Dias à Mesa regressa com as massas para dar energia para a Meia Maratona

Esparguete, fusili, lasanha, macarrão ou carbonara são alguns dos pratos com massas que vão estar em destaque a partir desta quinta-feira até domingo, nos Dias à Mesa, iniciativa que surge integrada na Meia Maratona de Famalicão que se realiza na manhã deste domingo.

Entretanto, um dia antes, no sábado, decorre um Showcooking alusivo à temática com uma proposta de Carbonara Tradicional, dinamizado pelo Restaurante La Via. O evento decorrerá pelas 16h30, na Cozinha Experimental da Praça, sendo de entrada gratuita.

Os restaurantes aderentes à iniciativa são os seguintes: Alfa; Bis – Pasta&Risotto; Bisconde; Bubbles; Fusilli; Moutados; Neto; Oprato; Príncipe; Refresco e Sabores do Algarve.

O Dias à Mesa é uma iniciativa da Câmara Municipal que tem associadas atividades culturais e desportivas à gastronomia.

Está tudo «afinado» para o Rali de Famalicão

«Está tudo pronto» para o Rali de Famalicão, a afirmação é de Sérgio Aguiar da direção do Team Baia, organizador deste evento desportivo que promete um grande espetáculo para a alegria dos muitos aficionados famalicenses e de toda a região.

Há 90 equipas inscritas, «muito acima das expectativas», garante Sérgio Aguiar. Depois do adiamento de julho para 1 e 2 de outubro, devido ao tempo, o responsável do Team Baia garante que não foi um revés e que o Rali não perdeu qualidade.

A prova é que há mais equipas inscritas, afirma. Chegam de vários pontos de Portugal, «o que prova a importância do nosso Rali», acrescenta. O responsável do Team Baia diz que há, naturalmente, muitas equipas famalicenses porque esta é uma prova a que ninguém quer faltar, a não ser por imperativos de agenda.

Sérgio Aguiar não destaca o nome de um piloto ou navegador, porque, na sua perspetiva, todos «são importantes», de pilotos, a navegadores, passando pelos mecânicos e outros assistentes.

Os últimos pormenores é o reforço da segurança, o maior requisito para um espetáculo desta natureza. «Temos muita sinalização, não olhamos a meios nesta matéria», descreve. Além disso, estão a contactar a população residente nas zonas das classificativas para tomar todas as cautelas nas horas das provas. E não são apenas as pessoas que importam, há também a preocupação com os animais que possam andar errantes. «As nossas classificativas são muito urbanas, há casas quase de 50 a 50 metros», regista Sérgio Aguiar. Isto apesar de muitas pessoas pensarem que a prova só atravessa montes em Fradelos, Vilarinho, S. Martinho ou Sezures.

Para que tudo funcione na perfeição, o Team Baia conta com quase 300 pessoas, entre forças policiais, bombeiros, médicos, staff da organização e outros voluntários.

Sérgio Aguiar reconhece que Famalicão tem muitos e bons pilotos, navegadores e mecânicos experientes; tem um Rali que «é uma imagem de marca do concelho e que ajuda a projetar a imagem de Famalicão»; e que, por isso, o Rali é um produto que ajuda o desporto, a economia e o turismo. Se um dia o Rali de Famalicão vai contar para outros prémios nacionais, Sérgio Aguiar não tem dúvidas de que vai acontecer porque «tem condições», mas não sabe ainda quando será. O importante agora, «é está tudo pronto».

João Pedro Sousa leva uma semana de trabalho para preparar receção ao Boavista

João Pedro Sousa cumpre, esta quinta-feira, uma semana de trabalho no FC Famalicão. No regresso ao clube, o treinador prepara a estreia, já este domingo, diante do Boavista, equipa que treinou depois de sair do Famalicão, em 2021.

