Famalicenses sem reações graves após toma da vacina contra a covid-19

O ACES (Agrupamento de Centros de Saúde) confirma que os utentes têm reagido bem à toma da vacina contra a covid-19. O diretor do ACES, Sá Machado, confirma algumas reações, mas adianta que são expectáveis e perfeitamente controláveis. «E, às vezes, a idade não quer dizer tudo», descreve. Significa que uma pessoa com 50 anos pode ter reações e um idoso com mais de 90 anos não sentir nada.

O diretor do ACES revela que há pessoas de idade avançada que recusam a vacina, o que estão no seu direito; no oposto, alguns idosos mostram ansiedade pela toma da vacina.

No entanto, Sá Machado assegura que haverá vacinas para todos, só «que não com a cadência que desejávamos», ou seja, as vacinas estão a chegar, semana a semana, e o planeamento está a ser feito. Um dos grupos são os idosos com mais de 80 anos, para a vacina da Pfizer; outro grupo são as pessoas entre 50 e 65 anos e com doenças, que recebem a vacina da Astrazeneca. Esta vacina não está a ser administrada a pessoas com mais de 65 anos.

Por isso, é que pessoas com menos de 65 anos já receberam a vacina e outros com mais de 90 anos ainda não. Porque são vacinas diferentes.

Contudo, espera Sá Machado, se o ritmo da entrega de vacinas acontecer conforme o previsto, a grande maioria dos idosos (mais de 80 anos) e as pessoas entre 50 e 65 anos com doenças graves estarão vacinadas até final de março.

O diretor do ACES deixa uma mensagem: haverá vacinas para todos mas nem todos podem ser vacinados numa semana. Há um planeamento e as pessoas serão contactadas. Logo, o número de vacinados depende da quantidade de vacinas que chegam. Esta semana são 1200, na próxima semana podem ser 1500 ou menos. O ACES não sabe e, por isso, não pode fazer previsões. «Estamos a fazer o nosso caminho e bem feito, com uma rede de profissionais com um trabalho muito positivo», avança Sá Machado.

Samuel Lobato renova com o Famalicão até 2026

A SAD do Futebol Clube de Famalicão comunicou, esta terça-feira, o acordo para a renovação de contrato com Samuel Lobato. O médio, de 20 anos, estendeu a ligação ao
clube por mais quatro temporadas, ou seja, até ao final da época 2025/2026.
Samuel Lobato assinou pelo Futebol Clube de Famalicão na temporada passada, durante a qual integrou o plantel principal e disputou a Liga Revelação pela equipa sub-23.
A renovação do contrato «é uma prova da confiança que o clube tem em mim. Compete-me, agora, provar em campo os motivos para esta renovação», reconhece o jovem jogador que manifestou uma enorme vontade de mostrar o seu valor e, assim, «ajudar o clube»
Descrevendo-se como «um jogador que pensa sempre no coletivo», Samuel espera realizar o máximo de jogos possíveis e mostra-se contente por representar um «clube com adeptos incansáveis e que proporcionam uma atmosfera muito boa».

Famalicão: Projeto Educativo do Agrupamento Padre Benjamim Salgado precisa de uma escola nova

Na tomada de posse, que aconteceu esta segunda-feira, da nova direção do Agrupamento de Escolas Padre Benjamim Salgado (AEPBS), José Moreira garantiu que a instituição vai prosseguir o seu caminho baseado na qualidade e excelência. «Estamos focados no sucesso educativo dos nossos alunos e em potencializar as especificidades únicas deste agrupamento», referiu aquando da cerimónia.

Recorde-se que há um ano José Moreira foi indigitado para a presidência da Comissão Administrativa Provisória, órgão que assegurou a gestão do Agrupamento após o vazio diretivo com a saída de Alfredo Mendes. José Moreira assumiu o papel de diretor e a responsabilidade de conduzir o agrupamento nos próximos quatro anos.

