GNR lança campanha de sensibilização e alerta para os comportamentos de risco na internet

Use passwords fortes; não guarde os seus dados pessoais no navegador da Internet; não partilhe dados privados nas redes sociais e nos sites de consulta; mantenha o seu antivírus atualizado;e verifique e controle a dependência de internet junto dos seus familiares e amigos são os conselhos da GNR no dia (esta terça-feira) em que se assinala o Dia da Internet Mais Segura.

Visando contribuir para a prevenção de comportamentos de risco inerentes à utilização da Internet, a Guarda Nacional Republicana, em parceria com a Microsoft Portugal, lança a operação “Internet Mais Segura 2021”, que se materializará através de ações de sensibilização digitais que serão direcionadas para a comunidade escolar.

Perante a atual conjetura pandémica, a utilização das tecnologias no meio escolar foi determinante para permitir dar continuidade ao ensino não presencial, e é neste enquadramento particular que a GNR e a Microsoft Portugal se associaram para disponibilizar conteúdos digitais de sensibilização da comunidade escolar.

Estas ações, em 892 estabelecimentos de ensino, decorrem até sexta-feira focando-se nas crianças, jovens, encarregados de educação e agentes educativos para questões como o cyberbullying, furto de identidade, privacidade, incorreção das fontes de informação, vírus informáticos e a dependência da internet.

Joane sem descanso: Novos focos de incêndio em zona florestal

A vila de Joane está novamente em alerta, pelo surgimento de pelo menos dois novos focos de incêndio.

O novo alerta surgiu na noite desta quinta-feira, por volta das 21h40, e foi dado por populares que começaram a avistar o fogo em dois pontos distintos mas bastante próximos um do outro.

Para o local foram acionados os Bombeiros Voluntários Famalicenses que já pediram o reforço de meios.

Recorde-se que a vila de Joane tem sido, este verão, fustigada por vários incêndios em zona florestal e que até já colocaram casas em risco.

Final feliz: Cão atirado e fechado em poço é salvo pelo CROA e adotado três meses depois por uma família

O Centro de Recolha Animal de Famalicão tem mais uma história com final feliz para contar.

O cão que a 18 de maio foi resgatado de um poço com quinze metros de profundidade, na freguesia de Landim, encontrou uma nova família.

O desfecho desta história dá-se exatamente três meses depois da dura operação de resgate. Recorde-se que o animal havia sido encontrado a latir, por populares que passavam no local e o ouviram num poço com pedras a bloquear o acesso, indiciando que terá sido atirado para a morte, por alguém que, depois, o tentou esconder.

Quis o destino que, nesta quinta-feira 18 de agosto, uma família da mesma freguesia onde havia sido resgatado (Landim), quisesse levar este amigo de quatro patas para casa.

Recorde a história deste animal:

 

Registo de galinhas poedeiras obrigatório em setembro

“Todos os detentores de galinhas poedeiras ficam obrigados a declarar os efetivos que possuíam à data de 01 de setembro de 2022”, lê-se num aviso da DGAV.

A entrega da declaração de galinhas poedeiras deverá ser efetuada em setembro, através do site ou nos serviços de alimentação e veterinária regionais.

Os estabelecimentos de galinhas poedeiras reprodutoras ou com menos de 350 aves estão isentos desta obrigação.

A DGAV é um serviço central da administração direta do Estado, com autonomia administrativa.

Porto: Turista de 20 anos esfaqueado em assalto realizado por três homens na baixa

Um turista de 20 anos, cuja nacionalidade não foi divulgada, foi esfaqueado na manhã desta quinta-feira na Baixa do Porto.

O crime aconteceu cerca das 07h55, no Largo dos Loios. O assalto foi levado a cabo por três homens que foram detidos pelos agentes da PSP.

A vítima foi ferida nas costas e no abdómen, acabou transportada para o Hospital de Santo António.

Fonte: JN

Joane: Pres. da Junta denuncia falta de civismo da população junto aos ecopontos

O Presidente da Junta de Joane recorreu às redes sociais para reportar mais um episódio de falta de civismo relacionado com o lixo.

Segundo António Oliveira, é recorrente o uso do espaço em redor aos ecopontos para depositar lixo não doméstico e, por isso, incompatível para a recolha pela empresa responsável pelo tratamento dos resíduos.

O autarca utilizou uma imagem recolhida junto ao ecoponto da zona da ilha para ilustrar o problema.

António Oliveira apela, uma vez mais, para o uso adequado dos ecopontos.

Portugal: Já morreram 17 pessoas afogadas desde o início da época balnear

Em todo o território nacional, e desde o início da época balnear, já morreram 17 pessoas afogadas.

A contribuir para estes números está o aumento de banhistas nas praias portuguesas, em consequência do desconfinamento, e a procura por áreas não vigiadas.

O número agora revelado, pelo Jornal de Notícias, já ultrapassa o total de mortes registado na mesma época do ano passado.