Famalicão: PSP encerra estabelecimento com 10 pessoas no interior

A PSP de Famalicão encerrou, esta semana, um estabelecimento (casa de espetáculos), em Calendário, na Rua Cónego Manuel Oliveira Veloso, que estava a funcionar, tendo no seu interior 10 clientes. Deste modo, proprietário e clientes estavam em incumprimento das medidas impostas pelo estado de emergência em vigor.

Foi elaborado o auto de notícia por desobediência ao proprietário do estabelecimento e levantados autos de contraordenação aos clientes por desrespeito ao dever geral de recolhimento obrigatório, em virtude de não ter motivo justificativo para a sua permanência naquele local.

O Comando Distrital da PSP de Braga recorda que com o novo regime legal, os cidadãos fiscalizados em incumprimento poderão proceder ao pagamento da coima pelo montante mínimo no momento da fiscalização. As pessoas que pretendam realizar esse pagamento posteriormente, verão o montante da coima acrescido de custas processuais (no valor mínimo de 51€) e o valor da sanção será adequado ao grau de responsabilidade apurado no decurso do processo, situando-se a coima entre os valores mínimo e máximo previstos na legislação (200€ a 1000€ no caso das pessoas singulares, punidas a título de dolo).

 

Braga: Cadáver encontrado na praia fluvial de Prado

O corpo de uma pessoa foi retirado, esta tarde, do rio da praia fluvial de Prado, em Braga.

Segundo avança o Correio da Manhã, o alerta foi dado às 16h54 e o cadáver foi retirado da água pelos Bombeiros Sapadores de Braga.

O Minho acrescenta que a corpo é de uma mulher de 50 anos.

Desconhecem-se as causas da morte.

Famalicão: Já há programa para mais um Festival Teatro Construção

A ATC já tem definido o programa do trigésimo quinto Festival Teatro Construção. De 8 a 30 de outubro, o Centro Cultural de Joane vai receber vários espetáculos, sendo que a abertura, às 21h30 é pelo Chapitô (Lisboa), com “Antígona 3 por 3.5”. No dia seguinte, às 17h30, pela portuense Historioscópios pode ver “A Caixa dos Nove Lados”.

Depois, e até 30 de outubro, o programa é o seguinte:

15 de outubro, 21.30, Curiosidade dos Anjos – Bruxa Teatro (Évora)

16 de outubro, 17.30h, Mãos de Sal – Mandrágora (Espinho)

22 de outubro, 21.30, Primavera – Fértil Cultural (Vila Nova de Famalicão)

23 de outubro, 17.30h, Germinação – Teatro de Montemuro (Castro Daire)

29 de outubro, 21.30, A Visita – Teatro Invisível (Lisboa)

30 de outubro, 17.30h, Lobo Mau – Red Cloud (Aveiro)

O festival também contempla oficinas. No dia 9 de outubro, às 10 horas, Histórias de pais e filhos; na tarde, 15 horas, do dia 19, Dramatização de histórias infantis para profissionais; e, por último, às 10 horas do dia 23 de outubro, há uma oficina Do Pé pra Mão.

 

Famalicão deu mais do que “2 Passos” pela pessoa com Alzheimer

A associação famalicense Casa da Memória Viva (CMV) assinalou, na manhã deste sábado, o Dia Mundial da Pessoa com Doença de Alzheimer.

Uma caminhada de quatro quilómetros, com partida junto aos Paços do Concelho, pelos principais parques da cidade e algumas artérias da União de Freguesias de Vila Nova de Famalicão e Calendário, juntou algumas dezenas de participantes.

Antes da partida, foi guardado um minuto de silêncio pelo famalicenses falecidos durante a pandemia, em particular Carlos Felgueiras, que deixou à CMV livros e postais antigos.

Sensibilizar os famalicenses para os impactos da demência e, ao mesmo tempo, recolher fundos para as suas atividades de informação e capacitação de cuidadores e familiares de pessoas com doença de Alzheimer, foram os objetivos desta jornada solidária, designada “Dê 2 Passos” que vai na segunda edição.

A caminhada arrancou no espaço onde outrora estiveram os Serviços Médico-Sociais da Previdência, paredes-meias com os Paços do Concelho. É este espaço verde que a associação, segundo proposta enviada ao presidente da Câmara Municipal, pretende que passe a ser tratado e usufruído por todos como um jardim, adotando o topónimo de Jardim da Memória.

