Covid-19: 101 pessoas detidas e 226 estabelecimentos encerrados

No cumprimento do atual Estado de Emergência, em vigor desde ‪as 00h00 do dia 18 de abril, a GNR e a PSP detiveram, até às 17 horas desta terça-feira, 101 pessoas por crime de desobediência.

Deste número, realce para 34 detenções por desobediência à obrigação de confinamento obrigatório, 48 por desobediência ao dever geral de recolhimento domiciliário e 7 por resistência/coação.

No mesmo período, foram encerrados 226 estabelecimentos por incumprimento das normas estabelecidas.

Estes números juntam-se aos verificados nos dois primeiros períodos de Estado de Emergência: no primeiro período, entre os dias 22 de março e 2 de abril, registaram-se 108 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 1.708 estabelecimentos comerciais; no segundo período, entre os dias 3 e 17 de abril, registaram-se 184 detenções por crime de desobediência e foram encerrados 432 estabelecimentos comerciais.

Famalicão: Detido por conduzir sem carta

Na madrugada desta sexta-feira, pelas 01H00, a PSP deteve um homem, com 41 anos, que conduzia sem carta de condução.

A detenção aconteceu na Avenida Rebelo Mesquita, na cidade de Vila Nova de Famalicão. O condutor foi notificado para comparecer junto do Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Famalicão: Homem encontrado morto no Rio Ave

Ao final da manhã desta segunda-feira, foi encontrado o corpo de um homem no rio Ave, na zona da Azenha Velha, na vila de Riba de Ave.

Ainda não há informações sobre a idade, naturalidade ou residência, bem como as causas da morte.

No local estão os BV de Riba de Ave, GNR e VMER.

Famalicão: Dois detidos por condução sob o efeito do álcool

Este fim de semana, a PSP deteve, na cidade de Vila Nova de Famalicão, dois condutores com 56 e 26 anos de idade, por condução de veículo automóvel com taxa de alcoolemia superior à permitida por lei.

Submetidos aos testes, acusaram, respetivamente, uma TAS de 1,79 e 1,69 g/l no sangue. Os detidos foram notificados para comparecerem junto do Tribunal de Famalicão.

Greves na educação, saúde, transportes e recolha de lixo

Estão marcadas, para os próximos dias, greves em vários setores, que ameaçam parar o país.

Na educação, há greve dos professores marcada pela Fenprof. Dependendo da adesão, esta greve pode afetar também os pais com filhos menores.

A saúde será também afetada, mas não apenas esta sexta-feira. Os enfermeiros iniciaram esta quinta-feira uma greve de três dias, que se prolongará também a 22 e 23 de novembro. O anúncio foi feito depois de uma reunião negocial com o Ministério da Saúde, em causa a progressão na carreira. Quem reivindica também “falta de resposta” por parte do governo devido à questão das “horas extraordinárias” são os técnicos de diagnóstico e terapêutica, por isso anunciaram também a realização de concentrações e uma greve para esta sexta-feira.

No que diz respeito aos transportes, os trabalhadores da Metro Transportes do Sul (MTS) iniciaram na quarta-feira uma greve que se prolongará até sábado. Exigem a abertura de negociações, aumentos salariais e progressão na carreira.

A recolha de lixo é também um setor afetado, mas mais na Área Metropolitana do Lisboa.

 

Famalicão: Dois detidos por conduzirem sem carta

Durante este fim de semana, a PSP deteve dois condutores, 42 e 46 anos de idade, por não possuírem qualquer documento que os habilitasse para o exercício da condução.

Os detidos foram notificados para comparecerem junto do Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Crédito Agrícola vai fazer pagamento extraordinário de 500 euros aos colaboradores

A Caixa Central de Crédito Agrícola vai atribuir um pagamento pontual de 500 euros a todos os seus colaboradores, para fazer face ao contexto económico.

Para acompanhar esta medida extraordinária, a Caixa Central emitiu orientações às Caixas de Crédito Agrícola e Empresas do Grupo permitindo que estas, de acordo com as suas condições financeiras, possam atribuir um prémio entre os 250 e os 750 euros.

Paulo Barreto, Diretor de Recursos Humanos do Grupo Crédito Agrícola, afirma que «esta é mais uma medida que visa o comprometimento do Banco com os seus colaboradores e um apoio extraordinário para atenuar os efeitos da subida da inflação e alguma perda do poder de compra. Este apoio extraordinário que o Crédito Agrícola vai atribuir é de extrema importância porque visa impactar positivamente a vida dos nossos colaboradores e reforça a retenção e fixação de talento no Banco».

Além desta medida, o Crédito Agrícola tem em vigor o modelo de teletrabalho que acredita ter impacto no bem-estar pessoal e profissional dos trabalhadores, mas também com a sustentabilidade nas vertentes ambiental e social, devido à poupança nas deslocações. Com um modelo na Caixa Central de três dias presenciais e dois dias em teletrabalho, os colaboradores ainda têm a possibilidade de num prazo de duas semanas terem quatro dias consecutivos em teletrabalho.

O Grupo Crédito Agrícola é um grupo financeiro de génese cooperativa. Com capitais exclusivamente nacionais, conta com mais de 430 mil associados, mais de 1 milhão e 900 mil clientes e mais de 600 agências, distribuídas pelo território nacional.

A Caixa de Crédito Agrícola foi o primeiro banco a disponibilizar o contactless em Portugal, a oferecer o primeiro cartão de pagamento com chip e o primeiro cartão vertical, tendo sido pioneiro na disponibilização de pagamentos com Apple Pay aos seus clientes.