Famalicão: Concurso para a nova rede de transportes sofre adiamento

O Concurso Público Internacional para a contratação do serviço público de transporte de passageiros sofreu um atraso de dois meses, tempo considerado necessário para dar resposta aos pedidos de esclarecimento e resolver os erros e omissões que foram colocados pelas empresas interessadas no serviço.

O prazo do concurso terminava a dois de julho e passa a vigorar até ao início de setembro.

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão esclareceu, esta quinta-feira, que as Câmaras de Famalicão, da Trofa e Santo Tirso (as entidades adjudicantes) não têm o conhecimento necessário para dar uma resposta mais célere, uma vez que não tem um histórico de transporte público de passageiros, porque o que tem existido não é tutelado pela Câmara. «Temos os consultores a ajudar-nos, mesmo assim, as três Câmaras têm tido alguma dificuldade em promover as respostas no tempo que gostaríamos», explicou Mário Passos.

Com este atraso haverá também um adiamento para o lançamento da rede de transportes. O que se previa é que estivesse em funcionamento ainda no final de 2022, mas será (e a correr bem) no primeiro semestre de 2023.

Até ao início da nova rede de transportes que irá abarcar três municípios (Famalicão, Trofa e Santo Tirso), o serviço é prestado em Famalicão pela Transdev. Mário Passos reconhece a falta de mais carreiras e horários, até porque é uma queixa frequente da população, mas, e até à entrada do novo serviço, adianta que serão feitos ajustes neste período de verão, nomeadamente ao fim de semana.

10 Comments

  1. Será que que isto é alguma surpresa?Tudo o que mexe em Famalicão sofre atrasos e os exemplos são mais do muitos. Já agora porque será que isto acontece em Famalicão com tanta frequência?

  2. Será que que isto é alguma surpresa?Tudo o que mexe em Famalicão sofre atrasos e os exemplos são mais do muitos. Já agora porque será que isto acontece em Famalicão com tanta frequência?

  3. Mais k vergonhoso nao há kem tenha mão….os motoristas fazer o k kerem xegao a central a hora k lhes apetece…..passao nas paragens a hora k lhes entedem…..e o pior de tudo e k vamos tirar satisfação e ainda somos mal tratados pelo senhor k esta no escritório da sentral k tem má educação nao sa ser um ser humano…….se pagamos passe e andamos de autocarro todos dias merecemos ser mais bem tratados…..e mais nao digo..

  4. Mais k vergonhoso nao há kem tenha mão….os motoristas fazer o k kerem xegao a central a hora k lhes apetece…..passao nas paragens a hora k lhes entedem…..e o pior de tudo e k vamos tirar satisfação e ainda somos mal tratados pelo senhor k esta no escritório da sentral k tem má educação nao sa ser um ser humano…….se pagamos passe e andamos de autocarro todos dias merecemos ser mais bem tratados…..e mais nao digo..

  5. É uma vergonha. Querem tirar os automóveis a circular na cidade, mas não têm uma rede de transportes publicos em condições. VERGONHOSO!!!

Famalicão dá palco para aulas de teatro a alunos do 5.º ano

Depois da música e da dança, o teatro passa, também, a fazer do ensino artístico. Atualmente, são 21 os alunos de duas turmas do 5.º ano que vão frequentar, neste ano letivo, o ensino artístico especializado das artes de palco, em regime articulado, numa parceria entre a Câmara Municipal, a ACE- Escola de Artes e os agrupamentos de escola de Pedome e Ribeirão.

Atualmente, o ensino articulado em Famalicão abrange perto de meio milhar de alunos, com a Câmara Municipal a investir uma verba que ultrapassa os 100 mil euros. E sobre o valor afeto ao ensino articulado, o presidente da Câmara Municipal lamenta que o estado português não disponibilize os meios financeiros necessários «para que seja efetivo e para que todos os alunos possam fazer a sua escolha. Vou fazer todas as diligências para que o ensino articulado do Teatro e da Dança também sejam convenientemente apoiados e financiados por parte da tutela»

A apresentação do Curso Básico de Teatro decorreu, na tarde desta terça-feira, na Escola Básica de Pedome. Na ocasião, o presidente da autarquia enalteceu o «enorme contributo» do ensino artístico no enriquecimento do projeto educativo. «Temos alunos mais motivados e a adquirir novas competências através de outras formas de aprendizagem e saber», anotou Mário Passos.

