Famalicão é o centro das comemorações dos 400 anos do nascimento de Molière

Este sábado, dia 15 de janeiro, celebra-se 400 anos do nascimento de Molière, dramaturgo francês, além de ator e encenador, é considerado um dos mestres da comédia satírica. Para o efeito, a França está mobilizada para assinalar a efeméride a nível mundial e, em Portugal, Vila Nova de Famalicão é o centro destas comemorações, com a realização do Festival de Teatro «400 anos do nascimento de Molière», iniciativa que decorre de 5 a 7 de maio de 2022.

O projeto, que está a ser preparado desde setembro de 2021, arrancou com uma ação de formação, na Casa do Território, que se prolonga por 2022, dirigida a professores de Francês e ministrada pelo formador Jan Nowak («Drameducation – dispositivo 10 sur 10»). Nesta ação estão a ser preparados cerca de duas dezenas de professores do ensino básico, de instituições de ensino da região Norte, que vão encenar com os seus alunos do 3.º ciclo uma das peças de teatro de Molière, na língua francesa, para o Festival de Teatro.

Para além das Escolas do Ensino Básico, também os alunos do Curso de Teatro da ACE Famalicão estão mobilizados para estas comemorações, e vão apresentar um espetáculo baseado numa peça de Molière, nos dias 5 e 6 de maio, na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. Estes mesmos alunos terão oportunidade de participar, previamente, numa masterclass com um ator da Comédie Française.

No dia 7 de maio, decorre no Teatro Narciso Ferreira, com a presença da comunidade escolar, a representação em francês, pelos alunos do 3.º ciclo, das peças selecionadas no âmbito da ação de formação, e onde serão eleitas as três melhores representações pelo júri do festival.

Nesse mesmo dia, à noite, terá lugar o encerramento da iniciativa na Casa das Artes de Famalicão com a representação a solo de um ator da Comédie Française, seguida da atribuição dos prémios às turmas vencedoras, numa cerimónia com representação diplomática e a presença dos parceiros envolvidos.

Esta iniciativa das comemorações dos 400 anos do Nascimento de Molière em Portugal envolve o Município de Vila Nova de Famalicão, o Instituto Francês de Portugal/Embaixada de França em Portugal, a Alliance Française de Guimarães-Braga, o E.Leclerc Famalicão (Culturissimo France), a ACE Famalicão – Escola de Artes, a APPF – Associação Portuguesa de Professores de Francês, o «Drameducation – dispositivo 10 sur 10», o Agrupamento de Escolas D. Sancho I, o Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado e o Agrupamento de Escolas de Gondifelos.

Paralelamente a esta iniciativa, a Casa das Artes de Famalicão associa-se à «Temporada Cruzada França-Portugal 2022», projeto desenvolvido pelos dois países entre fevereiro e outubro do corrente ano, com o objetivo de dinamizar a internacionalização das artes e da cultura portuguesa.

Desta forma, a Casa das Artes de Famalicão promoverá duas estreias nacionais na área da dança contemporânea, ambas em coprodução com o Centro Coreográfico Nacional Malandain Ballet Biarritz: «A Bela Adormecida» de Fábio Lopez da Cie. Illicite – Bayonne e INTRANZYT Cia.® a 4 e 5 fevereiro; e «Triplo» de Kale Companhia de Dança a 18 março, com coreografias de Daniela Cruz (PT), Hamid Bem Mahi (FR) e Igor Calonge (ES).

A Temporada Portugal-França 2022 é organizada em Portugal pelo Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. – Ministério dos Negócios Estrangeiros, e pelo Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais (GEPAC) – Ministério da Cultura, com o apoio da Presidência do Conselho de Ministros e da Embaixada de Portugal em França.

 

 

Este ano já morreram 88 pessoas em meio aquático, o número mais alto dos últimos 5 anos

Portugal registou este ano, até 31 de julho, 88 mortes em meio aquático, um recorde dos últimos cinco anos, informou esta terça-feira a Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores (FEPONS).

Este é o valor mais elevado para os primeiros sete meses do ano desde que o Observatório do Afogamento, da FEPONS, começou a reunir estatísticas, em 2017, destacou a federação.

Segundo um comunicado, 35 mortes ocorreram em mar e 31 em rio, havendo ainda oito óbitos em poços, seis em barragens e três em piscinas domésticas.

Em 2021, também entre janeiro e julho, tinham sido registadas 62 mortes; 57 em 2020 e 2019; 66 em 2018 e 71 em 2017, de acordo com os dados do comunicado divulgado hoje.

Em 3 de agosto, um homem de 77 anos morreu depois de ter entrado em paragem cardiorrespiratória, na água, na praia da Quarteira, no concelho de Loulé, revelou a Autoridade Marítima Nacional (AMN).

