Famalicão: Ao problema «ambiental gravíssimo», Mário Passos esclarece o PS sobre medidas tomadas

Na reunião do executivo municipal desta quinta-feira, o vereador socialista Eduardo Oliveira alertou que o sistema de abastecimento de água em Famalicão registou 38% de água perdida e não faturada no ano de 2020, segundo o Sistema Nacional de Informação de Indicadores de Perdas de Água. Em 2020, entraram no sistema de abastecimento 7,3 milhões de metros cúbicos de água, mas só foram faturados aos famalicenses 4,5 milhões de metros cúbicos, enquanto os restantes 2,7 milhões de metros cúbicos foram perdidos em fugas de água na rede e não foram, por isso, faturados.

Estes números foram revelados por Eduardo Oliveira, que considerou que este é «um problema ambiental gravíssimo, que coloca Famalicão no grupo dos municípios portugueses que mais água perde». Afirmando que «qualquer esforço na poupança da água é sempre de louvar», lamentou, porém, que a Câmara Municipal de Famalicão tenha «promovido uma campanha de notícias» a propósito «de uma poupança de 63 mil metros cúbicos de água resultante da suspensão da rega automática dos jardins e espaços verdes». Eduardo Oliveira fala de números «irrisórios», ao que o presidente da Câmara Municipal respondeu que foi dos primeiros autarcas nacionais a alertar para o problema da seca e, daí, o município ter avançado pela suspensão da rega automática. Sobre as perdas, Mário Passos sinalizou que o sistema está a ser digitalizado para detetar as fugas e que será melhorada a fiscalização para atuar sobre quem subtraia água da rede pública indevidamente.

Ainda nesta área, o vereador socialista vê «os espaços verdes da cidade e morrer por falta de água. É verdade que poupamos na água da rega, mas temos hoje uma Câmara Municipal que não cuida das árvores, dos espaços verdes e dos jardins da nossa cidade». Mário Passos informou Eduardo Oliveira que a desativação da rega automática não foi a única medida implementada, dando o exemplo da plantação de plantas com menos necessidade de rega, a utilização de água pluviais para rega, a ativação de poços, desativados há vários anos, para o mesmo efeito, e a construção de uma represa em Fradelos.

Tudo isto, «a par de uma forte campanha de sensibilização, junto dos famalicenses, para a poupança do consumo de água», relembrou Mário Passos.

8 Comments

  1. A maior parte dos ciganos, não pagam água, metem uma ligação direta que substitui o contador. A câmara sabe disso e não faz nada para contrariar.
    Também existe ligações para roubar energia, mas a EDP também não faz nada.

  2. A maior parte dos ciganos, não pagam água, metem uma ligação direta que substitui o contador. A câmara sabe disso e não faz nada para contrariar.
    Também existe ligações para roubar energia, mas a EDP também não faz nada.

  3. Esta administração nao liga cartucho, passa pelas ruas e olha para o ar, so para nao ver as ruas amontoadas sujas cheias de lixo, que há seis (6) meses que aqui nao passa a vassourara. Faltou o homem que mantinha a cidade a espelhar. Dr. PAULO CUNHA. 👏👏👏👏👏

  4. É fácil quando há uma fuga de água os serviços só aparece 2 dias ou 3 para reparar
    E o problema é que vão para meter remendo não para resolver o problema
    E depois temos as regas automáticas que funcionam no inverno 😂

Famalicão: Já há programa para mais um Festival Teatro Construção

A ATC já tem definido o programa do trigésimo quinto Festival Teatro Construção. De 8 a 30 de outubro, o Centro Cultural de Joane vai receber vários espetáculos, sendo que a abertura, às 21h30 é pelo Chapitô (Lisboa), com “Antígona 3 por 3.5”. No dia seguinte, às 17h30, pela portuense Historioscópios pode ver “A Caixa dos Nove Lados”.

Depois, e até 30 de outubro, o programa é o seguinte:

15 de outubro, 21.30, Curiosidade dos Anjos – Bruxa Teatro (Évora)

16 de outubro, 17.30h, Mãos de Sal – Mandrágora (Espinho)

22 de outubro, 21.30, Primavera – Fértil Cultural (Vila Nova de Famalicão)

23 de outubro, 17.30h, Germinação – Teatro de Montemuro (Castro Daire)

29 de outubro, 21.30, A Visita – Teatro Invisível (Lisboa)

30 de outubro, 17.30h, Lobo Mau – Red Cloud (Aveiro)

O festival também contempla oficinas. No dia 9 de outubro, às 10 horas, Histórias de pais e filhos; na tarde, 15 horas, do dia 19, Dramatização de histórias infantis para profissionais; e, por último, às 10 horas do dia 23 de outubro, há uma oficina Do Pé pra Mão.

