GNR detém numa semana mais de 200 pessoas por conduzirem alcoolizados

As detenções resultaram de um conjunto de operações realizadas pelos militares da GNR em todo o país, entre os dias 29 de julho e 04 de agosto, que visaram a prevenção e o combate à criminalidade e à sinistralidade rodoviária, mas também a fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional.

Nestes sete dias, foram detidas 552 pessoas em “flagrante delito”, a maioria (211) por condução sob o efeito do álcool e por conduzir sem habilitação legal (111), segundo os dados da GNR divulgados em comunicado.

Foram também detidas 58 por suspeita de tráfico de estupefacientes, 19 por furto e roubo, 17 por posse ilegal de armas e arma proibida e nove por violência doméstica e quatro por envolvimento em incêndio florestal.

Durante as operações, a GNR apreendeu ainda cerca de 7.500 doses de haxixe, 1.887 selos de LSD, 1.306,95 doses de cocaína, 928,8 doses de heroína, 764,884 doses de liamba, 18 comprimidos de MDMA, oito doses de óleo de canábis.

Foram também apreendidas 28 armas de fogo, 14 armas brancas ou proibidas, 446 munições e 15 viaturas, adianta a GNR.

Nas ações de fiscalização de trânsito, os militares detetaram 7.628 infrações, das quais 1.720 por excessos de velocidade e 494 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei e 225 por conduzir ao telemóvel.

Registo de galinhas poedeiras obrigatório em setembro

“Todos os detentores de galinhas poedeiras ficam obrigados a declarar os efetivos que possuíam à data de 01 de setembro de 2022”, lê-se num aviso da DGAV.

A entrega da declaração de galinhas poedeiras deverá ser efetuada em setembro, através do site ou nos serviços de alimentação e veterinária regionais.

Os estabelecimentos de galinhas poedeiras reprodutoras ou com menos de 350 aves estão isentos desta obrigação.

A DGAV é um serviço central da administração direta do Estado, com autonomia administrativa.

Porto: Turista de 20 anos esfaqueado em assalto realizado por três homens na baixa

Um turista de 20 anos, cuja nacionalidade não foi divulgada, foi esfaqueado na manhã desta quinta-feira na Baixa do Porto.

O crime aconteceu cerca das 07h55, no Largo dos Loios. O assalto foi levado a cabo por três homens que foram detidos pelos agentes da PSP.

A vítima foi ferida nas costas e no abdómen, acabou transportada para o Hospital de Santo António.

Fonte: JN

Joane: Pres. da Junta denuncia falta de civismo da população junto aos ecopontos

O Presidente da Junta de Joane recorreu às redes sociais para reportar mais um episódio de falta de civismo relacionado com o lixo.

Segundo António Oliveira, é recorrente o uso do espaço em redor aos ecopontos para depositar lixo não doméstico e, por isso, incompatível para a recolha pela empresa responsável pelo tratamento dos resíduos.

O autarca utilizou uma imagem recolhida junto ao ecoponto da zona da ilha para ilustrar o problema.

António Oliveira apela, uma vez mais, para o uso adequado dos ecopontos.

Portugal: Já morreram 17 pessoas afogadas desde o início da época balnear

Em todo o território nacional, e desde o início da época balnear, já morreram 17 pessoas afogadas.

A contribuir para estes números está o aumento de banhistas nas praias portuguesas, em consequência do desconfinamento, e a procura por áreas não vigiadas.

O número agora revelado, pelo Jornal de Notícias, já ultrapassa o total de mortes registado na mesma época do ano passado.

Famalicão joga em Barcelos na próx. segunda-feira e os bilhetes já começaram a ser vendidos

Na terceira jornada da I Liga de futebol o Famalicão vai até ao Estádio Cidade de Barcelos para defrontar a equipa local.

A partida está marcada para as 20h15 e já há ingressos disponíveis.

Os interessados podem comprar o bilhete por 10 euros ou o pack bilhete + transporte por 15 euros.

A venda dos bilhetes irá decorrer até às 16.30 horas de segunda-feira, e a reserva de lugar no autocarro terá de ser efetuada até sábado às 18 horas.

ASAE apreendeu 650kg’s de carne e doa 400 ao Jardim Zoológico da Maia

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica doou cerca de 400kg’s de carne ao Zoo da Maia.

O produto é proveniente de um entreposto frigorífico localizado no Porto, alvo de uma fiscalização desta entidade. A carne não estava em condições para a venda ao público mas apta para ser consumida por animais e, por isso, acabou por ser distribuída pelo Jardim Zoológico da Maia.

Ao responsável pelo espaço fiscalizado, a ASAE procedeu à instauração de um processo contraordenacional, por falta de rastreabilidade e recondicionamentos e manipulações abusivas, no caso, a passagem do estado de refrigerado para o estado de congelado dos produtos.