Estado de Emergência: Cultura com 42 milhões de euros a fundo perdido

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, acaba de anunciar 42 milhões de euros a fundo perdido para o setor.

Trata-se da primeira fase do programa “Garantir Cultura” criado pela lei do Orçamento de Estado de 2021 de apoio ao trabalho cultural e artístico, referiu a ministra.

Os fundos destinam-se a entidades coletivas e a pessoas singulares. Do primeiro grupo fazem parte todas as empresas e entidades coletivas, salas de espetáculo, teatros, produtores, agentes, salas de cinema independentes, cineclubes e associações; no segundo trata-se de todos os profissionais da área da cultura, que inclui artistas, técnicos e autores.

Exposição fotográfica sobre os Museus de Famalicão está patente no Mercado Municipal

A exposição “Museus de Famalicão. O outro lado” pode ser visitada na Praça-Mercado de Famalicão até ao dia 31 de maio de 2023. A mostra reúne uma seleção de trabalhos do fotojornalista Alfredo Cunha em torno dos museus de Famalicão, para um catálogo fotográfico com o mesmo nome.

O trabalho, que resulta de uma parceria entre o fotojornalista e o município de Famalicão, foi apresentado ao público no dia 26 de novembro, e está inserido no 10.º aniversário da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão.

«Confesso que quando recebi o convite, encarei-o com algum ceticismo», comentou Alfredo Cunha na apresentação. Depois da experiência, o fotógrafo admitiu que foi um trabalho que «me deu bastante prazer».

Alfredo Cunha percorreu cada um dos 11 museus-membro da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão, e ficou surpreendido com o que encontrou. «Nunca pensei que Famalicão tivesse museus tão diferentes Quando eu entro naqueles museus sou remetido para aquele tempo, para aquelas vivências. A dinâmica que os museus têm e a diversidade e a qualidade fizeram com que este projeto ganhasse vida própria», comentou sobre a sua experiência nos espaços museológicos.

O fotojornalista acrescentou que o «mais surpreendente de tudo é que eu fotografei os Museus de Famalicão com uma máquina fabricada em Famalicão», referindo-se à marca Leica. No final, admitiu que «sinto -me honrado, agradecido. Espero que gostem do livro».

Para o presidente da Câmara, «é esta riqueza e esta diversidade que fazem com que os Museus de Vila Nova de Famalicão sejam um produto atrativo». Mário Passos considera, ainda, que o legado e a polivalência dos museus famalicenses são o reflexo de «um passado riquíssimo, que queremos que perdure e vamos continuar a potenciar», afirmou o edil, que também enfatizou que «este trabalho fotográfico eterniza os nossos museus e o catálogo vai fazê-los perdurar no tempo».

De referir que a exposição ‘Museus de Famalicão. O outro lado’ é composta por 22 imagens dos Museus de Famalicão, selecionadas de entre o amplo registo fotográfico efetuado pelo fotojornalista Alfredo Cunha nos 11 museus-membros da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão. A publicação que originou a exposição pode ser adquirida na livraria municipal, localizada na Casa do Território do Parque da Devesa, em Famalicão, ou no Posto de Turismo, junto ao mercado municipal.

Famalicão: Teatro na Portela, Castelões, Mogege, Requião, Cruz e Mouquim

O grupo PASEC apresenta esta quinta-feira, dia 1, a peça “Ser ou não ser personagem secundária” no salão paroquial da Portela.

No mesmo dia, Castelões recebe na EB1 de Castelões, pelas 16h00, a peça “Procura-se morto… ou morto”, protagonizado pelo Núcleo de Teatro da ACV – Associação Cultural de Vermoim.

Sábado, dia 3, será apresentada a obra “Salsada de Comédia”, protagonizada pela Associação Projeto Amarcultura. Será às 16h00, no salão da Junta de Freguesia de Mogege.

Nesse mesmo dia, Requião acolhe “Eu, Tu, Ele, Nós, Vós, Eles”, protagonizado pelo Grutaca, Grupo de Teatro Amador Camiliano, no Pavilhão Multiusos, pelas 21h30.

Domingo é dia de ‘Beatriz e o Peixe Palhaço”, protagonizado por Elsa Pinho, na Junta de Freguesia de Cruz, pelas 16h00.

Mouquim convida para a peça “O Julgamento”, protagonizado por Greculeme, Grupo Recreativo e Cultural de Lemenhe, no salão paroquial, às 16 horas.

Todas as sessões têm entrada livre.

Recorde-se que o Teatro N’Aldeia é uma iniciativa promovida pelo Município de Vila Nova de Famalicão que acontece até dia 18 de dezembro. Todas as semanas há sessões de teatro nas freguesias do concelho, às sextas, sábados ou domingos, em horários que variam entre as 16h00 e as 21h30.

Toda a programação em www.famalicao.pt/agenda-municipal-famalicao

 

Famalicão: Riopele promove coleção nas feiras internacionais

Nos próximos dois meses, a Riopele vai passar por várias feiras, desde Paris, Milão, Munique, Nova Iorque e Tóquio, a promover as propostas para a Primavera-Verão de 2024. Recorde-se que a Riopele exporta mais de 95% da sua produção.

