Eleições Presidenciais: Se está em confinamento, saiba como pode votar antecipadamente

Os eleitores que, por força da pandemia Covid-19m estejam em confinamento obrigatório, no domicílio ou noutro local definido ou permitido pelas autoridades de saúde – que não em estabelecimento hospitalar- , e desde que se encontrem recenseados no concelho da morada do local de confinamento ou em concelho limítrofe, podem votar antecipadamente nas Eleições Presidenciais, marcadas para 24 de janeiro.

Para exercerem o seu direito de voto devem manifestar essa intenção à administração eleitoral da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna por meio eletrónico em https://www.votoantecipado.mai.gov.pt , entre 14 e 17 de janeiro.

O pedido também pode ser efetuado na freguesia correspondente à morada do recenseamento por quem, mediante exibição de procuração simples, acompanhada de cópia do documento de identificação civil do requerente, represente o eleitor.

Para mais informação consulte www.portaldoeleitor.pt

Famalicão: Eduardo Oliveira quer PS a crescer para «servir Famalicão»

Eduardo Oliveira apresentou as linhas programáticas da sua candidatura à presidência da Comissão Política do Partido Socialista, cujas eleições se realizam no dia 8 de outubro. Recorde-se que além de Eduardo Oliveira, atual presidente da concelhia, também Bruno Cunha tenta a sua eleição.

Esta sexta-feira, Eduardo Oliveira vai esmiuçar as linhas da sua candidatura «Todos por Famalicão”, mas à comunicação social adianta que o objetivo principal (se for reeleito) é «continuar a crescer para servir Famalicão». Este é o título da sua moção estratégica que vai apresentar ao partido, e onde se pode ler que uma das principais linhas de ação é a organização dos “Encontros Autárquicos Famalicão 2025”. Em itens, Eduardo Oliveira diz que é objetivo da sua candidatura a realização de debates trimestrais com todos os eleitos para a prestação de contas; quer ouvir a comunidade e criar gabinetes de estudos em diversas áreas. Estão também definidas como importantes a «criação de um grupo de cooperação com as secções de Vila Nova de Famalicão e Riba de Ave e freguesias no sentido de fazer um acompanhamento e apoio aos membros das Assembleias de Freguesia, assim como a criação de um Núcleo Concelhio de Apoio e Formação».

O candidato promete também formação política aos eleitos em diferentes áreas. «Queremos proporcionar mais apoio aos eleitos socialistas e continuar a aproximar o PS de Famalicão dos eleitores», destaca.

Eduardo Oliveira deseja que o partido se abra mais à sociedade civil, consiga perceber os seus problemas, para traçar ações que no futuro ajudem a combatê-los. Desde já, destaca, entre outras áreas de intervenção do trabalho político, o combate à pobreza, ao desemprego e à exclusão social.

Mercadona doa 670 toneladas de alimentos no primeiro semestre deste ano

A Mercadona doou 670 toneladas de produtos de primeira necessidade no primeiro semestre de 2022 em Portugal. Estas doações, equivalente a mais de 11.000 carrinhos de compra, foram destinadas a mais de 30 cantinas sociais, 5 bancos de alimentos e outras entidades sociais com as quais a empresa colabora. No distrito de Braga, a Mercadona doou 118 toneladas de produtos de primeira necessidade a instituições locais de solidariedade social.

A Mercadona participa, ainda, noutras iniciativas de âmbito nacional que se realizam ao longo do ano. É o caso da “Campanha Vale”, da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, e da campanha “Shop for Goodness” da Cruz Vermelha Portuguesa, cujo montante angariado foi convertido em cartões de compra que contribuem para a autonomização de famílias carenciadas.

Com mais de 1.660 lojas entre Portugal e Espanha, a Mercadona doou 10.800 toneladas de bens na primeira metade deste ano, o equivalente a 180.200 carrinhos de compras, que se destinaram a mais de 410 cantinas sociais, 60 bancos de alimentos e outras entidades sociais de ambos países.

Estas ações resultam do compromisso da empresa em partilhar com a sociedade parte do que dela recebe. No âmbito deste Plano de Responsabilidade Social e a par da doação de alimentos, a Mercadona colabora com 32 fundações e centros ocupacionais na decoração das suas lojas com murais de trencadís (mosaicos típicos do Mediterrâneo), elaborados por mais de mil pessoas com incapacidade intelectual.

Outra linha estratégica deste Plano de Responsabilidade Social é a sustentabilidade, de que é prova o Sistema de Gestão Ambiental próprio, baseado nos princípios da economia circular e focado na otimização logística, eficiência energética, gestão de resíduos, produção sustentável e redução do plástico. Nesse sentido, a Mercadona, junto dos seus fornecedores Totaler, está a desenvolver a Estratégia 6.25: 6 ações para atingir um triplo objetivo até 2025: reduzir o plástico em 25%, que todas as embalagens sejam recicláveis, e reciclar todos os seus resíduos de plástico.

A Mercadona integra desde 2011 o Pacto Mundial das Nações Unidas para a defesa dos valores fundamentais em matéria de Direitos Humanos, Normas Laborais, Meio Ambiente e Luta contra a Corrupção.