Depois do sucesso em 2019/2020, com o sexto lugar na primeira liga, o treinador saiu em janeiro de 2021, seguiu-se uma passagem pelo Al Raed, da Arábia Saudita, até ao regresso a Famalicão, que aconteceu no passado dia 22 de setembro

Na conferência de imprensa de apresentação, João Pedro Sousa logo avançou que «não gosta de vender sonhos», reconheceu que o momento da equipa «é difícil», mas, doravante, «vamos jogar para ganhar». Do plantel que agora treina, João Pedro Sousa disse que o conhece bem e está «identificado com o seu valor». Voltar a ser «feliz» em Famalicão, motivar e trabalhar os jogadores «para jogarem com alegria» e inverter o ciclo negativo já no próximo jogo (em casa, com o Boavista), são as suas primeiras premissas. E tudo isto para «dar alegrias aos nossos adeptos».

Foto: FC Famalicão

Famalicão dá palco para aulas de teatro a alunos do 5.º ano

Depois da música e da dança, o teatro passa, também, a fazer do ensino artístico. Atualmente, são 21 os alunos de duas turmas do 5.º ano que vão frequentar, neste ano letivo, o ensino artístico especializado das artes de palco, em regime articulado, numa parceria entre a Câmara Municipal, a ACE- Escola de Artes e os agrupamentos de escola de Pedome e Ribeirão.

Atualmente, o ensino articulado em Famalicão abrange perto de meio milhar de alunos, com a Câmara Municipal a investir uma verba que ultrapassa os 100 mil euros. E sobre o valor afeto ao ensino articulado, o presidente da Câmara Municipal lamenta que o estado português não disponibilize os meios financeiros necessários «para que seja efetivo e para que todos os alunos possam fazer a sua escolha. Vou fazer todas as diligências para que o ensino articulado do Teatro e da Dança também sejam convenientemente apoiados e financiados por parte da tutela»

A apresentação do Curso Básico de Teatro decorreu, na tarde desta terça-feira, na Escola Básica de Pedome. Na ocasião, o presidente da autarquia enalteceu o «enorme contributo» do ensino artístico no enriquecimento do projeto educativo. «Temos alunos mais motivados e a adquirir novas competências através de outras formas de aprendizagem e saber», anotou Mário Passos.

A coordenadora do curso da ACE, Sílvia Correia, fala numa mudança de paradigma que «os pais aceitam e percebem as mais valias que é o seu filho, ao longo de 5 anos, do 5. ao 9.º anos, poder frequentar disciplinas que vão dar conhecimentos técnicos e artísticos, mas também consolidar matérias e tornar mais coeso o currículo».

O Curso Básico de Teatro ocupa atualmente 6 horas da carga horária semanal dos alunos, com as disciplinas de interpretação, improvisação e movimento e técnica vocal.

A promoção do ensino artístico e do ensino articulado continua a ser uma das apostas da Câmara Municipal de Famalicão e aos cursos de Música, promovidos pelo CCM- Centro de Cultura Musical e pela ArtEduca, a autarquia acrescentou ainda o ensino da Dança, em parceria com a Andança, iniciando agora o ensino articulado do Teatro em duas turmas dos agrupamentos de escola de Pedome e Ribeirão.

Famalicão: Academia de Nine quer seniores ativos

A Academia Sénior de Nine está a iniciar um conjunto de atividades para os seus associados.

Por forma a promover o envelhecimento ativo, a Academia tem ao dispor dos seniores aulas de ginástica, à quarta-feira, a partir das 14h30, na Junta de Freguesia. No mesmo espaço e à mesma hora, há treino funcional às segundas-feiras.

Esta sexta-feira, também na sede da autarquia local, decorre um rastreio de Glicemia e Colesterol, às 14h30. A iniciativa é gratuita contempla, palestras sobre hábitos de vida saudável.

