Covid-19 – Especialistas defendem vacinação das pessoas com mais de 80 anos

Especialistas em infecciologia, pneumologia, virologia e saúde pública defendem que no topo das prioridades para a vacinação têm que estar os maiores de 80 anos de idade.

Numa carta aberta, publicada no Jornal Público, os médicos especialistas afirmam que esta é a forma mais eficaz de reduzir o número total de mortos. Sublinham que aquilo que os move não é «um juízo político, mas um imperativo ético e uma preocupação científica».

Lembram que «foi com base nestes mesmos pressupostos científicos que a Comissão Europeia recomendou a todos os estados-membros que vacinem até março um mínimo de 80% dos maiores de 80 anos e dos profissionais de saúde». A este propósito, recordam que o primeiro-ministro se comprometeu publicamente em Bruxelas «a concretizar esta orientação».

Na carta, também assinada pelos ex-ministros da Saúde Maria de Belém e Adalberto Campos Fernandes e pela ex-presidente do Infarmed Maria do Céu Machado, os especialistas recordam que a grande maioria dos Estados têm vindo a organizar o processo de vacinação começando pelos grupos etários mais velhos.

O plano de vacinação contra a covid-19 está dividido em três fases: a que está a decorrer abrange profissionais de saúde e idosos e pessoal que os acompanha nos lares. Esta fase, que se prolonga até final de março, inclui também profissionais das forças armadas, forças de segurança e serviços críticos.

Nesta fase serão igualmente vacinadas, a partir de fevereiro, pessoas de idade igual ou superior a 50 anos com pelo menos uma das seguintes patologias: insuficiência cardíaca, doença coronária, insuficiência renal ou doença respiratória crónica sob suporte ventilatório e/ou oxigenoterapia de longa duração.

A segunda fase arranca a partir de abril e inclui pessoas de idade igual ou superior a 65 anos e pessoas entre os 50 e os 64 anos de idade, inclusive, com pelo menos uma das seguintes patologias: diabetes, neoplasia maligna ativa, doença renal crónica, insuficiência hepática, hipertensão arterial, obesidade e outras doenças com menor prevalência que poderão ser definidas posteriormente, em função do conhecimento científico.

Na terceira fase será vacinada a restante população, em data a determinar. As pessoas a vacinar ao longo do ano serão contactadas pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Famalicão: Associação de Dadores de Sangue promove duas colheitas

Quinta-feira (feriado) e no próximo domingo, a Associação de Dadores de Sangue promove duas dádivas, ambas entre as 9 e as 12h30, pelo Instituto Português do Sangue e da Transplantação.

Na quinta-feira, 1 de dezembro, a colheita decorre na Escola Básica de Delães com o apoio da escola e do CNE-89 desta localidade; no domingo, é no quartel dos BV Famalicenses. As duas colheitas são abertas à população em geral.

 

 

 

Famalicão: Centro Hospitalar assinala Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres

Esta sexta-feira, dia em que se assinala o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, a Equipa de Prevenção da Violência em Adultos do Centro Hospitalar do Médio Ave desenvolveu, uma ação de divulgação junto dos serviços, alertando para a importância da atuação por parte dos profissionais de saúde, perante uma eventual situação de suspeita ou confirmação de violência.

Na ocasião, foi distribuído um flyer com a apresentação da EPVA e algumas informações úteis, designadamente onde pode registar um caso de violência e quais as atribuições da EPVA do Centro Hospitalar. E de entre as atribuições da equipa está, por exemplo, a prestação de apoio de consultadoria aos profissionais e equipas de saúde, contribuir para melhorar a informação prestada à população e estabelecimento de mecanismos de cooperação intrainstitucional.

Famalicão: Alunos da Didáxis visitam Centro de Investigação de Demências

As turmas do Curso Técnico de Geriatria da Didáxis visitaram, na passada quarta-feira, o CIDIFAD – Centro de Investigação, Diagnóstico, Formação e Acompanhamento de Demências. Trata-se de uma valência da Santa Casa da Misericórdia de Riba de Ave que entrou em funcionamento em outubro do ano passado.

Este centro representa uma resposta pioneira em Portugal que dispõe de recursos inovadores para o acompanhamento de pessoas com demência.

Os alunos do estabelecimento de ensino de Riba de Ave visitaram vários espaços terapêuticos, observaram recursos e técnicas abordados nas aulas, o que permitiu consolidar conhecimentos adquiridos em contexto escolar.

