de Joane, Ronfe e Pedome, a sua área de influência, e abriu também as portas a agentes da proteção civil, que entusiasmaram os estudantes. É que entre as novidades da Oferta Formativa está o Curso Profissional Técnico de Proteção Civil, uma proposta inovadora que não tem paralelo na região.

No dia da Casa Aberta do AEPBS, onde não faltou a presença do vereador da Educação, Augusto Lima, a escola abriu portas à comunidade.

Para chamar a atenção dos alunos, o Agrupamento convidou, então, militares, polícias, bombeiros e outros agentes da proteção civil. Os Bombeiros Voluntários Famalicenses fizeram deslocar uma vasta equipa de meios técnicos e humanos com duas viaturas de combate a incêndio e uma ambulância. Também a Cruz Vermelha Portuguesa participou nesta demonstração com uma ambulância; a GNR trouxe uma equipa de GIPS-Grupo de Intervenção e Proteção de Socorro com os meios para uma primeira intervenção; a Associação Portuguesa de Busca e Salvamento apresentou aos alunos a Unidade de Resgate de Salvamento composto por uma viatura e recursos humanos, com equipas cinotécnicas; a Autoridade Nacional de Proteção Civil levou os seus meios. Por fim, a demonstração do poder bélico com a viatura blindada (Pandur) da Brigada de Intervenção do Exército (Regimento de Cavalaria de Braga).

A restante oferta formativa também chamou a atenção, como é o caso do Curso Profissional Técnico de Programador de Informática, também uma das novidades para 2022/2023. Para além dos dois novos cursos, o AEPBS mantém a aposta na oferta formativa profissional já com provas dadas, nomeadamente os Cursos Profissionais de Técnico Auxiliar de Saúde, Técnico de Design de Equipamento, Técnico de Gestão de Programação de Sistemas Informáticos, Técnico de Multimédia, Técnico de Manutenção Industrial-Mecatrónica e Técnico de Eletrónica, Automação e Computadores.

No âmbito do ensino regular, nos Cursos Científicos-Humanísticos, o AEPBS possui quatro áreas: Artes Visuais, Ciências e Tecnologias, Línguas e Humanidades e Ciências Socioeconómicas.

Segundo o presidente da Comissão Administrativa Provisória, José Moreira, «o nosso objetivo enquanto escola é ir ao encontro das expectativas dos alunos e oferecer formação alinhada com as necessidades da sociedade», frisou. Na perspetiva deste responsável, o AEPBS tem procurado apresentar «ofertas inovadoras e promotoras de sustentabilidade», concluindo que a «diversidade de oferta permite aos alunos escolher o futuro com base nas suas aptidões e expectativas para que tracem o destino profissional assente em bases sólidas».

 

Famalicão: PSP apanha homem por furto em estabelecimento de restauração e bebibas

Esta segunda-feira, a PSP deteve um homem, de 42 anos, por furto num estabelecimento de restauração e bebidas, na Rua Manuel Pinto de Sousa, nas imediações na Igreja Matriz Nova.

Após o alerta, a força policial deslocou-se, de imediato para o local, acabando por apanhar o suspeito, nas imediações do referido estabelecimento.

O detido foi notificado para comparecer no Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Famalicão: Cerca de 789 alunos do Agrupamento de Escolas de Pedome aprendem ténis

O Clube de Ténis de São Pedro de Bairro está a ensinar ténis, de forma gratuita, nos meses de maio e junho, aos 789 alunos do pré-escolar e 1.º ciclo que frequentam o Agrupamento de Escolas de Pedome. Começaram por participar os 147 alunos da Escola Básica de Bairro.

Este é um projeto que está inserido no programa “A minha escola tem ténis”, com os objetivos de expandir a modalidade a um maior número de crianças, desenvolver uma rede de ligações entre a Escola de Ténis e Escolas de Ensino, além de promover os valores éticos associados a esta modalidade desportiva.

Esta dinamização faz parte do Projeto de Intervenção de Fomento da Associação de Ténis do Porto, com apoio da Federação Portuguesa de Ténis.

Assinaram o protocolo, que permite tornar real este projeto, a diretora do Agrupamento de Escolas de Pedome, Sandrine Fortes; o presidente do Clube Ténis São Pedro de Bairro, Victor Azevedo; a coordenadora do Fomento Norte de Portugal do distrito de Braga, Ângela Cardoso; e o coordenador do departamento de fomento da Federação Portuguesa de Ténis, Pedro Lobão.

 

Famalicão: Pedro Almeida promete competitividade no Rali de Portugal

Ao volante de um Skoda Fabia, Pedro Almeida e Mário Castro vão disputar o Rally de Portugal, prova do WRC – Campeonato do Mundo de Ralis que se realiza entre quinta-feira e domingo, entre Coimbra e Matosinhos. A dupla está inscrita no WRC2 e no CPR – Campeonato de Portugal de Ralis.

«O nosso foco é o CPR e estar bem, em especial nas classificativas que pontuam para o Campeonato de Portugal», salienta Pedro Almeida.

Pedro Almeida, que vai para a quarta participação, diz que quer «desfrutar do evento, mas impondo-nos a responsabilidade de sermos muito competitivos, de dar o máximo e continuar a aproximação aos registos dos pilotos mais rápidos do CPR, somando pontos no campeonato».

O famalicense salienta ainda a dureza da prova, que exige atenção aos pilotos nacionais. «Temos trabalhado muito na preparação e confiamos na fiabilidade do Skoda Fábia, fundamental para cumprir os nossos objetivos. No Rally de Portugal partimos mais atrás, já encontramos o terreno degradado e isso exige-nos cuidados redobrados», aponta o piloto.

O Rally de Portugal começa esta quinta-feira com uma curta super especial em Coimbra e prolonga-se até domingo, com final em Matosinhos. A classificação do CPR- Campeonato de Portugal de Ralis fica fechada no final de sexta-feira, após a realização da especial de classificação 9, a super especial de Lousada.