Mais tarde, numa das paragens, no Parque da Juventude, o presidente da CMV, Carlos Sousa, falou da necessidade de ser criado um Jardim Terapêutico, um espaço proporcionador de um ambiente terapêutico e sensorial para doentes com a patologia de demência, promovendo o bem-estar físico e mental.

O Dia Mundial da Pessoa com Doença de Alzheimer, foi instituído pela Organização Mundial da Saúde em 1994 e que, desde então, ocorre a 21 de setembro.

Carlos Rafael Freitas dos B.V.Famalicão foi o mais rápido do concelho a subir o Bom Jesus

Carlos Rafael Gomes Freitas, dos Bombeiros Voluntários de Famalicão, foi o mais rápido do concelho a fazer a prova “Escadórios da Humanidade”, que se realizou este sábado, no Bom Jesus, em Braga.

A prova juntou centenas de bombeiros de todo o país e não só que tinham como objetivo subir os 566 degraus do Bom Jesus. Para além da dificuldade da prova, acresce o facto de os participantes terem que efetuar o desafio totalmente equipados.

Carlos Rafael Freitas, bombeiro de 2ª classe, com o número 99, cumpriu a prova em 07:29, classificando-se no 53º lugar da geral e 11º do escalão sub-25.

Nesta competição participaram elementos de todas as corporações do concelho de Vila Nova de Famalicão.

Braga: Idosa em estado grave depois de ser atropelada no estacionamento do lar

Uma mulher, com 92 anos de idade, ficou gravemente ferida depois de ser atropelada por um carro, no estacionamento do lar que frequenta, em Nogueira, Braga.

Segundo avança o Correio da Manhã, a idosa estava, por motivos que ainda não foram explicados, deitada no chão, no momento em que foi atropelada por uma viatura.

O alerta para a ocorrência foi dado pouco depois das 11h00 e o socorro esteve a cargo dos Bombeiros Sapadores de Braga, acompanhados pela VMER local.

 

Papa Francisco deixa aviso: “A terra está a arder” e “maquilhar” não chega

O Papa Francisco disse hoje que “a terra está a arder” e pediu a milhares de jovens para questionarem o atual modelo de desenvolvimento económico, de forma a garantir a sustentabilidade ambiental, noticia a agência Efe.

O apelo de Francisco foi feito esta manhã durante uma conferência que decorre na cidade italiana de Assis, no centro do país, e que juntou cerca de um milhar de jovens economistas e empresários.

“Existem muitas pessoas, empresas e instituições que estão a fazer uma conversão ecológica. Devemos avançar por esse caminho e fazer ainda mais. Não basta apenas maquilhar. Temos de questionar o modelo de desenvolvimento” afirmou o Papa, enfatizando que “a terra arde hoje e que deve ser hoje que a devemos mudar”.

A conferência, designada “A economia de Francisco”, partiu de uma ideia do Papa de levar a cabo um processo de diálogo inclusivo e uma transição para um novo modelo económico “mais justo”.

Depois de ouvir numerosos testemunhos de alguns jovens, Francisco pediu união, sublinhando que só isso permitirá “fazer grandes coisas”, até mesmo “mudar um sistema enorme e complexo como é a economia mundial”.

O chefe de Estado do Vaticano referiu-se também à “incapacidade do mundo de proteger o planeta e a paz”, defendendo a necessidade de transformar uma “economia que mata” numa que “dê vida”, propondo uma nova visão para o ambiente e para a terra.

“Se falamos de transição ecológica, não faz sentido mantermo-nos dentro de um paradigma económico do século XX que roubou recursos naturais e terra”, disse o Papa.

“É o momento para abandonar as fontes de energia fósseis, de forma a acelerar o desenvolvimento de fontes com um impacto zero ou positivo”, apontou.

No seu discurso, Francisco defendeu também a necessidade de “melhorar as relações sociais, sobretudo no ocidente, onde estas “são cada vez mais frágeis e fragmentadas pelo consumismo”.

Assim, lançou o desafio de se colocar “a pobreza no centro de uma nova economia que deve olhar para o mundo a partir dos mais frágeis”.