Famalicão: Junta de Vermoim promove orçamento participativo com 5 mil euros para a melhor proposta

A Junta de Freguesia de Vermoim promove o Orçamento Participativo, que apela à participação dos cidadãos na gestão da freguesia.

O tema deste ano é o meio ambiente, com uma verba de cinco mil euros para o projeto mais votado. O projeto vencedor será implementado pela autarquia local em colaboração com o proponente.

Podem participar no Orçamento Participativo de Vermoim os cidadãos maiores de 16 anos, residentes na freguesia; podem fazê-lo a título individual ou em grupo de cidadãos, através do preenchimento do formulário de candidatura no portal do Orçamento Participativo em www.op.terrasdevermoim.com, ou presencialmente na Junta de Freguesia, no horário de atendimento, até ao dia 15 de maio.

Com esta iniciativa, a Junta de Freguesia de Vermoim pretende promover uma participação ativa dos vermoinenses na definição das políticas públicas locais. Os cidadãos residentes em Vermoim terão a oportunidade de desenvolver projetos participativos e de decisão em matérias que podem contribuir para o desenvolvimento da comunidade.

Recorde-se que o Orçamento Participativo tem a finalidade de aproximar os cidadãos à causa pública, de estimular a participação democrática e a responsabilidade pública.

Alerta da ONU: “Gravidade da seca em Portugal é impressionante”

Portugal atravessa uma seca “impressionante” e precisa de melhorar a eficiência do uso da água, nomeadamente no setor da agricultura, alertou hoje o relator especial para os Direitos Humanos e o Meio Ambiente das Nações Unidas (ONU).

“A gravidade da seca em Portugal é realmente impressionante. Quando viajámos pelo país, foi realmente devastador ver como a paisagem está seca após estes muitos meses de seca”, afirmou David Boyd, numa conferência de imprensa realizada no Oceanário de Lisboa, sublinhando: “Podemos usar a água de forma muito mais eficiente, seja em eletrodomésticos ou em sistemas industriais que reciclam e reutilizam a água em circuito fechado”.

De acordo com o especialista da ONU, o maior utilizador de água em Portugal é o setor agrícola, sendo ainda importante, “dadas as circunstâncias atuais” no país, apostar em tipos de culturas que requerem menos água para o seu desenvolvimento.

“Precisamos de encontrar formas de utilizar a água de forma muito mais eficiente na agricultura e as suas soluções tecnológicas, como a irrigação gota a gota, que pode custar mais do que a irrigação convencional, mas que é muito mais amigável do ponto de vista da eficiência hídrica”, argumentou.

David Boyd abordou ainda a possível reciclagem de água em algumas cidades portuguesas, ao notar a existência de tecnologias que podem purificar para o consumo ou, em última instância, para a sua utilização na produção agrícola.

Confrontado sobre a escassez de água no futuro e os riscos de possíveis racionamentos no consumo de água em alguns pontos do país, David Boyd defendeu que a instalação de dessalinizadoras não será a melhor resposta: “Usar a água com muito mais eficiência será uma solução menos cara e menos prejudicial ao meio ambiente do que a dessalinização. A dessalinização tem custos muito elevados, também requer energia e produz resíduos”.

Simultaneamente, o relator especial para os Direitos Humanos e o Meio Ambiente da ONU alertou para a importância de melhorar os sistemas de abastecimento de água – quer ao nível de água potável, quer nos sistemas de águas residuais – dentro das cidades perante a elevada quantidade de desperdício através de fugas.

“Garantir que essa infraestrutura é monitorizada e alvo de uma manutenção regular é uma peça essencial do puzzle, porque isso é água que está a ser desperdiçada”, sentenciou.

A visita de David Boyd incluiu contactos com representantes do Governo, das autoridades nacionais, das autarquias locais, da sociedade civil, das empresas, do mundo académico, de jovens, de agências da ONU e outros especialistas. O relatório completo desta missão será apresentado apenas em março de 2023 ao Conselho dos Direitos Humanos da ONU.

Governo decide: Luzes de natal nos espaços públicos só até às 00h00

Neste natal e ano novo, a iluminação pública alusiva à quadra natalícia terá que ser ajustada aos horários definidos pelo governo, como medida para a poupança de energia.

Assim, as luzes de natal só poderão funcionar das 18h00 às 24h00.

A medida faz parte de uma resolução do Conselho de Ministros, publicada esta terça-feira em Diário da República. Dela fazem parte outras regras relacionadas, por exemplo, com a climatização dos espaços.

Fonte: O Minho

Famalicão: Homem detido por condução ilegal

A PSP deteve, esta segunda-feira, pelas 17H15, um homem, de 43 anos, que conduzia veículo automóvel sem carta de condução.

A detenção ocorreu na Rua da Estação, na cidade de Famalicão.

Luto: Faleceu o Professor famalicense Álvaro Vasconcelos

Faleceu, nesta segunda-feira, vítima de doença súbita, aos 83 anos, o Professor Álvaro Vasconcelos.

O docente, nos últimos anos, deu aulas da disciplina de história na Escola Secundária Camilo Castelo Branco. Foi professor e investigador com uma das carreiras mais longas em Vila Nova de Famalicão, tendo marcado várias gerações de famalicenses.

Não haverá cerimónia religiosa, no entanto, o corpo estará em câmara ardente esta quinta-feira das 9h às 14h na capela da antiga Matriz.

 

Famalicão: Bombeiros recebem alerta para incêndio habitacional

Os Bombeiros Voluntários Famalicenses foram, na tarde desta terça-feira, alertados para uma situação de incêndio habitacional.

O alerta para a ocorrência, na Rua do Príncipe Real, foi dado cerca das 13h30 e para o local foram mobilizadas duas viaturas com oito operacionais.

De acordo com fonte do socorro, a situação ficou circunscrita a um utensílio de cozinha, localizado num anexo de habitação.