Famalicão: Projeto EnvolvAr-te é finalista em prémio internacional

O projeto “EnvolvAr-te”, promovido pela Câmara Municipal de Famalicão em parceria com o Instituto Nacional das Artes do Circo (INAC) é um dos finalistas do prémio Cidades Educadoras para Boas Práticas de Inclusão e Democratização da Cultura.

O Município ficou entre os dez finalistas deste prémio e vai participar na cerimónia de entrega dos prémios, a realizar no dia 25 de março.

Através das artes circenses e da sua capacidade de estímulo à liberdade, o “EnvolvAr-te” procura envolver e integrar cidadãos portadores de deficiência do concelho numa missão artística de novos desafios, culminando a cada ano de trabalho com um espetáculo.

O prémio Cidades Educadoras para Boas Práticas de Inclusão e Democratização da Cultura, instituído pela Associação Internacional de Cidades Educadoras, vai na sua terceira edição e desta vez foram enfatizadas boas práticas de promoção do acesso à cultura, a contribuição e a participação de todas as pessoas (especialmente dos grupos mais vulneráveis) na vida cultural da cidade como forma de inclusão. O projeto famalicense é um dos 58 nomeados de 50 cidades membro em 13 países e 4 continentes

Taça de Portugal conquistada pelo Desp. Aves em 2018 está a ser leiloada

Na sequência do processo de insolvência da SAD, o troféu mais importante da história do Desportivo das Aves está a ser leiloado.

O leilão está a ser gerido pelo Tribunal Judicial da Comarca do Porto.

Atualmente o Troféu da Taça de Portugal está a ser licitado por 1.600 euros (última licitação).

 

Estudo: População confia nos médicos e desconfia cada vez mais dos políticos

As profissões de médicos e cientistas são aquelas em que a grande maioria da população mais confia. Do outro lado da tabela estão os governantes e os políticos, respetivamente. Numa sondagem do Instituto Ipsos, e de acordo com o relatório divulgado, os homens e mulheres ligados à política são os menos credíveis.

Atendendo aos números divulgados, médicos e cientistas estão muito bem cotados, com uma preferência em termos de confiança de 59% e 57%, sendo que governantes e políticos surgem na ‘cauda’, com 16% e 12%.

É na Espanha que os médicos têm o índice de maior confiança, com um total de 71%, ao passo que, nos países onde o estudo foi desenvolvido, os polacos têm mais reservas quanto aos clínicos, com apenas 39%.

No que diz respeito então aos políticos, os indianos são os que mais aprovam esta profissão, com um total de 28%, ao passo que Japão, Polónia, Chile, Hungria e Perú foram aqueles que mais torceram o nariz a esta profissão, com 7%.

Este estudo, registe-se, foi realizado em 28 países, concretamente na Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, China, Colômbia, Dinamarca, França, Alemanha, Grã-Bretanha, Hungria, Índia, Itália, Japão, Malásia, México, Holanda, Peru, Polônia, Arábia Saudita, África do SUl, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Turquia e Estados Unidos.

Seguradoras estimam pagar oito milhões de euros em indemnizações por causa dos incêndios

As conclusões do inquérito aos associados, hoje divulgadas em comunicado da APS, indicam ainda que Leiria foi o distrito com mais sinistros participados, mas os sinistros que envolvem maiores prejuízos foram participados nos distritos de Faro e de Aveiro.

A quase totalidade dos prejuízos reportados diz respeito a seguros de multirrisco, tanto de comércio e indústria (49%) como de habitação (37%).

“A situação que o país atravessou recentemente, e a frequência cada vez maior dos eventos climáticos que estão na sua origem, reforçam a importância do seguro enquanto elemento de mitigação das perdas sofridas e fator de estabilidade da vida das pessoas e das empresas”, afirmou o presidente da APS, José Galamba de Oliveira, em comunicado.

O ano de 2022, segundo dados até 31 de julho do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), foi o quinto valor mais elevado em número de incêndios e o terceiro valor mais elevado de área ardida, desde 2012.

O mês de julho é este ano o que apresenta maior número de incêndios rurais, 40% do total, sendo também o mês de mais área ardida, 46.996 hectares, o que representa 81% de toda a área ardida registada este ano.

Os cinco maiores incêndios deste ano ocorreram todos no mês de julho, sendo o que consumiu mais área foi o que deflagrou no concelho de Murça, Vila Real, em 17 de julho (7.058 hectares). Segue-se o incêndio de Pombal, Leiria, com 5.126 hectares de área ardida (em 08 de julho).

Em terceiro lugar o incêndio de Chaves, Vila Real, de 15 de julho, com 3.368 hectares ardidos, depois Carrazeda de Ansiães, Bragança, em 07 de julho, com 3.330 hectares ardidos, e Ourém, Santarém, também em 07 de julho, que consumiu 2.936 hectares.

Manuais Escolares: Já pode pedir os vales para os livros do 5.º, 6.º, 7.º, 9.º, 10.º e 12.º anos de escolaridade

Começam a ser emitidos a partir desta terça-feira os vales para levantamento gratuito de livros escolares para os 5.º, 6.º, 7.º, 9.º, 10.º e 12.º anos de escolaridade, tal como foi anunciado pelo ministério da Educação.

Para se ter acesso a esta funcionalidade, é obrigatório o registo dos encarregados de educação na Plataforma MEGA.