Famalicão: Agrupamento Camilo Castelo Branco aposta na educação não formal de capacitação de jovens

O Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco vai desenvolver, de 14 a 18 de fevereiro, a Semana UBUNTU. A iniciativa vai contar com a participação de 34 alunos, quatro docentes e duas psicólogas. Em comunicado, o agrupamento admite estar a «dar os primeiros passos para a valorização da ética do cuidado, da liderança servidora e a construção de pontes».

A iniciativa “Academia de Líderes Ubuntu Escolas”, desenvolvida pelo Instituto Padre António Vieira (IPAV), é um programa de educação não-formal, de capacitação, destinado a jovens entre os 13 e os 18 anos. O projeto tem por base modelos de liderança e cinco pilares «essenciais»: o autoconhecimento, a autoconfiança. A resiliência, a empatia e o serviço. A Academia de Líderes pretende criar e promover capacidades pessoais, cívicas e sociais, incentivando os participantes a agir enquanto agentes de mudança ao serviço da sociedade.

Durante a Semana UBUNTU, os jovens visam especializar-se em liderança servidora e trabalhar o sentido da vida. O desenvolvimento de competências socioemocionais e capacidades de resolução de conflitos, negociação, colaboração e de criação de soluções são também alguns dos objetivos a serem atingidos ao longo dos sete dias.

De acordo com a informação partilhada em comunicado, «o Instituto é uma associação cívica sem fins lucrativos, que tem por missão a promoção da dignidade humana, através da especialização na dinamização da cultura colaborativa e na promoção da unidade na diversidade».

Famalicão: Tribunal condena homem que matou amigo e só confessou o crime 11 anos depois

O Tribunal Criminal de Guimarães condenou o homem que confessou ter matado o amigo 11 anos depois do crime. Foi condenado a oito anos e dez meses de prisão por ter morto a tiro de caçadeira João Paulo Azevedo, na altura com 34 anos, e ter enterrado o corpo. Os factos aconteceram num pinhal em Landim.

O arguido, de 57 anos, encontra-se em liberdade e assim vai continuar, por decisão do Tribunal Criminal de Guimarães, que entendeu manter a medida de coação de Termo de Identidade e Residência; isto até que a decisão transite em julgado. Foi ainda condenado a pagar 95 mil euros de indemnização à mãe da vítima, que se constituiu assistente no processo.

Recorde-se que o crime aconteceu em 2006, em Landim, quando combinaram experimentar uma caçadeira (alterada) num pinhal, depois de a vítima procurar o arguido para lhe comprar uma arma. O arguido disparou no momento em que o amigo se encontrava de costas, tendo-o atingido na cabeça.

Segundo a presidente do coletivo de juízes, o modo como o arguido atuou, sendo caçador, pelo conhecimento que tinha no manuseamento de armas de fogo, «dirigindo a arma contra a cabeça da vítima, que estava de costas, desprotegida, impõe uma ilicitude significativa». Contudo, na leitura do acórdão, a juíza presidente disse que, em julgamento, não ficou provado que o tiro foi acidental, segundo a versão apresentada pelo arguido, nem que houve intenção de matar a vítima, segundo a acusação do Ministério Público.

O Tribunal Criminal de Guimarães teve em conta que o arguido não tem antecedentes criminais, que está inserido familiar e socialmente, e que a sua confissão «foi absolutamente relevante» e teve «uma inegável importância» para a descoberta da verdade.

Recorde-se que o arguido confessou às autoridades, 11 anos depois, alegando ter consciência pesada e para que «a alma do seu amigo pudesse ter paz».

Tribunal de Famalicão pode decidir esta sexta-feira sobre futuro dos irmãos que não frequentam aulas de Cidadania

O Tribunal de Família e Menores de Famalicão tem marcada para esta sexta-feira, dia 9 de dezembro, a audiência que pode decidir sobre o futuro escolar dos dois irmãos Mesquita Guimarães que não frequentam as aulas de Cidadania e Desenvolvimento desde 2018/19, por decisão dos pais.

Bons alunos às restantes disciplinas, os dois irmãos têm vindo a transitar de ano, apesar de chumbados por faltas à disciplina obrigatória de Cidadania e Desenvolvimento. Os pais têm contestado em Tribunal a decisão, o que faz com que os alunos transitem de ano.

O Ministério Público do Tribunal de Família e Menores de Famalicão pediu em abril que os jovens ficassem sob tutela da direção da escola durante o período de aulas, considerando esta a única medida «que se apresenta como do superior interesse dos jovens». Houve uma sessão marcada no início de julho que acabou suspensa e que foi agora marcada.

Recorde-se que o Ministério da Educação considera que o objetivo passa pela criação, a título excecional, de planos de recuperação, conforme previsto na lei, para que os alunos possam ter aproveitamento positivo a esta disciplina.

Como tem vindo a ser referido, os pais defendem que a educação para a cidadania é uma competência da família, não aceitando que matéria como “Educação para a igualdade de género” e “Educação para a saúde e sexualidade” seja ensinada fora da família. Na opinião deles, a educação no sistema público não pode seguir nem impor diretrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas.

A audiência está marcada para esta sexta-feira, às 9 horas, pede apoio de quem se identifica com a sua causa.

Famalicão: Cabaz de Natal com sabores locais à venda na Praça

Neste Natal, os Cabazes Made In Famalicão com “Produto Que é Nosso” voltam a estar disponíveis, mas desta vez na Praça-Mercado de Famalicão, na loja Atrium, e também podem ser encomendados através dos telefones 919102306 / 966648245 ou do email produtosmadein@gmail.com.

