Covid-19: Renovação do Estado de Emergência até 30 de abril

Esta tarde, a Assembleia da República aprovou a renovação de novo estado de emergência, desta vez até 30 de abril. Votaram a favor o PS, PSD, CDS-PP e PAN, mais a deputada não inscrita Cristina Rodrigues.

O BE absteve-se na votação e o PCP, o Chega, a Iniciativa Liberal e a deputada não-inscrita Joacine Katar Moreira votaram contra.

A votação de hoje foi idêntica à que se verificou nas seis anteriores renovações do estado de emergência, aprovadas no parlamento e decretadas pelo Presidente da República desde 13 de janeiro.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai falar ao país hoje, pelas 20h00, na sequência da renovação do estado de emergência.

Famalicão: Carro estacionado na Praça D.Maria II fica sem parte do para-choques, sem sensores e cablagem

Há registo de mais uma viatura que ficou sem parte do para-choques e alguns acessórios no centro de Vila Nova de Famalicão.

O furto ocorreu na madrugada deste sábado, entre as 00h00 e as 03h00, sendo que a viatura estava estacionada numa zona bastante iluminada da renovada Praça D.Maria II.

Para além de uma parte do para-choques, os larápios terão arrancado os sensores de estacionamento e alguma cablagem do automóvel.

O caso foi reportado às autoridades que, segundo o lesado, terão admitido tratar-se de uma situação recorrente.

Braga: Cadáver encontrado na praia fluvial de Prado

O corpo de uma pessoa foi retirado, esta tarde, do rio da praia fluvial de Prado, em Braga.

Segundo avança o Correio da Manhã, o alerta foi dado às 16h54 e o cadáver foi retirado da água pelos Bombeiros Sapadores de Braga.

O Minho acrescenta que a corpo é de uma mulher de 50 anos.

Desconhecem-se as causas da morte.

Carlos Rafael Freitas dos B.V.Famalicão foi o mais rápido do concelho a subir o Bom Jesus

Carlos Rafael Gomes Freitas, dos Bombeiros Voluntários de Famalicão, foi o mais rápido do concelho a fazer a prova “Escadórios da Humanidade”, que se realizou este sábado, no Bom Jesus, em Braga.

A prova juntou centenas de bombeiros de todo o país e não só que tinham como objetivo subir os 566 degraus do Bom Jesus. Para além da dificuldade da prova, acresce o facto de os participantes terem que efetuar o desafio totalmente equipados.

Carlos Rafael Freitas, bombeiro de 2ª classe, com o número 99, cumpriu a prova em 07:29, classificando-se no 53º lugar da geral e 11º do escalão sub-25.

Nesta competição participaram elementos de todas as corporações do concelho de Vila Nova de Famalicão.

Braga: Idosa em estado grave depois de ser atropelada no estacionamento do lar

Uma mulher, com 92 anos de idade, ficou gravemente ferida depois de ser atropelada por um carro, no estacionamento do lar que frequenta, em Nogueira, Braga.

Segundo avança o Correio da Manhã, a idosa estava, por motivos que ainda não foram explicados, deitada no chão, no momento em que foi atropelada por uma viatura.

O alerta para a ocorrência foi dado pouco depois das 11h00 e o socorro esteve a cargo dos Bombeiros Sapadores de Braga, acompanhados pela VMER local.

 

Papa Francisco deixa aviso: “A terra está a arder” e “maquilhar” não chega

O Papa Francisco disse hoje que “a terra está a arder” e pediu a milhares de jovens para questionarem o atual modelo de desenvolvimento económico, de forma a garantir a sustentabilidade ambiental, noticia a agência Efe.

O apelo de Francisco foi feito esta manhã durante uma conferência que decorre na cidade italiana de Assis, no centro do país, e que juntou cerca de um milhar de jovens economistas e empresários.

“Existem muitas pessoas, empresas e instituições que estão a fazer uma conversão ecológica. Devemos avançar por esse caminho e fazer ainda mais. Não basta apenas maquilhar. Temos de questionar o modelo de desenvolvimento” afirmou o Papa, enfatizando que “a terra arde hoje e que deve ser hoje que a devemos mudar”.

A conferência, designada “A economia de Francisco”, partiu de uma ideia do Papa de levar a cabo um processo de diálogo inclusivo e uma transição para um novo modelo económico “mais justo”.

Depois de ouvir numerosos testemunhos de alguns jovens, Francisco pediu união, sublinhando que só isso permitirá “fazer grandes coisas”, até mesmo “mudar um sistema enorme e complexo como é a economia mundial”.

O chefe de Estado do Vaticano referiu-se também à “incapacidade do mundo de proteger o planeta e a paz”, defendendo a necessidade de transformar uma “economia que mata” numa que “dê vida”, propondo uma nova visão para o ambiente e para a terra.

“Se falamos de transição ecológica, não faz sentido mantermo-nos dentro de um paradigma económico do século XX que roubou recursos naturais e terra”, disse o Papa.

“É o momento para abandonar as fontes de energia fósseis, de forma a acelerar o desenvolvimento de fontes com um impacto zero ou positivo”, apontou.

No seu discurso, Francisco defendeu também a necessidade de “melhorar as relações sociais, sobretudo no ocidente, onde estas “são cada vez mais frágeis e fragmentadas pelo consumismo”.

Assim, lançou o desafio de se colocar “a pobreza no centro de uma nova economia que deve olhar para o mundo a partir dos mais frágeis”.

ASAE apreende 100 mil litros de vinho

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica realizou, através da Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal (UNIIC), uma ação de fiscalização dirigida a um operador económico do setor vitivinícola nacional no âmbito da verificação das normas que regulam esta atividade e tendo em consideração a campanha de vindimas que agora decorre.
No decurso da ação, realizada após diligências de investigação e vigilância, verificou-se que o operador económico em causa, sediado no distrito da Guarda, encontrava-se inscrito no Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) como vitivinicultor-engarrafador armazenando vinho (tinto e branco) referente à campanha de 2021, sem que possuísse qualquer registo ou documento comprovativo da proveniência do referido produto.
Verificou-se ainda não ter sido realizada a comunicação obrigatória, dentro do prazo legalmente previsto, relativamente à existência desses vinhos, designadamente a Declaração de Colheita e Produção ou Declaração de Existências, tendo sido instaurado o respetivo processo contraordenacional e determinada a apreensão de cerca de 100.000 litros de vinho num valor aproximado de 64.000,00 Euros.