GNR detém duas mulheres em festa ilegal com 23 pessoas

A GNR das Caldas das Taipas deteve, esta quinta-feira, duas mulheres de 40 e 43 anos por permanência irregular em território nacional. As detidas participavam numa festa ilegal com 23 pessoas, que foi encerrada.

No âmbito de uma ação de patrulhamento, os militares constataram que decorria um evento não autorizado, onde os participantes não faziam o uso da máscara, nem garantiam o distanciamento social. No decorrer das diligências, verificaram que participavam na festa 23 pessoas, com idades entre os 22 e os 43 anos, que foram identificadas e elaborados os respetivos autos de contraordenação por incumprimento das medidas para a contenção da pandemia COVID-19.

Das duas mulheres detidas por permanência ilegal em território nacional, uma foi notificada para abandonar o país.

Famalicão: Sinalização reforçada na Av. Marechal Humberto Delgado

Nos últimos dias houve um reforço de sinalização na Avenida Marechal Humberto, no centro de Vila Nova de Famalicão.

Na aproximação ao túnel, no sentido sul – norte, surgiram duas placas que indicam o limite de velocidade de 40 km’s / hora.

No sentido inverso, entre a Praça / Mercado Municipal e a rotunda Rotary Club, foi também colocada uma nova placa de sinalização, a informar os condutores do mesmo limite de velocidade (40 km’s / hora).

 

Autoridades recuperaram joias furtadas em ourivesaria no verão passado

Agentes da Polícia de Segurança Pública conseguiram recuperar, esta sexta-feira, centenas de artigos de joalharia e relojoaria, que haviam sido furtados de uma ourivesaria na Póvoa de Varzim.

O material está avaliado em cerca de 200 mil euros e corresponde a furto ocorrido em junho do ano passado. A ação das autoridades centrou-se nos concelhos de Braga, Amares e Trofa, sendo que alguma parte dos artigos furtados foram encontrados à venda num espaço comercial.

Um homem de 43 anos foi constituído arguido, outros três foram identificados. Para além das peças, foi apreendido uma quantia de dinheiro em numerário (três mil euros).

Guerra: Portugal vai enviar tanques para a Ucrânia

O primeiro-ministro assegurou hoje que Portugal vai ceder às Forças Armadas ucranianas tanques Leopard 2 e adiantou que está neste momento em curso uma operação logística com a Alemanha para recuperação de alguns carros de combate.

Esta decisão do Governo português foi transmitida por António Costa à agência Lusa no final de uma visita que efetuou à missão militar portuguesa na República Centro Africana, em que também procurou salientar que o envio de tanques para a Ucrânia não colocará em causa a capacidade militar nacional em termos de equipamento.

“Estamos neste momento a trabalhar para podermos ter condições de dispensar alguns dos nossos tanques. Sei quantos tanques serão [enviados para a Ucrânia], mas isso será anunciado no momento próprio”, afirmou o líder do executivo.

De acordo com o primeiro-ministro, neste momento, Portugal está a trabalhar com a Alemanha para “permitir uma operação logística de fornecimento de peças, tendo em vista concluir a recuperação de alguns dos carros [de combate] que não estavam operacionais”.

“Uma operação que se destina a ceder à Ucrânia alguns tanques, sem que, naturalmente, Portugal deixe de ter a sua capacidade militar intacta. Obviamente, Portugal tem também obrigações no quadro da NATO, que não podemos deixar de cumprir em termos de disponibilidade de equipamento para intervenções em caso de necessidade”, advertiu.

Interrogado sobre a altura mais provável em que se poderá concretizar o envio desses tanques Leopard 2 para território ucraniano, António Costa observou que “o movimento que está em curso na Europa é no sentido de poder ter o conjunto desses meios disponibilizados até ao final de março”.

Já sobre a controvérsia relacionada com o facto de vários destes tanques Leopard 2, adquiridos pelas Forças Armadas nacionais em 2007, estarem sem manutenção há muitos anos, o primeiro-ministro contrapôs que a expressão “muitos anos é um exagero”.

“Alguns não estão operacionais e, por isso mesmo, temos de trabalhar simultaneamente com quem produz para assegurar a cadeia de abastecimento necessária, tendo em vista recuperar tanques que temos neste momento inoperacionais e podermos dispensar tanques operacionais, ficando nós com a nossa própria capacidade devidamente salvaguardada. É essa operação logística que está em curso”, justificou.

Ainda sobre a questão da inoperacionalidade de alguns dos tanques Leopard 2, António Costa fez a seguinte observação: “Não é só nas peças de automóveis que há falta de componentes”.

“Também para o equipamento militar tem havido falta de componentes. Essa operação logística está em curso e temos trabalhado de forma muito próxima com a Alemanha. Atempadamente, vamos conseguir dar a nossa contribuição para esse esforço coletivo de dotar a Ucrânia de melhores meios para a sua defesa”, acrescentou.

No que respeita à cooperação bilateral com a Ucrânia, o primeiro-ministro realçou o envio por Portugal de material de guerra, mas também o envio de material humanitário e a ajuda humanitária, designadamente ao nível do acolhimento de refugiados.

“Temos também dado um apoio de emergência ao Orçamento da Ucrânia e estão em curso com o Governo ucraniano programas para a reconstrução de escolas numa província. Temos, igualmente, o esforço que resultou do reposicionamento das forças militares no quadro da NATO e que teve como consequência o reforço do flanco oriental onde Portugal está presente agora reforçadamente na Roménia”, assinalou.