Os produtores locais e a Câmara Municipal de Famalicão uniram-se para promover a venda de cabazes de Natal que juntam três diferentes opções. O vinho verde da região, os enchidos, o mel, as compotas, os queijos, chocolates ou bolachas tradicionais são alguns dos produtos que se juntam nestes cabazes, diferenciados conforme os produtos em Gourmet, Superior e Premium.

Os promotores consideram que os cabazes são uma excelente sugestão para oferecer neste Natal, promovendo ao mesmo tempo a economia local e os produtores de Vila Nova de Famalicão.

São vários os produtores locais que aderiram à iniciativa, com produtos diferenciados e que reúnem um conjunto de critérios de avaliação e reconhecimento distinguidos com o Selo Made IN Famalicão – Produto que é Nosso.

 

 

 

Famalicão: Álvaro Costa apresenta sabores da quadra natalícia

O Chef Álvaro Costa, que ao longo deste ano assumiu a função de Chef residente da cozinha experimental da Praça – Mercado Municipal, realiza este mês dois showcookings, de participação gratuita, com sugestões para a mesa de Natal.
A primeira sessão decorreu no passado sábado, com a preparação de aletria com lima e pera, e a próxima é este sábado, a partir das 16 horas, com um Arroz de Galo com Figos Secos.
O programa “Chef Residente” decorreu ao longo do ano, com uma ligação da gastronomia e território.

Famalicão: Condenado a cinco anos e meio de prisão por furto

Um cidadão, de 41 anos, de Joane, foi condenado pelo Tribunal de Guimarães a cinco anos e meio de prisão por três crimes de furto qualificado, um dos quais na forma tentada, e um crime de coação. Ficou provado que, em 2021, assaltou duas residências e tentou assaltar outra, tudo em Guimarães e Vizela.

O homem vai ainda ter de pagar indemnizações de 5.425 euros e de 7.925 euros aos donos das residências assaltadas.

Para atribuição da pena, o Tribunal teve em conta também os antecedentes criminais do arguido, que soma seis condenações por crimes de roubo, furto e condução sem carta. O juiz referiu-se ainda à tipologia dos furtos praticados, considerando que constituem «uma importante fonte de alarme social, porquanto lhes está associado um sentimento generalizado de insegurança no que toca à preservação do património privado perante o ataque de terceiros».

A favor do arguido, esteve o exercício regular de uma atividade laboral até 2020 e o facto de se encontrar familiarmente bem integrado. O arguido não prestou declarações.

Um outro homem envolvido no processo foi absolvido, por falta de provas.

Relativamente aos factos, o primeiro assalto remonta a 21 de abril de 2021 e teve como alvo uma residência em Vermil, Guimarães. O arguido terá trepado o muro e forçado uma janela, tendo furtado um anel, com cinco diamantes e em ouro amarelo, de valor não inferior a 2.500 euros.

No dia 30 de maio, o arguido assaltou uma residência em Infias, concelho de Vizela, tendo estroncado uma janela e levado vários objetos, entre computadores, televisões, telemóveis, brincos, anéis e uma arma de defesa pessoal.

No dia 05 de junho, tentou assaltar uma residência em Prazins, mas “foi surpreendido” pela dona da casa, que o perseguiu até que ele lhe apontou um objeto «que aparentava tratar-se de uma arma de fogo».

 

Famalicão: Academias Alex Ryu Jitsu realizam festival de artes marciais e desportos de combate

No Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos, a Federação Portuguesa de Alex Ryu Jitsu e as Academias de Cavalões e Ribeirão organizaram, durante o Festival de Artes Marciais e Desportos de Combate, um Seminário sobre Defesa Pessoal e com a Taça Alexandre Carvalho, em honra ao seu fundador.

Este é um evento que junta, durante vários dias, diferentes modalidades de Artes Marciais e Desportos de Combate, para vários momentos de conhecimento e de partilha entre todos.

Assim, a manhã de sábado, dia 3 de dezembro, foi dedicada a vários seminários de Defesa Pessoal, com a participação de cerca de 100 atletas, divididos em várias áreas do Alex Ru Jitsu. O seminário iniciou com o fundador do Alex Ryu Jitsu, o Mestre Alexandre Carvalho, e logo de seguida entraram em ação os mestres Manuel Cunha, Fernando Carvalhal, Carlos, Luís Faria, António Pinto, Nuno Vieira, Laurindo Azevedo, Mikaël Azevedo, Alcides Ribeiro, José Tavares, Carlos Sá.

Durante o seminário ficou demonstrada a riqueza, a complexidade e o quão abrangente são as técnicas de defesa pessoal Alex Ryu Jitsu, que podem ser utilizadas contra agressões na rua, contra várias armas assim como de mão nua.

Mas como indicado pelos Mestres do Alex Ryu Jitsu, esta modalidade, nascida em Famalicão, procura em primeiro lugar a harmonia entre todos e somente aplicar a técnica Alex Ryu Jitsu em caso de perigo real e só em defesa.

A parte da tarde iniciou com a disputa da Taça “Alexandre Carvalho”, uma competição de combates light-contact, que incluiu os escalões Juvenis, Juniores e Seniores, separados em duas áreas de combate, dois tatamis, onde se notou a energia e a garra dos atletas. No final a classificação por equipas foi a seguinte:1º lugar, Academia Casa do Lago; 2º lugar, Academia de Pousada de Saramagos; 3º lugar, Academia de Santo Tirso.

Para complementar este dia ligado às Artes Marciais e Desportos de Combate, a organização do festival realizou um Sarau, onde as várias modalidades fizeram uma demonstração dos seus estilos.