A coordenadora do curso da ACE, Sílvia Correia, fala numa mudança de paradigma que «os pais aceitam e percebem as mais valias que é o seu filho, ao longo de 5 anos, do 5. ao 9.º anos, poder frequentar disciplinas que vão dar conhecimentos técnicos e artísticos, mas também consolidar matérias e tornar mais coeso o currículo».

O Curso Básico de Teatro ocupa atualmente 6 horas da carga horária semanal dos alunos, com as disciplinas de interpretação, improvisação e movimento e técnica vocal.

A promoção do ensino artístico e do ensino articulado continua a ser uma das apostas da Câmara Municipal de Famalicão e aos cursos de Música, promovidos pelo CCM- Centro de Cultura Musical e pela ArtEduca, a autarquia acrescentou ainda o ensino da Dança, em parceria com a Andança, iniciando agora o ensino articulado do Teatro em duas turmas dos agrupamentos de escola de Pedome e Ribeirão.

Famalicão: Academia de Nine quer seniores ativos

A Academia Sénior de Nine está a iniciar um conjunto de atividades para os seus associados.

Por forma a promover o envelhecimento ativo, a Academia tem ao dispor dos seniores aulas de ginástica, à quarta-feira, a partir das 14h30, na Junta de Freguesia. No mesmo espaço e à mesma hora, há treino funcional às segundas-feiras.

Esta sexta-feira, também na sede da autarquia local, decorre um rastreio de Glicemia e Colesterol, às 14h30. A iniciativa é gratuita contempla, palestras sobre hábitos de vida saudável.

Famalicão: Bruno Cunha apresenta linhas da sua Moção Estratégica

Bruno Cunha, candidato à Concelhia do PS de Famalicão, apresenta no dia 1 de outubro, sábado, pelas 18 horas, no salão nobre da Junta de Freguesia de Vermoim, as linhas da sua moção estratégica. Passam pela criação de núcleos em todas as freguesias no espaço de dois anos e aumento do número de secções existentes. «Neste momento existem duas secções, a de Vila Nova de Famalicão que agrega todas as Freguesias e a secção de Riba de Ave. É fundamental aumentar o número de Secções para que o trabalho realizado junto das comunidades seja mais fácil e haja um aumento do número de quadros preparados no Partido, junto das Freguesias», refere Bruno Cunha.

Outra proposta é a criação do gestor de política local que será o responsável pela coordenação de projetos a realizar nas freguesias. A par deste, propõe a criação do gestor da política municipal, para coordenar e ajudar no trabalho realizado pelos vereadores e pelos deputados eleitos na Assembleia Municipal.

No programa de Bruno Cunha está ainda a realização de fóruns descentralizados nas freguesias, com temas «que preocupam as diferentes comunidades». Além da proposta de um Gabinete de Estudos a curto prazo para, que envolva militantes, convidados e população. Este trabalho terminará com a realização de um Fórum Anual denominado “Convenção Autárquica do PS”.

A Moção aponta ainda para uma Assembleia Geral de Militantes para discutir o presente e o futuro. Na opinião de Bruno Cunha, «a escolha do candidato à Câmara Municipal de V.N. Famalicão deve ser um processo de discussão interna que depois deve ser aberto aos militantes e simpatizantes».

Já a pensar numa ação mais governativa, o candidato propõe criar uma equipa de apoio social, para ajudar a encontrar soluções para problemas nesta área.

Bruno Cunha entende que é fundamental a existência de uma equipa de trabalho que dinamize a comunicação do partido para o exterior. «Os militantes do Partido devem receber uma newsletter com informação do trabalho dos vereadores, bem como dos deputados à Assembleia Municipal. Quantos mais militantes dermos a conhecer, mais quadros preparados temos para as eleições autárquicas de 2025», resume.

Esta é a estratégia de Bruno Cunha para tentar ganhar a concelhia de Famalicão do PS, tendo como horizonte as autárquicas de 2025.

Famalicão: Iniciativas no aniversário do Parque da Devesa

O município vai assinalar os dez anos do Parque da Devesa com uma exposição que ilustra como ao longo destes anos a Devesa passou a ser muito mais do que um parque.

“Devesa 10. Muito mais que um parque”, assim se chama a exposição fotográfica que é inaugurada esta quarta-feira, às 17h00, e que vai estar patente na Casa do Território até ao final de janeiro, com entrada livre.

