Famalicão: Tentativa de burla com venda de perfumes

Na tarde desta quarta-feira, junto ao campo da feira, uma mulher foi interpelada por dois homens que, alegadamente, lhe queriam vender perfumes, trazendo consigo um terminal de multibanco.

Dentro do carro, a mulher apercebeu-se da aproximação dos indivíduos que se apresentaram como representantes de uma loja que iria abrir em Famalicão e que, por isso, estavam a fazer uma campanha promocional. Desconfiada dos intentos destes alegados vendedores, a mulher fechou o vidro do veículo. De imediato, os homens saíram do local.

O marido reportou a situação às autoridades e comunicou o sucedido junto de responsáveis do espaço comercial onde, alegadamente, seria aberta a loja de perfumes. Soube, por este contacto, que tal não correspondia à verdade, podendo, por isso, tratar-se de uma burla.

 

Governo anuncia: Linha de alta velocidade vai permitir viagens Porto – Lisboa em cerca de 1 hora

O governo lançou, esta quarta-feira, o projeto da nova linha de alta velocidade entre Porto e Lisboa.

Os primeiros dados revelados dão conta que vai ser possível viajar entre as duas principais cidades do país em apenas 1 hora e 15 minutos, no serviço direto, ou seja, sem paragens.

A construção / implementação deste serviço acontecerá por partes. A primeira, que passa pela construção do troço entre Porto e Soure, deve arrancar em 2028.

A ligação entre Porto e Lisboa só deverá estar pronta depois de 2030.

 

Famalicão: Mário Passos cumpre promessa e garante multiusos em Fradelos

A freguesia de Fradelos vai ter um espaço multiusos. A promessa, assumida durante a campanha eleitoral, «será cumprida», garante Mário Passos. O autarca assumiu, ainda, que estão a ser reunidas todas as condições «para se avançar com este projeto de grande importância comunitária».

Na visita a esta freguesia, que decorreu esta segunda-feira, no âmbito da Presidência de Proximidade, a melhoria das acessibilidades para atrair mais investimento empresarial e um novo parque de lazer foram outras prioridades recordadas pelos fradelenses a Mário Passos.

Quanto ao novo parque de lazer, é uma aposta que o líder do executivo municipal também deseja concretizar, estando em estudo o melhor local para a sua instalação.

O fomento do investimento empresarial por via do reforço das acessibilidades, em particular para os veículos pesados, em zonas com indústria fora do perímetro dos polos industriais identificados no concelho, Mário Passos diz que estão a ser analisadas alternativas de acesso «que potenciem o crescimento destas empresas, sem prejuízo para a qualidade de vida da população».

O presidente da Câmara percorreu a freguesia fazendo-se acompanhar por elementos do executivo da autarquia local, tendo visto as intervenções em curso, como é o caso da Rua das Laranjeiras, que está a ser pavimentada, bem como locais de intervenções futuras, nomeadamente, a Rua da Portela e a Rua Lusíada.

Recorde-se que o edil famalicense prossegue o seu périplo pelas freguesias, num programa que visa aproximar os cidadãos ao líder do executivo, numa filosofia de presidência «além portas», alicerçada numa gestão municipal aberta e inclusiva.

Famalicão: Comunidade LGBTQIAP+ acusa Câmara Municipal de fingir preocupar-se com os direitos humanos

Em comunicado, o Grupo de Apoio a Pessoas Queer e a Comissão Organizadora da Marcha LGBTQIAP+ de Famalicão acusam o executivo municipal de «incompetência no que se trata à luta pela defesa dos direitos humanos». Esta posição resulta da consulta do Plano Municipal para Igualdade e Não Discriminação, que consideram «escasso, insuficiente e limitador, pois não abrange todas as temáticas envolventes aos direitos humanos. Excluindo grupos minoritários», acusa Diogo Barros, porta-voz do GAPQ e da Comissão Organizadora da Marcha LGBTQIAP+.

Diogo Barros lamenta, ainda, que a Câmara Municipal, «se recuse conversar com o GAPQ, o único movimento LGBTI+ em Famalicão». Aponta, também, que os dois grupos «não foram convidadas a participar na elaboração do Plano Municipal, nem na sessão de apresentação» que decorreu na manhã desta terça-feira, na Casa das Artes.

O Grupo de Apoio a Pessoas Queer entende que a sua exclusão, «comprova que este Plano Municipal para a Igualdade e Não Descriminação é apenas uma jogada política e não uma tentativa de resolver problemas reais e estruturais». Já a Comissão Organizadora da Marcha LGBTQIAP+ de Famalicão, considera que há uma necessidade crescente de combater a discriminação e o ódio, «mas não será com este executivo que este caminho será feito».