 

Famalicão deu mais do que “2 Passos” pela pessoa com Alzheimer

A associação famalicense Casa da Memória Viva (CMV) assinalou, na manhã deste sábado, o Dia Mundial da Pessoa com Doença de Alzheimer.

Uma caminhada de quatro quilómetros, com partida junto aos Paços do Concelho, pelos principais parques da cidade e algumas artérias da União de Freguesias de Vila Nova de Famalicão e Calendário, juntou algumas dezenas de participantes.

Antes da partida, foi guardado um minuto de silêncio pelo famalicenses falecidos durante a pandemia, em particular Carlos Felgueiras, que deixou à CMV livros e postais antigos.

Sensibilizar os famalicenses para os impactos da demência e, ao mesmo tempo, recolher fundos para as suas atividades de informação e capacitação de cuidadores e familiares de pessoas com doença de Alzheimer, foram os objetivos desta jornada solidária, designada “Dê 2 Passos” que vai na segunda edição.

A caminhada arrancou no espaço onde outrora estiveram os Serviços Médico-Sociais da Previdência, paredes-meias com os Paços do Concelho. É este espaço verde que a associação, segundo proposta enviada ao presidente da Câmara Municipal, pretende que passe a ser tratado e usufruído por todos como um jardim, adotando o topónimo de Jardim da Memória.

Mais tarde, numa das paragens, no Parque da Juventude, o presidente da CMV, Carlos Sousa, falou da necessidade de ser criado um Jardim Terapêutico, um espaço proporcionador de um ambiente terapêutico e sensorial para doentes com a patologia de demência, promovendo o bem-estar físico e mental.

O Dia Mundial da Pessoa com Doença de Alzheimer, foi instituído pela Organização Mundial da Saúde em 1994 e que, desde então, ocorre a 21 de setembro.

Carlos Rafael Freitas dos B.V.Famalicão foi o mais rápido do concelho a subir o Bom Jesus

Carlos Rafael Gomes Freitas, dos Bombeiros Voluntários de Famalicão, foi o mais rápido do concelho a fazer a prova “Escadórios da Humanidade”, que se realizou este sábado, no Bom Jesus, em Braga.

A prova juntou centenas de bombeiros de todo o país e não só que tinham como objetivo subir os 566 degraus do Bom Jesus. Para além da dificuldade da prova, acresce o facto de os participantes terem que efetuar o desafio totalmente equipados.

Carlos Rafael Freitas, bombeiro de 2ª classe, com o número 99, cumpriu a prova em 07:29, classificando-se no 53º lugar da geral e 11º do escalão sub-25.

Nesta competição participaram elementos de todas as corporações do concelho de Vila Nova de Famalicão.

Detida em Cabo Verde mulher que matou jovem famalicense de 25 anos em 2016

Foi localizada e detida nas últimas horas, em Cabo Verde, a mulher de 41 anos condenada pela morte do companheiro em 2016.

Hugo Oliveira (na imagem), natural de Vila Nova de Famalicão, foi morto aos 25 anos com gelo seco, pela companheira, num apartamento localizado no Parque das Nações, em Lisboa.

A mulher, professora de profissão na capital, foi condenada a uma pena de 17 anos de prisão, tendo-se colocado em fuga até hoje.

De acordo com a Polícia Judiciária, a detida deverá ser extraditada para Portugal muito em breve.

Mais uma tragédia no Gerês: Jovem de 21 anos morre afogada

Uma jovem de 21 anos morreu, esta sexta-feira à tarde, nas águas do Rio Cávado, em Terras de Bouro, no Gerês.

A vítima, que não é de nacionalidade portuguesa, mergulhou numa zona próxima à Quinta do Agrinho, local onde se encontrava hospedada com colegas.

O alerta para o desaparecimento da jovem foi dado às 16h00 e o corpo resgatado pelas equipas de mergulho cerca das 18h00.

De Vila Nova de Famalicão, nos trabalhos de resgate, esteve envolvida uma equipa dos Bombeiros Voluntários Famalicenses.

 

Mais de 800 bombeiros são desafiados a subir os 566 degraus do Bom Jesus carregados de material

825 bombeiros são desafiados, na manhã deste sábado, a subir os 566 degraus do escadório do Bom Jesus do Monte, em Braga, em mais uma edição da prova “Escadórios da Humanidade”, numa organização da Associação Família de Elite e da ADN – Eventos Desportivos.

Os soldados da paz vão percorrer o escadório em contrarrelógio, com equipamento completo de proteção individual e um desnível de 116 metros, tratando-se este um desafio de enorme complexidade e dificuldade para quem o enfrenta.

Este ano, já da parte da tarde, haverá uma Bênção Nacional de Capacetes, presidida por um padre que também é bombeiro.

Imagem: Sandra Antunes / Braga TV