A par da exposição, que pretende demonstrar a íntima ligação deste equipamento à comunidade, individualmente ou de forma coletiva, os primeiros dez anos de vida da Devesa vão também ser comemorados com um vasto programa de atividades agendado para os dias 5, 8 e 9 de outubro, com visitas orientadas, exercício físico, entre outras.

Destaque para uma manhã dedicada ao desporto, com aulas de zumba e yoga, para um EcoMercadinho e para um piquenique no parque, no dia 5 de outubro. Para o dia 8 está marcada a ação de sensibilização “Beatas no Chão? Não!”, às 10h00, e a conferência “Cultura Castreja e a vivência do Sagrado”, às 15h00. No dia 5, às 16h00, e no dia 9, às 09h30, há visitas orientadas pelo parque. Do programa do último dia, 9 de outubro, destaque ainda para o concerto dos Terra Batida, às 18h00, no anfiteatro do parque.

«A Devesa ultrapassou em muito o seu propósito inicial de ser um parque verde urbano, transformando-se num prolongamento do quotidiano dos famalicenses», refere a propósito o presidente da autarquia, Mário Passos, que encara a construção da Devesa «como uma das maiores obras públicas de sempre no município».

O Parque da Devesa, com cerca de 27 hectares, é um local privilegiado de contacto com a natureza, lazer, convívio e desporto.

Famalicão: Nova ala do cemitério de Riba de Ave volta a não poder ser utilizada

A utilização da nova ala do cemitério de Riba de Ave sofreu um novo revés. Esta terça-feira, numa sessão de esclarecimento sobre o processo, que decorreu na sede da Junta de Freguesia, os presentes foram informados que segundo acórdão do Tribunal Central Administrativo do Norte, datado do passado dia 16 de setembro, o processo deve regressar à primeira instância.

O TCA Norte entende que não foi feita prova suficiente na sentença proferida pelo Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga, em setembro de 2021, e que, por isso, o processo deve regressar à primeira instância para produção de prova, nomeadamente, testemunhal e inspeção judicial ao local. Estas explicações foram dadas pelo advogado Durval Tiago Ferreira.

A Junta de Freguesia não concorda com esta decisão e vai interpor Recurso de Revista para o Supremo Tribunal Administrativo, informou, ainda, o advogado.

Recorde-se que o Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga deu razão, em 2021, à Junta de Freguesia de Riba de Ave sobre a utilização da nova ala do cemitério da freguesia. O processo decorre há mais de quatro, período durante o qual não foram enterradas pessoas no espaço de alargamento do cemitério.

Famalicão: Mário Passos cumpre promessa e garante multiusos em Fradelos

A freguesia de Fradelos vai ter um espaço multiusos. A promessa, assumida durante a campanha eleitoral, «será cumprida», garante Mário Passos. O autarca assumiu, ainda, que estão a ser reunidas todas as condições «para se avançar com este projeto de grande importância comunitária».

Na visita a esta freguesia, que decorreu esta segunda-feira, no âmbito da Presidência de Proximidade, a melhoria das acessibilidades para atrair mais investimento empresarial e um novo parque de lazer foram outras prioridades recordadas pelos fradelenses a Mário Passos.

Quanto ao novo parque de lazer, é uma aposta que o líder do executivo municipal também deseja concretizar, estando em estudo o melhor local para a sua instalação.

O fomento do investimento empresarial por via do reforço das acessibilidades, em particular para os veículos pesados, em zonas com indústria fora do perímetro dos polos industriais identificados no concelho, Mário Passos diz que estão a ser analisadas alternativas de acesso «que potenciem o crescimento destas empresas, sem prejuízo para a qualidade de vida da população».

O presidente da Câmara percorreu a freguesia fazendo-se acompanhar por elementos do executivo da autarquia local, tendo visto as intervenções em curso, como é o caso da Rua das Laranjeiras, que está a ser pavimentada, bem como locais de intervenções futuras, nomeadamente, a Rua da Portela e a Rua Lusíada.

Recorde-se que o edil famalicense prossegue o seu périplo pelas freguesias, num programa que visa aproximar os cidadãos ao líder do executivo, numa filosofia de presidência «além portas», alicerçada numa gestão municipal aberta e inclusiva.