«A Riopele, que exporta atualmente mais de 95% da sua produção e tem mais de 750 clientes ativos em todo o mundo, está empenhada em consolidar a presença nos mercados mais importantes da Europa e aprofundar oportunidades noutros mercados de elevado potencial», desta a empresa de Pousada de Saramagos na sua newsletter.

A Riopele refere que «a ofensiva externa» inicia-se numa das mais relevantes capitais mundiais da moda: Paris. A Fashion Rendez-vous, que na edição de setembro passado contou com a presença de 122 expositores de 14 países e é apresentada, pela organização, como o “complemento perfeito da Première Vision”, está agendada para os dias 6 e 7 de dezembro».

Uma semana depois, a 14 e 15 de dezembro, na mesma cidade, vai estar na Blossom Première Vision, «um evento exclusivo dedicado ao lançamento inicial das coleções.

Já no início de 2023, a Riopele viaja até à Alemanha para a participação na Munich Fabric Start, agendada para 24 a 26 de janeiro. É uma das principais feiras têxteis europeias e só na edição de setembro marcaram presença cerca de 900 expositores.

Segue-se Milão, para a Milano Unica, entre 31 de janeiro a 2 de fevereiro, um certame para empreendedores.

Antes do Modtissimo, em Matosinhos, a 15 e 16 de fevereiro, a Riopele estará de volta a Paris, para a Première Vision, de 7 a 9 de fevereiro.

Recorde-se que a Riopele é especialista em tecidos e emprega atualmente cerca de 1.100 pessoas, tendo anunciado recentemente uma revisão salarial superior a 8%, aumentando o salário mais baixo para 780 euros com efeitos imediatos. Para o presidente José Alexandre Oliveira, a Riopele quis «dar um sinal de que está com os trabalhadores. Precisamos de beneficiar todos os que estão connosco, é nosso dever cuidar da parte social da empresa, tendo em conta o contexto que enfrentamos».

Famalicão: Município gasta anualmente 160 mil euros no ensino articulado da dança, música e teatro

A Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão investe por ano cerca de 160 mil euros em meio milhar de alunos famalicenses que frequentam o ensino artístico articulado nas áreas da música, da dança e do teatro, do segundo ciclo ao ensino secundário. Os apoios incluem comparticipação de propinas, pagamento de transporte e cedência de instalações.

A dança é ministrada pela AN-Dança Conservatório de Dança de Vila Nova de Famalicão. Existe desde o ano de 2020/21, e conta atualmente com 67 alunos. Na última reunião de Câmara, esta instituição de ensino recebeu um apoio financeiro municipal de 45 mil euros.

O Curso Básico de Música, em regime articulado, existe desde os anos 90, sendo da responsabilidade da Artave/CCM Centro de Cultura Musical e pela ArtEduca – Conservatório de Música, com um total de cerca de 400 alunos.

Depois da música e da dança, o município famalicense avançou este ano letivo 2022/23 com o ensino artístico especializado de teatro, ministrado pela ACE – Escola de Artes. Frequentam cerca de 20 alunos de 5.º ano.

Famalicão: Primeiro concerto das “Comunidades (en)Coro” é esta quinta-feira

O coro da Comissão Social Inter Freguesias de Lousado, Esmeriz e Cabeçudos vai atuar, esta quinta feira, no arranque da iniciativa “Comunidades (en)Coro”, promovida pela Câmara Municipal de Famalicão, no âmbito do programa Famalicão Comunitário, durante a época natalícia.
O concerto decorre na Praça – Mercado Municipal de Famalicão, a partir das 17 horas, e será conduzido pelo maestro esmerizense, Rui Costa, que também orientou os ensaios.

Rede de Museus de Famalicão renova declaração de princípios

Uma década depois da criação da Rede de Museus, os onze espaços museológicos renovaram o compromisso de trabalho com a assinatura de uma nova “Declaração de Princípios”, que aconteceu no dia 26 de novembro, nos Paços do Concelho.

O objetivo desta renovação de compromisso é intensificar o caminho de cooperação, iniciados em 2012, entre os museus, as pessoas e o seu território.

Nesta renovação foi também atualizada a lista dos museus-membros (dez museus e uma coleção visitável). «Ao renovarmos este compromisso queremos dar continuidade e, se possível, intensificar este trabalho em rede, sem abdicar da identidade de cada um dos museus», afirmou o vereador da cultura, Pedro Oliveira. «A forte projeção do Município, do ponto de vista cultural, também se deve ao trabalho que tem sido desenvolvido por esta rede», acrescenta.

Esta assinatura de compromisso aconteceu no âmbito do VI Encontro da Rede de Museus de Famalicão que aconteceu nos dias 25 e 26 de novembro. Paralelamente, foi lançado, no Museu Nacional Ferroviário de Lousado, o 2.º volume da coleção “Ser e fazer museu no século XXI: definir um caminho…onde estamos, para onde vamos”.

O novo volume documenta todo o projeto “Museu de Famalicão. Desenvolvimento sustentável na prática”, iniciado em 2021, com a realização de duas conferências, e que teve continuidade em 2022, com a medição do Índice de Sustentabilidade dos Museus de Famalicão.

Recorde-se que a Rede de Museus é coordenada pelo Município de Famalicão através do pelouro da Cultura.