Famalicão: Curso solidário de primeiros socorros a animais de companhia

A Associação Portuguesa de Busca e Salvamento realiza, a 20 de novembro, um curso de Primeiros Socorros a Animais de Companhia. A inscrição tem um custo de 30 euros e a verba angariada reverte para a requalificação de postos de saúde das aldeias da Guiné-Bissau onde a Humanitave – Associação de Emergência Humanitária trabalha.

O curso, de 8 horas, decorre no auditório Casa de Camilo, em Seide S. Miguel. Durante a formação serão ministrados conhecimentos e protocolos de atuação ao nível do socorro pré-hospitalar animal, designadamente casos clínicos, sinais e sintomas que podem ser encontrados perante situações de emergência, bem como os solucionar ou os amenizar.

Este curso é aberto a bombeiros, médicos, enfermeiros, veterinários, auxiliares de veterinária, Groomers, forças da segurança, elementos de associações de proteção e defesa animal e civis.

Inscrições, até 10 de novembro, através dos seguintes contactos: apbsalvamento@hotmail.com 938185935

Famalicão: Congresso reúne especialistas em emergência hospitalar

A CESPU – Instituto Politécnico de Saúde do Norte, CHMA – Centro Hospitalar do Médio Ave e VMER do CHMA organizam, no dia 1 de outubro, no auditório da CESPU, o II Congresso Internacional Up To Date Emergência, para o qual estão convidados vários oradores.

Para a sessão de abertura, pelas 10 horas, foram convidados o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, o presidente do Conselho de Administração do CHMA, o presidente da CESPU e o coordenador da VMER do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Durante o dia estarão em análise diversos temas, como “A” – Via Aérea; um painel sobre as Multivítimas; ao início da tarde debate sobre o “Doente agitado em emergência”; “Ecografia em emergência: um novo paradigma na avaliação do doente agudo.

Pelas 16 horas está marcada uma mesa redonda sobre “Emergência, com risco, com responsabilidade. Risco na tomada de decisão – como evitar erros. A legalidade de comportamentos e atuações – como gerir conflitos em emergência? Será que sabes ler artigos?”. É moderadora Marta Marques, da Cidade Hoje. São palestrantes: Marta Ferreira, Pedro Miguel Silva, Isabel Araújo e Durval Ferreira.

A sessão de encerramento está prevista para as 17h30.

 

Famalicão: Município quer continuar a combater a discriminação

O Município de Famalicão apresentou esta terça-feira, dia 27 de setembro, o Plano Municipal para a Igualdade e Não Discriminação, que aponta para a aplicação de três dezenas de medidas. A sessão, que decorreu na Casa das Artes, contou com representantes de escolas e instituições, juntas de freguesia, forças policiais e responsáveis municipais.

Esta sessão de apresentação do Plano foi acompanhada com tradução pela língua gestual. Aliás, o braile e a língua gestual são instrumentos de comunicação que o município de Famalicão quer tornar mais frequentes para combater a discriminação.

O Plano contém muitas outras medidas, desde campanhas de sensibilização, regulamentos, eliminação de barreiras físicas, ajudas técnicas para os cidadãos portadores de deficiência e prémios.

«Já vínhamos fazendo uma sensibilização para esta igualdade de oportunidades que tem que existir entre homens e mulheres. A única coisa a ser distinguida são as qualificações, tarefas e as funções e não o sexo ou a raça da pessoa», realça o presidente da Câmara, em declarações aos jornalistas no final da palestra de apresentação do Plano.

Além das medidas já referidas, o autarca famalicense defende o cumprimento da escolaridade obrigatória como um requisito importante para atingir a igualdade de oportunidades. «Vou estar atento a isso porque não quero que, por via da falta de escolaridade, as pessoas tenham menos oportunidades», referiu Mário Passos.

Ao nível da não discriminação, o edil quer também campanhas de sensibilização e medidas que ajudem a combater algum tipo de discriminação a nacionais ou estrangeiros. «O concelho tem que ser para todos», recordando que Famalicão conta já com cidadãos de 27 nacionalidades.

O presidente da Câmara considera que também na área da Igualdade e Não Discriminação o município de Famalicão é uma referência nacional. No entanto, apesar de reconhecer que muito já foi feito, reconhece que ainda há trabalho a fazer. «Não estamos satisfeitos porque não atingimos os 100%», por isso diz que é preciso continuar a trabalhar para melhorar. «Não entendo que avôs/avós, pais/mães, que temos filhos/filhas ou netos/netas, a quem damos a melhor educação que sabemos e podemos, e depois hajam outros que, porventura, os discriminem», frisa.