Famalicão: Colheita de sangue nos BV Famalicenses

A Associação de Dadores de Sangue promove, este domingo, entre as 9 e as 12h30, uma colheita de sangue no quartel dos Bombeiros Voluntários Famalicenses.

A colheita será feita pelo Instituto Português do Sangue e da Transplantação e é aberta à população em geral.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Famalicão: Falha de energia deixa parte do centro da cidade às escuras

Parte do centro da cidade de Vila Nova de Famalicão está, nesta noite de quinta-feira, sem luz.

A falha está a afetar a rede doméstica e pública, concentrando-se na zona envolvente à Câmara Municipal.

O corte deu-se cerca das 21h00 e a situação já terá sido reportada à E-Redes.

Desconhece-se o que terá estado na origem da falha, no entanto, as primeiras previsões apontam para que o problema esteja ultrapassado cerca das 23h30.

Famalicão: Jovens discutiram os valores de Abril com autarcas locais

Esta quarta-feira, a casa da Juventude foi palco do “Meeting Democrático” entre duas dezenas de alunos do 12º ano de escolas famalicenses e Mário Passos, atual Presidente da Câmara Municipal, acompanhado pelos últimos três autarcas do concelho – Paulo Cunha, Armindo Costa e Agostinho Fernandes.

A conversa em torno da importância da democracia, dos valores trazidos pela Revolução, dos direitos e deveres do pós-25 de abril… aconteceu ao longo da tarde, numa iniciativa inserida no programa municipal das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril.

Mário Passos afirma que “é sempre interessante partilhar a nossa experiência, enquanto autarcas, especialmente com os jovens e num ano tão importante como este. É uma forma de os aproximar à vida política e ao poder local, ao mesmo tempo absorvendo a sua visão sobre a política nacional e o impacto do 25 de Abril no nosso país”.

Famalicão: Apoio a obras para famílias carenciadas aumenta para 6 mil euros

O executivo municipal aprovou esta quinta-feira o código regulamentar do programa Casa Feliz, um mecanismo do município que ajuda à realização de obras, até cinco mil euros, a fundo perdido, em casas de pessoas carenciadas.

Há duas alterações de destaque neste regulamento. Por um lado, o teto orçamental para cada família passa de cinco mil para seis mil euros. O presidente da Câmara justifica este incremento com a subida dos preços dos materiais e da mão-de-obra que fizeram aumentar o valor das obras.

A outra alteração diz respeito à abrangência do apoio. Até agora, o programa era apenas para obras, agora passa a abranger também a sustentabilidade energética, permitindo a aquisição de equipamentos mais eficazes para manter as casas mais confortáveis. «Há famílias que, por serem carenciadas, não têm capacidade para melhorar a eficiência energética das suas habitações», realçou o presidente de Câmara, aquando da explicação sobre a alteração ao regulamento deste programa.

Mário Passos destacou, também, a importância do Programa Casa Feliz no apoio às famílias famalicenses mais carenciadas. O autarca lembrou que, por ano, são ajudadas, em média, 40 famílias. O que lhes permite, acrescentou, permanecer nas casas onde já habitavam, «não se desenraizando», e, por outro, reduz a necessidade de habitação pública.

Famalicão: Gala de Fado para tributo e homenagem a Carlos Macedo

A Associação Cultural e Artística Famalicão Fado (ACAFADO) promove, a 17 de maio, uma Gala de Fado de homenagem e tributo a Carlos Macedo. O famalicense, fadista, autor, compositor, intérprete e construtor de guitarra portuguesa está, atualmente, internado na Casa do Artista Amador, em Lisboa. Com 77 anos, Carlos Macedo sofre de Alzheimer.

De entrada livre, o espetáculo decorre na Praça Manuel Sotto Maior (Rua Direita) com as vozes de Pedro Marão, Patrícia Costa, Joaquim Macedo, Lurdes Silva, Mónica Jarimba, Ricardo Freitas e Conceição Guadalupe. O acompanhamento na guitarra portuguesa é de João Martins e Pedro Martins; viola de fado, com João Araújo e Costa Pereira; baixo acústico por Filipe Fernandes.