Em 12 de julho, o Observatório do Afogamento tinha divulgado o relatório relativo ao primeiro semestre, revelando que as vítimas são sobretudo homens (72,1%) e as fatalidades verificam-se em locais não vigiados (97,15%).

A federação verificou um aumento dos óbitos nas idades mais jovens, até aos 24 anos, e que a maioria das vítimas mortais estava a tomar banho (26,5%), mas que 5,9% encontrava-se a passear junto à água ou a pescar.

Federação Portuguesa de Nadadores-Salvadores apela a uma “urgente revisão da legislação”

“Num momento em que se está a registar uma enorme dificuldade na contratação de nadadores-salvadores, e num momento em que as temperaturas vão subir, estas conclusões preocupam a FEPONS, que apela à classe política uma urgente revisão da legislação deste setor”, pode ler-se no relatório.

Em 19 de julho, a AMN e a Direção-Geral da Saúde (DGS) associaram-se para sensibilizar a população portuguesa para os cuidados a ter nas praias com a campanha “Juntos Por Um Verão Mais Seguro”.

Para minimizar o número de acidentes durante a época balnear 2022, a AMN e a DGS recomendam que se vigie permanentemente as crianças, a frequentar praias vigiadas, utilizar calçado adequado nos acessos à praia e na utilização de apoios balneares e respeitar a sinalização das praias.

Recomendam igualmente às pessoas que se mantenham hidratadas, a tomar refeições ligeiras, a respeitar os períodos de digestão, a evitar as horas de maior exposição solar (11:00 — 17:00), usar protetor solar, a não se aproximarem de arribas instáveis e respeitar as indicações dos nadadores-salvadores, dos agentes da autoridade e dos elementos que reforçam a vigilância nas praias.

Famalicão: População alerta para fogo em zona de mato na freg. de Portela com início às 03h da manhã

As três corporações de bombeiros do concelho foram alertadas, na madrugada desta terça-feira, para uma situação de incêndio florestal na freguesia de Portela, em Vila Nova de Famalicão.

O fogo começou a ser avistado por volta das 03h00 da manhã, numa zona de mato nas proximidades da Avenida do Paço.

A situação ficou rapidamente controlada graças à intervenção dos soldados da paz.

Não há registo de feridos.

Quase 5 mil pessoas passaram pelo FAMAFOLK

“Um verdadeiro sucesso”. É este o balanço traçado pelo diretor do FAMAFOLK, o Festival Internacional de Folclore de Famalicão que no último fim de semana trouxe o ritmo, as cores e a alegria da etnografia nacional e internacional até ao concelho famalicense.

“Os famalicenses aderiram ao convite lançado pela organização do festival e deixaram-se envolver. O feedback do público e dos grupos participantes é muito positivo e não podíamos estar mais satisfeitos”, refere Ricardo Carneiro que se despede desta edição do FAMAFOLK já a pensar na edição do próximo ano. “Queremos fazer mais e melhor e para isso já estamos a trabalhar na próxima edição do festival”.

Recorde-se que este ano o certame organizado pelo Grupo Etnográfico Rusga de Joane reuniu em palco perto de meio milhar de folcloristas, com destaque para a participação dos grupos internacionais Compañía de Danzas de Funza, da Colômbia, Compañía Mexicana de Danza Folklorica, do México, Folklore Ensemble Bystry, da Polónia, e Escola de ball de bot DIT I FET, de Espanha.

Os três espetáculos do festival – Paços do Concelho de Famalicão, Largo da Igreja de Riba de Ave e Parque da Ribeira de Joane – ficaram marcados por muita alegria em palco e casa cheia na plateia.

Participaram ainda no FAMAFOLK o Grupo Etnográfico de São Tiago da Cruz, o Grupo Etnográfico Rusga de Joane, o Rancho Folclórico São Martinho de Brufe e o Grupo Folclórico da Casa do Povo de Santa Cruz do Bispo, de Matosinhos.

Refira-se que a organização contou com o apoio do Município de Famalicão, das Juntas de Freguesia de Joane e Riba de Ave, da Federação do Folclore Português, da Fundação INATEL, Associação CIOFF Portugal e Escola Secundária Padre Benjamim Salgado.

O F.C.Famalicão recebe o S.C.Braga esta sexta-feira e já há bilhetes à venda

Na segunda jornada do campeonato, o Futebol Clube de Famalicão recebe o Sporting Clube de Bragal. A partida está marcada para as 20h15 da próxima sexta-feira e os bilhetes já estão à venda.

Até quarta-feira a venda é exclusiva a sócios com quota 7 regularizada.

O ingresso custa 5 euros e também pode ser comprado no dia do jogo, na bilheteira do estádio junto à bancada Placard.pt.