Covid-19: Liga quer saber quando os bombeiros serão vacinados

A Liga dos Bombeiros Portugueses, em carta enviada a Francisco Ramos, coordenador da “task force” para a vacinação contra a covid-19, pretende saber quando e como os bombeiros serão vacinados.

Este pedido de esclarecimento resulta de uma informação prestada pela Secretaria de Estado de Administração Interna de que os bombeiros estão na primeira linha de vacinação contra a covid-19.

Assim, a Liga solicita a Francisco Ramos «informação, com a maior brevidade possível, sobre quando será iniciada a vacinação dos bombeiros e como serão contactados pelos serviços de saúde».

Covid-19: DGS prepara nova dose da vacina

A Direção-Geral da Saúde (DGS) está a preparar a norma para a nova campanha de vacinação contra a covid-19, avança a CNN Portugal. A norma deverá ser até ao início do mês de setembro.

Nem a DGS nem o Ministério da Saúde, no entanto, responderam se serão convocados todos os portugueses – no esquema de ordem decrescente de idade, tal como aconteceu com as campanhas anteriores de vacinação – ou se o serão apenas os mais vulneráveis, como até agora anunciado.

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças como a Agência Europeia do Medicamento recomendam a administração de uma quarta dose das vacinas contra a covid-19 apenas aos cidadãos entre os 60 e 79 anos e a pessoas vulneráveis.

Fonte: CNN Portugal

Greve dos trabalhadores da IP vai afetar circulação de comboios nos dias 1, 3 e 5 de agosto

A organização sindical representativa dos trabalhadores da IP – Infraestruturas de Portugal (gestor da infraestrutura ferroviária) convocou uma greve para os dias 1, 3 e 5 de agosto e a Comboios de Portugal (CP) prevê «fortes perturbações» na circulação.

Em comunicado, a CP reporta que, «por motivo de greve convocada por organização sindical representativa dos trabalhadores da IP – Infraestruturas de Portugal preveem-se fortes perturbações na circulação de comboios, a nível nacional, em todos os serviços, nos dias 1, 3 e 5 de agosto de 2022».

Está prevista a realização de serviços mínimos nos dias da greve, sem prejuízo de poderem ser realizados comboios adicionais, cuja lista pode ser consultada em www.cp.pt

«Esta é a época para o Famalicão dar um passo a mais na Liga», acredita o capitão Riccieli

Riccieli, capitão do Futebol Clube de Famalicão, está confiante que a equipa vai arrancar bem neste campeonato 2022/23, que começa já diante do Estoril Praia, uma equipa «que conhecemos bem», e para a qual «nos estamos a preparar».

Reconhece as dificuldades sentidas nas duas últimas temporadas, em que o FC Famalicão esteve a lutar para não descer até às últimas jornadas, acabando por ficar na primeira parte da tabela. Para este ano, «as expectativas são as melhores. A pré-temporada tem sido bem dura, mas é importante para começar bem, pensando jogo a jogo, para andar no topo da tabela», afirma Riccieli.

Esta confiança advém da qualidade dos companheiros e da manutenção da base da equipa. «É sempre difícil quando se troca bastante, porque demora para entrosar. Temos um grupo já formado e chegaram jogadores bons, para acrescentar valor. Mas acho que a manutenção desses jogadores será crucial para o resto da temporada», reconhece o capitão de equipa.

O defesa central vai para a quarta época no FC Famalicão, o que lhe dá um conhecimento grande do clube, algo que quer passar aos novos colegas de equipa. «Quero fazer um grande campeonato pelo FC Famalicão, tenho objetivos pessoais, mas o importante é a equipa e acho que este ano vamos dar um passo a mais na Liga», ambiciona.

Sub-23 do FC Famalicão começam a jogar a 6 de agosto

A equipa sub-23 do Futebol Clube de Famalicão inicia a nova época com a participação no Torneio de Abertura da Liga Revelação, competição criada pela Federação Portuguesa de Futebol e que será disputada em duas fases. A primeira com os clubes distribuídos por quatro séries e a segunda será jogada por eliminatórias.