Perante um auditório repleto de professores, funcionários, autarcas e representantes de diversas instituições locais, o diretor sublinhou a importância do Agrupamento no contexto regional, mas lembrou a necessidade de melhorar as infraestruturas. «O AEPBS é reconhecido por todos como um dos fatores de desenvolvimento, mas esta Secundária é a única no concelho que não sofreu qualquer modernização. Um dos fatores de desenvolvimento da região não pode estagnar por causa das suas instalações», apontou José Moreira, pedindo ao vereador Augusto Lima para ter «um carinho especial pelo nosso Agrupamento».

O vereador da Educação, Augusto Lima, reconhece que só com uma «escola moderna, inclusiva e de excelência» será possível «vencer os desafios do futuro». Por isso, considerou a requalificação da Escola Secundária P.e Benjamim Salgado uma prioridade para o Município de Famalicão. «Esta será a próxima escola do concelho a ser intervencionada. Nem tudo depende de nós, mas naquilo que depende está a ser feito», garantiu. Falta de afeto não é «pois também aqui fui aluno», recordou o vereador.

José Moreira afirmou que, independentemente das obras, a equipa estará empenhada em dar o seu melhor, destacando que o potencial humano tem conseguido ultrapassar os constrangimentos do edifício. «Juntos – alunos, pais, professores e funcionários – vamos continuar a elevar o AEPBS, mantendo a escola no rumo do sucesso e da excelência», vincou.

A mesma opinião partilhada pelo autarca Augusto Lima: «a qualidade das instalações tem relevo, mas as paredes nem sempre são o mais importante. Os projetos educativos e o potencial humano é que fazem a diferença, como se comprova aqui. O sucesso alcançado e o reconhecimento das boas-práticas deve-se ao trabalho feito por todos», destacou Augusto Lima, focando que o novo diretor é a pessoa indicada para dar continuidade ao desenvolvimento do AEPBS. «Muito do que se fez deve-se à liderança do professor José Alfredo Mendes, mas fico satisfeito que o Conselho Geral o tenha escolhido a si e ao seu projeto. Conseguiu fazer uma transição pacífica e natural e fez com que a escola continuasse – e vai continuar – no bom caminho», expressou Augusto Lima.

Famalicão: Iniciativa Liberal celebra aniversário com debate

O Núcleo Territorial de Famalicão da Iniciativa Liberal festeja o segundo aniversário, no próximo sábado, dia 9 de julho, marcado por debate e por um jantar convívio.

Começa às 17 horas, no auditório da Junta de Freguesia de Famalicão/Calendário (Avenida de França) com uma sessão especial “Aqui há Parlamento”, uma iniciativa do partido que permite aos membros, simpatizantes e demais interessados questionar os deputados da Iniciativa Liberal sobre o seu trabalho parlamentar. O evento contará com Rui Rocha, deputado por Braga; Patrícia Gilvaz, pelo Porto; Carla Castro, eleita pelo círculo de Lisboa.

Segundo o Núcleo de Famalicão da IL, trata-se de um evento aberto a qualquer cidadão que queira conhecer melhor o partido e esteja aberto a novas ideias e formas de ver a política, ou que queira saber mais sobre o liberalismo.

O evento contará ainda com um jantar no Restaurante “Massimo”, por volta das 20h00. Os interessados podem consultar as redes sociais do Núcleo de Famalicão para obter mais informações e para se inscreverem no evento.

Famalicão: Tribunal adia decisão sobre alunos que não frequentam aulas de Cidadania

O Tribunal de Família e Menores de Vila Nova de Famalicão adiou, esta terça-feira, a audição das testemunhas no processo de promoção e proteção de dois alunos que, por decisão dos pais, não frequentam a disciplina de Cidadania e Desenvolvimento. João Pacheco de Amorim, advogado da família, admitiu que poderá acontecer em setembro ou outubro, embora não haja data marcada.

No entanto, para o advogado da família, este adiamento significa que o Tribunal considera que «não há perigo iminente para os menores».

Recorde-se que nas alegações, o Ministério Público pedia que os alunos ficassem à guarda da escola durante o período de aulas.

O Ministério Público considera que os pais «põem em perigo» a formação, educação e desenvolvimento dos filhos, adiantando ainda que há o perigo de os jovens sofrerem «maus-tratos psíquicos», «não receberem os cuidados ou a afeição adequados às suas idades» e «estarem sujeitos a comportamentos dos pais que afetam gravemente o seu equilíbrio emocional».