Famalicão: Bruno Cunha apresenta linhas da sua Moção Estratégica

Bruno Cunha, candidato à Concelhia do PS de Famalicão, apresenta no dia 1 de outubro, sábado, pelas 18 horas, no salão nobre da Junta de Freguesia de Vermoim, as linhas da sua moção estratégica. Passam pela criação de núcleos em todas as freguesias no espaço de dois anos e aumento do número de secções existentes. «Neste momento existem duas secções, a de Vila Nova de Famalicão que agrega todas as Freguesias e a secção de Riba de Ave. É fundamental aumentar o número de Secções para que o trabalho realizado junto das comunidades seja mais fácil e haja um aumento do número de quadros preparados no Partido, junto das Freguesias», refere Bruno Cunha.

Outra proposta é a criação do gestor de política local que será o responsável pela coordenação de projetos a realizar nas freguesias. A par deste, propõe a criação do gestor da política municipal, para coordenar e ajudar no trabalho realizado pelos vereadores e pelos deputados eleitos na Assembleia Municipal.

No programa de Bruno Cunha está ainda a realização de fóruns descentralizados nas freguesias, com temas «que preocupam as diferentes comunidades». Além da proposta de um Gabinete de Estudos a curto prazo para, que envolva militantes, convidados e população. Este trabalho terminará com a realização de um Fórum Anual denominado “Convenção Autárquica do PS”.

A Moção aponta ainda para uma Assembleia Geral de Militantes para discutir o presente e o futuro. Na opinião de Bruno Cunha, «a escolha do candidato à Câmara Municipal de V.N. Famalicão deve ser um processo de discussão interna que depois deve ser aberto aos militantes e simpatizantes».

Já a pensar numa ação mais governativa, o candidato propõe criar uma equipa de apoio social, para ajudar a encontrar soluções para problemas nesta área.

Bruno Cunha entende que é fundamental a existência de uma equipa de trabalho que dinamize a comunicação do partido para o exterior. «Os militantes do Partido devem receber uma newsletter com informação do trabalho dos vereadores, bem como dos deputados à Assembleia Municipal. Quantos mais militantes dermos a conhecer, mais quadros preparados temos para as eleições autárquicas de 2025», resume.

Esta é a estratégia de Bruno Cunha para tentar ganhar a concelhia de Famalicão do PS, tendo como horizonte as autárquicas de 2025.

Famalicão: Iniciativas no aniversário do Parque da Devesa

O município vai assinalar os dez anos do Parque da Devesa com uma exposição que ilustra como ao longo destes anos a Devesa passou a ser muito mais do que um parque.

“Devesa 10. Muito mais que um parque”, assim se chama a exposição fotográfica que é inaugurada esta quarta-feira, às 17h00, e que vai estar patente na Casa do Território até ao final de janeiro, com entrada livre.

A par da exposição, que pretende demonstrar a íntima ligação deste equipamento à comunidade, individualmente ou de forma coletiva, os primeiros dez anos de vida da Devesa vão também ser comemorados com um vasto programa de atividades agendado para os dias 5, 8 e 9 de outubro, com visitas orientadas, exercício físico, entre outras.

Destaque para uma manhã dedicada ao desporto, com aulas de zumba e yoga, para um EcoMercadinho e para um piquenique no parque, no dia 5 de outubro. Para o dia 8 está marcada a ação de sensibilização “Beatas no Chão? Não!”, às 10h00, e a conferência “Cultura Castreja e a vivência do Sagrado”, às 15h00. No dia 5, às 16h00, e no dia 9, às 09h30, há visitas orientadas pelo parque. Do programa do último dia, 9 de outubro, destaque ainda para o concerto dos Terra Batida, às 18h00, no anfiteatro do parque.

«A Devesa ultrapassou em muito o seu propósito inicial de ser um parque verde urbano, transformando-se num prolongamento do quotidiano dos famalicenses», refere a propósito o presidente da autarquia, Mário Passos, que encara a construção da Devesa «como uma das maiores obras públicas de sempre no município».

O Parque da Devesa, com cerca de 27 hectares, é um local privilegiado de contacto com a natureza, lazer, convívio e desporto.