Em Braga, as instituições beneficiárias são Associação de Solidariedade Social de S. Tiago de Fraião (Braga), GASC (Barcelos), Lar de Santo António (Guimarães), Dar as Mãos – Associação de Solidariedade Social (Braga), Lar de Santa Estefânia (Braga), Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Braga (Braga) e Lar Nossa Senhora da Misericórdia (Barcelos)

Famalicão: Candidato à Concelhia socialista prossegue com campanha nas freguesias

A candidatura de Bruno Cunha à presidência da Concelhia do Partido Socialista prossegue, esta sexta-feira, com mais uma edição do fórum “Unir o PS nas Freguesias”, agora com sessão agendada para o edifício da Junta de Ruivães, a partir das 21 horas.
Para este encontro, que visa recolher contributos para a construção da moção que Bruno Cunha vai apresentar na próxima semana, bem como o mandatário da candidatura, estão convidados os militantes de Landim, Bairro, Delães e das uniões de freguesia de Seide, Carreira e Bente, Ruivães e Novai, e Avidos e Lagoa.

PSD de Santo Tirso quer unir partidos na defesa da maternidade de Famalicão

Os eleitos pelo PSD de Santo Tirso vão apresentar, esta quarta-feira, na sessão ordinária da Assembleia Municipal, uma moção pela manutenção da maternidade no Centro Hospitalar do Médio Ave.
No período antes da ordem do dia, todos os representantes dos partidos políticos com assento na Assembleia Municipal tirsense serão convidados a votarem favoravelmente a moção, «vestindo, assim, uma única camisola, a camisola pela manutenção da maternidade de Famalicão», pode ler-se no comunicado da Secção social democrata.
O ministro da saúde, Manuel Pizarro, já recebeu o documento para a Reforma das Maternidades em Portugal e no horizonte pode estar, como já foi noticiado, o encerramento da maternidade de Famalicão, que também serve a população de Santo Tirso.

Famalicão: Deputados do PCP em jornada de trabalho para defender os direitos dos trabalhadores

Os deputados do PCP no Parlamento Europeu, Sandra Pereira e João Pimenta Lopes, vão realizar uma jornada de trabalho na região de Braga. Desta quarta a sexta-feira, os deputados vão passar pelos concelhos de Braga, Guimarães, VN Famalicão, Fafe. Barcelos, Esposende, Vizela e Amarares

A jornada, com o lema “Ao teu lado todos os dias. A tua voz no Parlamento Europeu”, que visa dar expressão a uma intervenção distintiva em defesa dos direitos, dos interesses e das aspirações dos trabalhadores e do povo português, trará Sandra Pereira, esta quarta-feira, à feira semanal de Famalicão (9 horas) e, às 11 horas, tem um encontro com trabalhadores despedidos da Shenelek / Continental – Mabor, empresa onde regressa durante a tarde, às 14h30, para contacto com os trabalhadores. Às 17 horas, estará na Lima e Companhia, também para contactos com trabalhadores. Na quinta-feira, a deputada comunista, volta a contactar com trabalhadores, desta feita da Leica, às 15h30.

Os deputados cumprirão um intenso programa de contacto com trabalhadores, populações, associações e outras organizações, abrangendo as temáticas do aumento do custo de vida, da situação das atividades económicas, dos direitos ao emprego digno, à saúde, à habitação e aos transportes públicos, entre outros.

Famalicão: PSD junta-se em festa e elogia os seus autarcas

O PSD de Famalicão organizou a sua rentrée política já com os olhos postos nas autárquicas de 2025. Os militantes e simpatizantes reuniram-se, este domingo, no Parque de Lazer de Avidos, destacando-se a presença dos representantes social-democratas de todas as 49 freguesias, incluindo os presidentes de junta e de assembleia de freguesia. O presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, os vereadores e deputados municipais, o vice-presidente do PSD nacional, Paulo Cunha, o deputado Jorge Paulo Oliveira e o presidente da JSD de Famalicão, David Carvalho, também marcaram presença, a par dos antigos presidentes do PSD e da JSD locais. No total terão estado na festa cerca de um milhar de pessoas.

Na sua intervenção, o presidente da concelhia do PSD, Fernando Costa, enalteceu a elevada participação neste evento anual, e explicou por que está convicto na vitória nas próximas autárquicas. «Desde 2001, este concelho tem-se afirmado como um exemplo nacional em diversas áreas. Os nossos autarcas estão a fazer um trabalho de enorme qualidade. São do melhor que há a servir a causa pública», afirmou. O dirigente acredita que «é, por isso, que os famalicenses continuarão a dar-nos a sua confiança através do voto. Temos sido fiéis ao nosso projeto ‘Mais Ação, Mais Famalicão’ e assim vamos continuar, imbuídos do mesmo espírito e dos mesmos parceiros de coligação».

«Temos um governo socialista impreparado, populista e despesista»

Numa referência à «grave crise económica que afeta as famílias, com os aumentos dos preços da eletricidade, gás, combustíveis, bens alimentares e crédito à habitação», o líder do PSD de Famalicão afirmou que «é urgente pensar nas pessoas em primeiro lugar». Na sua opinião, «os pensionistas com baixos rendimentos não conseguem ter acesso aos lares. A classe média, motor de todas as economias prósperas, quase não existe. Os jovens são o futuro de todas as nações e continuam a ter que emigrar. As creches grátis vêm com seis anos de atraso». Além disso, apontou os problemas na Saúde, na Educação e na Justiça para defender que, «enquanto não houver reformas estruturais nestas áreas, Portugal não se modernizará nem terá aumento substancial do PIB».

Fernando Costa não está otimista quanto a reformas. «O problema é que temos um governo socialista impreparado, populista e despesista e essas reformas de que o país tanto precisa não vão acontecer nos próximos quatro anos», rematou.

As restantes intervenções alinharam nas críticas ao Governo e fizeram um balanço positivo do primeiro ano deste mandato autárquico, esperando a reedição da vitória em 2025.