Covid-19: Continuam a baixar os internamentos no hospital de Famalicão

Apesar do aumento de números de casos de covid-19 no concelho, o Centro Hospitalar do Médio Ave – hospital de Famalicão – tem registado um decréscimo do número de internados, atualmente são 68.

A afluência às urgências tem sido intensa, mas têm sido dadas bastantes altas hospitalares.

Recorde-se que, segundo o mais recente relatório da Direção Geral da Saúde, divulgado esta segunda-feira, Famalicão registou 809 casos por 100 mil habitantes.

O concelho, depois de uma série de semanas com uma tendência de descida no número de novos infetados, volta a registar uma subida.

Nas semanas de 14 a 27 de dezembro, o concelho famalicense contabilizou 649 casos. Nesta última análise, que se reporta de 23/12/2020 a 05/01/2021, Vila Nova de Famalicão ultrapassou a barreira das 8 centenas de casos por cada 100 mil habitantes.

Famalicão: Acidente com jipe na freguesia de Novais

O início de tarde desta terça-feira fica marcado por um acidente de viação, na freguesia de S.Simão de Novais, em Famalicão.

O sinistro deu-se cerca das 12h30, na Rua das Almas e não terá provocado feridos.

Na origem poderá ter estado o rebentamento de um pneu.

 

Famalicão: Freguesias vão receber mais de 5,5 milhões de euros em 2023

Reiterando «uma aposta na autonomia das autarquias locais», a Câmara Municipal vai canalizar para as juntas de freguesia mais de 5,5 milhões de euros. A transferência de 2,2 milhões de euros em verbas livres, cujos protocolos foram aprovados na última reunião, «é o primeiro impulso que as Juntas de Freguesia recebem para a sua gestão autárquica», assinala o presidente da Câmara Municipal. As outras verbas, a transferir ao longo do ano, serão enviadas através de transferências de capital, 2,7 milhões de euros, e de transferências correntes, 600 mil euros, que equivale à transferência de competências para a limpeza de vias, manutenção de equipamentos, entre outros.

Relativamente ao ano anterior, o grande acréscimo surge no valor correspondente às transferências de capital, cujas verbas se destinam à execução de obras estruturantes para as localidades e cujo apoio aumenta este ano 26%. Apesar disso, Mário Passos assume como desafio «o incremento, ao longo deste ano, de ainda mais investimento de capital nas freguesias. É algo que está no nosso horizonte e tudo faremos para o conseguir», promete. «Queremos melhorar a eficiência da gestão autárquica, quer a nível municipal, quer a nível das freguesias» avança o edil que destaca que o montante e o planeamento das transferências foi realizado em concordância com as autarquias locais e obedecem aos princípios do equilíbrio e da coesão territorial.

Este volume de transferência de verbas para as juntas, «reflete bem o nosso compromisso e respeito para com os eleitos locais. Queremos um concelho a desenvolver-se de forma equitativa e à mesma velocidade e a aposta nesta autonomia é uma garantia desse equilíbrio e de uma boa execução», regista Mário Passos.

 

Famalicão: Carro furtado em Calendário, proprietário procura por informações

A viatura da imagem, com a matrícula AA-88-SJ, desapareceu, na madrugada desta terça-feira, do local onde se encontrava estacionada, na freguesia de Calendário, em Vila Nova de Famalicão.

O carro estava estacionado junto ao posto de combustível, ao lado do Museu da Indústria Têxtil.

O proprietário apela a quem tenha informações que as reporte de imediato às autoridades locais.

Famalicão: PS diz que há «um grande descontentamento com as obras» no centro da cidade

Eduardo Oliveira, presidente da Concelhia do PS, visitou, no passado sábado, o centro urbano da cidade acompanhado por vereadores, deputados municipais, membros das assembleias de freguesia de Famalicão e Calendário, e de Antas e Abade de Vermoim, além de outros militantes.

A comitiva socialista verificou o atual estado do centro da cidade e «ouviu pessoas e lojistas do comércio tradicional». Segundo nota enviada à imprensa, os socialistas dizem que «passados apenas dois meses da inauguração, o que vimos e ouvimos é um cenário desolador. Existe um grande descontentamento. As pessoas reclamam da falta de estacionamento e os comerciantes queixam-se de ter lojas vazias e de que os negócios não estão a correr bem», revela Eduardo Oliveira, referindo que a auscultação dos comerciantes «confirma aquilo que já antecipávamos no decorrer das obras».

O líder socialista reitera que as obras foram «mal planeadas e mal executadas e continuam a ser sinónimo de prejuízo. Os sucessivos atrasos trouxeram prejuízos aos nossos comerciantes e problemas a quem vive e trabalha na cidade e mesmo após a conclusão das obras a situação não melhorou». A Concelhia do PS aponta como problemas «a redução de lugares de estacionamento e a ausência de um bom fluxo de transportes públicos», acrescidos «das despesas e os transtornos com a manutenção dos estragos que já eram visíveis mesmo antes da inauguração das obras».

Para Eduardo Oliveira, que é vereador municipal, «a generalidade das empreitadas lançadas pela Câmara de Famalicão são dominadas por um traço comum preocupante: todas dão problemas. É rara a obra que cumpra o caderno de encargos e o orçamento, de que são exemplo as obras no mercado municipal, na central de camionagem, na biblioteca e nas ciclovias».

«O território famalicense, que sempre beneficiou da capacidade empreendedora das suas gentes, não pode continuar a sofrer prejuízos que são frutos desta gestão sem planos e perspetivas de uma velha maioria PSD-CDS», acusa o líder socialista.

Famalicão: Greve volta a fechar várias escolas do concelho (c/vídeo)

Mais um dia de greve do pessoal docente e não docente e, no concelho de Famalicão, são vários os estabelecimento de ensino que se encontram encerrados.

A Secundária D. Sancho I, a Júlio Brandão, a EB Nuno Simões, as escolas sede D. Maria II, Gondifelos e Pedome encontram-se encerradas. Na manhã desta terça-feira, os profissionais da Educação promoveram, novamente, um cordão humano que uniu os três principais estabelecimentos de ensino da cidade em protesto.

O Governo decretou, na passada semana, serviços mínimos que entram em vigor esta quarta-feira.

Número de desempregados sobe em Vila Nova de Famalicão, são mais de 3 400

O ano de 2022 terminou com uma subida do número de desempregados em Vila Nova de Famalicão.

De acordo com os dados, revelados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional, referentes ao último mês de 2022, o concelho famalicense regista 3 433 desempregados, são mais 46 que nos mês de novembro, refere o mesmo documento.