António Costa adiantou, ainda, que nos próximos meses irá uma missão de Polícia Aérea para a Lituânia.

“Esta situação está a permitir um maior envolvimento. Por exemplo, a Roménia vai enviar forças para participar na operação da Minusca na República Centro-Africana. Não é propriamente uma contrapartida, mas é também no quadro da cooperação que temos desenvolvido com a Roménia”, completou.

Famalicão: Bombeiros acionados para fuga de gás no centro da cidade

Os Bombeiros Voluntários Famalicenses foram, na manhã deste sábado, acionados para uma fuga de gás, no centro da cidade de Vila Nova de Famalicão.

O alerta para a ocorrência foi dado cerca das 10h40, para a Rua Artur Cupertino de Miranda, nas proximidades do hospital local.

As primeiras informações dão conta que a fuga se terá registado à porta de um edifício habitacional.

Credithora oferece cartão com 250€ a quem recorrer aos serviços de intermediação de crédito

Se vai comprar ou construir casa e precisa de financiamento, se precisa renegociar ou consolidar o seu crédito, saiba que encontra na empresa famalicense CREDITHORA a solução para todas essas questões.

A CREDITHORA é especialista em contratos de crédito aos consumidores, prestando todo o acompanhamento e apoio na hora de celebrar ou renegociar um crédito. Para além disso, e de forma a poder ajudar todas as famílias, a CREDITHORA dispõe de um serviço de consultadoria gratuita na intermediação de crédito.

Até ao final deste mês de fevereiro, ao recorrer aos serviços da CREDITHORA (crédito habitação, construção, transferência de crédito, auto construção), exclusivamente por e-mail geral@credithora.pt ou pelo contacto 912 971 210, pode usufruir de um cartão de 250 euros para gastar em qualquer loja Worten do território nacional. Esta é uma oferta direta, válida para todos os clientes e sem concurso / passatempo.

Pode saber mais sobre esta campanha no facebook ou instagram da CREDITHORA .

A CREDITHORA está localizada em plena Avenida Marechal Humberto Delgado, 263 1ºDt Frente, em Vila Nova de Famalicão. Todos os serviços estão disponíveis para consulta no site credithora.pt.

Projeto da Casa da Música regressa à Trofa

“Holograma”, projeto da Casa da Música, vai ser apresentado entre os dias 9 e 12 de fevereiro, no auditório da Junta de freguesia de Bougado, polo de São Martinho.

Este projeto, desenvolvido pela Área Metropolitana do Porto, e que vai passar por 17 municípios da Área Metropolitana do Porto, pretende possibilitar ao público em geral experiências musicais com raiz pedagógica e educativa.

Cada edição do “Holograma” é especialmente concebida para o Município em questão, com a qualidade artística e os cuidados de produção que são próprios da Fundação Casa da Música.

Na edição deste ano, o projeto “Holograma” apresenta um programa de acesso gratuito, dividido em apresentações para a comunidade escolar, 9 e 10 de fevereiro, e para o público em geral, 9, 10, 11 e 12 fevereiro.

Assim, dia 9, às 9h30 e às 11h00, o espetáculo “Ler” explora a relação entre a voz falada e a música. Num diálogo para que são convocados instrumentos eletrónicos e acústicos, o itinerário passa por vários momentos da História de Portugal, evocando também o prazer e a riqueza que a música nos tem legado ao longo do tempo.

No dia seguinte, também às 9h30 e às 11h00, “Fonte Fontaine” remete a comunidade escolar para as fábulas da infância com reinvenções e desfechos improváveis.

Direcionado para o público em geral e com entrada gratuita, a APPACDM apresenta, nos dias 9 e 12 de fevereiro, pelas 21h00, o espetáculo “Comunidades”.

No dia 10, pelas 21h00, o projeto Holograma apresenta “Sopa d’Urso”, um sexteto composto por Ricardo Folha na voz e guitarra; Xavier Santos na guitarra; Daniel Fernandes no baixo e voz; Sean Kong nos teclados e voz; Eduardo Santos nos teclados e Pedro Coelho na Bateria, que apresenta uma sonoridade pop-rock herdeira de alguns dos principais projetos portugueses revelados nas décadas de 80 e 90. Em 2020 o projeto apresentou o seu trabalho de estreia, “Colher de Pau”. Passados dois anos a banda reinventou-se com a saída e entrada de novos elementos e para breve promete apresentar novo álbum.

No sábado, 11 de fevereiro, dedicado às famílias e ao público infantil – dos 6 aos 12 anos, o espetáculo “Ler”, fará dois concertos no auditório, às 10h00 e às 11h30. À noite, a partir das 21h00, terá lugar o concerto “Solistas da Casa da Música”. Para além de ser um edifício dedicado à realização de concertos de todos os géneros, a Casa da Música é também a “casa” de vários agrupamentos profissionais, que ali ensaiam e se apresentam regularmente, entre os quais uma orquestra sinfónica, uma orquestra barroca, um ensemble de música contemporânea e um coro. Os Solistas da Casa da Música que se apresentam no Holograma são formados por músicos da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, da Orquestra Barroca Casa da Música ou do Remix Ensemble.

No dia 12 de fevereiro, o espetáculo “Fonte Fontaine” apresenta, às 10h00 e às 11h30, o concerto direcionado ao público infantil, dos 0 aos 6 anos.