O Famalicão integra a série A e vai defrontar as equipas da série B. O primeiro classificado de cada série é apurado para as meias-finais (a uma só mão), sendo que os vencedores jogam a final e os vencidos disputam o jogo do 3.º e 4.º lugares.

As equipas classificadas em lugares que não deram acesso às meias-finais disputam mais um jogo de uma eliminatória que definirá as respetivas posições finais da prova.

O Torneio de Abertura começa a 6 de agosto e a final está agendada para 31 do mesmo mês. Na primeira jornada, o Famalicão joga em Matosinhos, com o Leixões; segue-se, a 10 de agosto, a receção ao Vizela e, quatro dias depois, jogo fora, em casa do Gil Vicente.

Famalicão: Miguel Ribeiro acredita que a indústria do futebol «está em claro crescimento»

A nova direção da Liga Portugal, que continua a ser liderada por Pedro Proença, tomou posse, esta quinta-feira, e dela faz parte Miguel Ribeiro, em representação da SAD do FC Famalicão.

Após a tomada de posse dos novos membros da direção, houve várias intervenções, incluindo de Miguel Ribeiro. O dirigente falou da responsabilidade de estar na direção em representação das 34 sociedades desportivas, assinalando que «a indústria do futebol está em claro crescimento e, por isso, a responsabilidade advém de uma perspetiva coletiva de melhorar cada vez mais o nosso futebol». Sobre o presente e o futuro, Ribeiro considera que as principais Ligas e os mais relevantes emblemas europeus «confiam na Liga Portugal. É notório, até pelo recrutamento dos nossos jogadores. E isso é sinónimo do grande nível que existe na Liga Portugal».

Para além do FC Famalicão, também o Portimonense, Trofense, Estrela da Amadora e Farense entraram na estrutura após as eleições de 5 de julho. Além do presidente da LPFP e do representante da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), mantêm-se na direção as sociedades desportivas de FC Porto, Sporting e Vitória de Guimarães. Em representação dos emblemas da II Liga foram eleitos os já citados Trofense, Estrela da Amadora e Farense.

Covid-19: Mortalidade em Portugal está em tendência decrescente

De acordo com o documento da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) hoje divulgado, a mortalidade específica por covid-19 está nos 24 óbitos a 14 dias por um milhão de habitantes.

Este valor está agora mais próximo do limiar de 20 óbitos definido pelo Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC), sendo significativamente inferior às 41 mortes por um milhão de habitantes registadas no final de maio em Portugal.

Já a mortalidade por todas as causas, na última semana encontrava-se acima do limite superior dos valores esperados para esta época do ano, o que indica um excesso de mortalidade por todas as causas, em parte associado à covid-19, refere o relatório.

Na quinta-feira, a DGS anunciou que Portugal registou um excesso de mortalidade entre 07 e 13 de julho correspondente a 238 óbitos, atribuídos à onda de calor que se verifica no continente nos últimos dias.

Quanto à ocupação hospitalar por casos de covid-19, a DGS e o INSA avançam que regista também uma tendência decrescente, com os 1.140 internados na segunda-feira a representarem uma redução de 6% em relação à semana anterior.

O documento refere ainda que o número de 57 doentes em cuidados intensivos corresponde a 22,4% do limiar definido como crítico de 255 camas ocupadas nessas unidades, quando na semana anterior era de 28,2%.

“O impacto na mortalidade geral está a diminuir. É expectável a manutenção da diminuição da procura de cuidados de saúde” devido à covid-19, prevê o relatório, que continua a recomendar a vigilância da situação epidemiológica, a vacinação de reforço e as medidas de proteção individual.

A DGS e o INSA referem também que a linhagem BA.5 da variante Ómicron, com maior capacidade de transmissão, é responsável por 92% das infeções registadas em Portugal e que a percentagem de testes positivos para o SARS-CoV-2 nos últimos sete dias foi de 35,1%, com tendência decrescente.

Desde 03 de março de 2020 e até à última segunda-feira, foram registados 5.265.951 casos em Portugal, 332.671 dos quais suspeitas de reinfeção, que representam 6,3% do total de casos.