Com estes argumentos, o Ministério Público pedia que os alunos ficassem à guarda da escola durante o período de aulas.

Sobre as alegações, o advogado João Pacheco de Amorim classificou-as de «absolutamente inusitadas» e de estarem «em aberta e frontal contradição» com os relatórios dos técnicos da Segurança Social que acompanham o processo.

«É uma coisa perfeitamente bizarra, não tenho memória de, em 30 anos de exercício da profissão, ver uma promoção deste teor», afirmou o advogado, acusando o magistrado do MP de estar «ideologicamente confrontado na defesa do Governo», face «à forma carregada e absolutamente infundada» como elaborou as suas alegações.

Pais acusam Governo de «superioridade moral»

«Naturalmente que não concordamos com estas alegações», afirma Artur Mesquita Guimarães. Acrescenta, em comunicado, que «perante tais atitudes, completamente arbitrárias, temos que reconhecer que o Governo de Portugal assume uma postura de superioridade moral dos poderes políticos e de inferioridade moral dos cidadãos. Além de que se serve das estruturas do Estado e do poder coercivo que lhe é próprio para alcançar os fins puramente ideológicos que move o conjunto dos indivíduos que ocupam os lugares públicos em causa». Termina, dizendo que o «Governo de Portugal não é um bom exemplo de cidadania».

Recorde-se que os dois alunos, irmãos, frequentam o Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco, e os pais impedem-nos, desde o ano letivo 2018/2019, de frequentarem a disciplina Cidadania e Desenvolvimento, por considerarem que o conteúdo é da inteira responsabilidade dos pais e não da escola.

Nos últimos quatro anos, os alunos, que são de excelência, foram dados como “chumbados”, por causa das faltas àquela disciplina, mas, por decisão do Ministério da Educação, têm transitado, de forma condicionada, de ano, enquanto se aguarda pelo desfecho dos processos judiciais relacionados com o assunto.

Famalicão: Dois detidos por condução sob o efeito do álcool

Esta terça-feira, na cidade de Vila Nova de Famalicão, a PSP deteve dois homens, de 67 e 38 anos de idade, por condução de veículo automóvel com taxa de alcoolemia superior à permitida por lei.

Submetidos aos testes, os condutores acusaram uma TAS de 1,49 e 2,79 g/l no sangue, respetivamente.

Foram notificados para comparecerem no Tribunal Judicial de Vila Nova de Famalicão.

Famalicão: PAN diz que problema dos maus odores em Fradelos tem de ser resolvido

A Comissão Política do PAN-Pessoas, Animais, Natureza de Famalicão solicitou esclarecimentos à Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAP-N) e à Câmara Municipal por causa dos maus odores alegadamente provenientes de uma pecuária em Fradelos.

Este é um problema que o PAN vem denunciando há cerca de seis anos, com pedidos de esclarecimento às entidades competentes na matéria. Lamenta que até ao momento nada tenha sido feito para aliviar a população residente no local e atender à questão ambiental. Recorda Sandra Pimenta, porta-voz do PAN, que são frequentes as reclamações da população por causa dos maus odores.

«Não fosse a situação por si só grave, é público que a Câmara Municipal além de ter licenciado a construção de um pavilhão, sem as devidas autorizações para o aumento por parte da DRAP-N e CCDR, ainda atribuiu à empresa em questão uma isenção de IMI e outras taxas, ou seja, tem compactuado com esta situação nos últimos 5 anos», refere Sandra Pimenta.

Considera ainda a concelhia que é necessário entender «de uma vez por todas quais as mais-valias trazidas pela empresa em questão que se revelam mais importantes que o bem-estar físico, psicológico, social das pessoas residentes e que as priva da sua liberdade mais essencial, respirar ar limpo». Acrescenta: «seria muito importante para estas pessoas saber que a Câmara Municipal defende a sua saúde ou então que assuma de uma vez que esperam levar estas pessoas à exaustão, física e emocional, e em última análise que abandonem as suas casas».