Greves na educação, saúde, transportes e recolha de lixo

Estão marcadas, para os próximos dias, greves em vários setores, que ameaçam parar o país.

Na educação, há greve dos professores marcada pela Fenprof. Dependendo da adesão, esta greve pode afetar também os pais com filhos menores.

A saúde será também afetada, mas não apenas esta sexta-feira. Os enfermeiros iniciaram esta quinta-feira uma greve de três dias, que se prolongará também a 22 e 23 de novembro. O anúncio foi feito depois de uma reunião negocial com o Ministério da Saúde, em causa a progressão na carreira. Quem reivindica também “falta de resposta” por parte do governo devido à questão das “horas extraordinárias” são os técnicos de diagnóstico e terapêutica, por isso anunciaram também a realização de concentrações e uma greve para esta sexta-feira.

No que diz respeito aos transportes, os trabalhadores da Metro Transportes do Sul (MTS) iniciaram na quarta-feira uma greve que se prolongará até sábado. Exigem a abertura de negociações, aumentos salariais e progressão na carreira.

A recolha de lixo é também um setor afetado, mas mais na Área Metropolitana do Lisboa.

 

Famalicão: Associação de Diabéticos assinala Dia Mundial com conselhos

No Dia Mundial da Diabetes, a Associação de Diabéticos de Vila Nova de Famalicão (ADVNF), presidida por César Ferreira, entende ser oportuno abordar a problemática da diabetes, focando-se em vários pontos.

Numa nota de imprensa, recorda que a diabetes é uma doença crónica, mas controlável. Uma alimentação saudável, medicação e exercício físico, contribuem para esse controlo.

A doença, afeta uma percentagem significativa da população e a sua frequência aumenta com a idade, com as estatísticas nacionais a mostrarem que a percentagem de pessoas com a doença ronda os dez por cento.

Nesta informação prestada à comunidade, a associação alerta para os sintomas mais comuns: urinar em quantidade e com frequência; ter sede constante e intensa; ter fome constante; ter sensação de secura na boca; ter comichão no corpo, sobretudo ao nível dos órgãos genitais.

«A diabetes bem controlada, não provoca sofrimento. Uma pessoa com diabetes, bem tratada, pode fazer tudo o que as outras pessoas fazem. Concluindo: só o próprio diabético, é que pode e deve cuidar bem da sua diabetes, pois ele é médico de si mesmo».

Entretanto, o Lions e Leo Clubes, a Associação de Diabéticos e as farmácias de Calendário, Cameira e da Estação (Nine) associaram-se para a realização de rastreios gratuitos, uma ação pela prevenção da Diabetes, entre a 9 e as 19 desta segunda-feira, Dia Mundial da Diabetes. Os famalicenses poderão fazer os seus rastreios gratuitos nas farmácias mencionadas, cujo apoio as associações promotoras agradecem.

 

Famalicão: Governo garante internamento de doentes demenciais em Riba de Ave

O novo Centro de Investigação, Diagnóstico, Formação e Acompanhamento das Demências (CIDIFAD), nova unidade funcional da Santa Casa da Misericórdia de Riba de Ave, vai continuar a ter financiamento do Governo para suportar o acolhimento de pessoas com demência. A garantia foi dada na passada sexta-feira, na Assembleia da República, pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, na resposta a uma intervenção do deputado famalicense Eduardo Oliveira.

O eleito do Partido Socialista quis saber se o Governo vai proceder ao prolongamento do programa das altas sociais, «que garante um apoio importante aos doentes demenciais». O programa de altas sociais criado em plena pandemia «abrange, neste momento, cerca de quatro mil pessoas. Sobre o Centro de Demências de Riba de Ave, é evidente que é para continuar, numa parceria conjunta entre os ministérios da Saúde e da Segurança Social», respondeu Ana Mendes Godinho, durante o debate na especialidade sobre o Orçamento de Estado para 2023.

No comunicado enviado à redação, Eduardo Oliveira confere que atualmente o Centro de Demências de Riba de Ave acolhe 38 utentes com demência, oriundos do Serviço Nacional de Saúde, ao abrigo do programa das altas sociais, mediante o pagamento de 1300 euros mensais por cada internamento. O que, para cuidar de 38 pessoas, perfaz uma despesa do Governo superior a 592 mil euros anuais.