Esta Gala de Fado conta com o apoio do Município de Famalicão.

 

Famalicão: Delegação da Ordem dos Advogados reforça urgência na criação das Instâncias Centrais Cíveis, Criminal e Instrução Criminal

A Delegação da Ordem dos Advogados de Famalicão reforça, em comunicado, a urgência da criação no Tribunal de VN Famalicão das Instâncias Centrais Cíveis, Criminal e Juízo de Instrução Criminal. Uma reivindicação antiga, novamente reforçada pela recente posição do Juiz Presidente da Comarca de Braga, João Paulo Dias Pereira, no Relatório Anual sobre as necessidades da Comarca. «Tratam-se de argumentos altruístas, do interesse geral da Justiça e da sua boa gestão e administração», consta do comunicado da Delegação, assinado por Liliana do Fundo, com delegação de poderes no assunto das Instâncias Centrais.

Recorde-se que no relatório anual da comarca de Braga, o juiz presidente considera «premente» a criação de um Juízo de Instrução Criminal em Famalicão e sugere a transferência do Juízo Central Criminal, que funciona atualmente em Guimarães, para as «subaproveitadas» instalações do «espaçoso» Tribunal de Famalicão. Esta posição está vertida no mencionado relatório, onde o magistrado sugere que estas alterações façam parte da próxima revisão do mapa judiciário, tendo em vista a «racionalização de meios».

O pedido da Delegação da Ordem tem anos e recolheu, num passado recente, o apoio unânime de advogados, magistrados judiciais das várias Instâncias, do Ministério Público, Oficiais de Justiça e órgãos de gestão da Comarca de Braga. Recolheu, também, o apoio do Conselho Superior da Magistratura. Esta unanimidade encontrou, também, eco junto de todos os partidos na Assembleia Municipal, do presidente da Câmara e da sociedade civil e empresarial.

Todo este contexto, reforça a Delegação da Ordem dos Advogados, «era conhecido e reconhecido», pelo anterior Ministério da Justiça «que acabou por não tomar decisão sobre a mesma». Agora, perante um novo Governo, «torna-se urgente que este dossier seja assumido e colocado em prática, como é reconhecido por aqueles que estão real e altruisticamente interessados na melhor, mais eficaz e mais eficiente Justiça», escreve a advogada Liliana do Fundo.

Em suma, a instalação das Instâncias Centrais Cível, Criminal e Juízo de Instrução Criminal no Tribunal de Famalicão é «um imperativo indeclinável de dever público», sendo um relevante contributo «para a melhoria da administração da Justiça», para a aproximação da mesma aos cidadãos e às empresas, «para evitar custos desnecessários em arrendamentos milionários que os cidadãos pagam sem necessidade». Também pela segurança dos agentes judiciários e dos cidadãos, nota ainda a Delegação.

É esta reivindicação que a Ordem dos Advogados quer ver materializada no Tribunal, reconhecidamente com excelentes condições, sendo um dos melhores e dos mais subaproveitados do país, tal como vincou o Procurador João Paulo Amaro, no dossier da Delegação sobre as Instâncias Centrais em Vila Nova de Famalicão.

Seleção de Boccia Sénior de Famalicão sagra-se bicampeã por equipas

A Seleção de Boccia Sénior de Vila Nova de Famalicão deslocou-se a Amarante, esta quarta-feira, para participar no Campeonato Nacional destinado a equipas da Zona Norte do país, onde participaram no total 88 atletas.

A seleção famalicense esteve representada por duas equipas, com a coordenação técnica do treinador Luís Silva e Vânia Pinheiro. Uma das equipas terminou com uma participação 100% vitoriosa.

Depois da conquista do título de bicampeão individual, no mês de fevereiro deste ano, a Seleção de Boccia Sénior de Famalicão conseguiu agora o bicampeonato por equipas.

O treinador Luís Silva mostra-se satisfeito e destaca o próximo objetivo da equipa, a conquista do tricampeonato nacional, na fase final da competição agendada para o dia 18 de junho.