GNR tem no terreno Operação Fique em Casa II

Está em curso, desde esta sexta-feira, e até segunda-feira, 20 de abril, uma operação da GNR de intensificação do patrulhamento, fiscalização e sensibilização com o objetivo de apoiar a população e garantir o cumprimento das normas do Estado de Emergência.

Durante a “Operação Fique em Casa II”, a GNR vai empenhar as suas várias valências no esforço do cumprimento do confinamento obrigatório, por parte daqueles sobre os quais impede esse dever, bem como no apoio aos mais vulneráveis e desfavorecidos.

Neste particular, a Guarda continua a promover o Programa “65 Longe+Perto”, contactando a população mais idosa, sobretudo a que vive sozinha, isolada ou sozinha e isolada, elucidando sobre as regras específicas decretadas para o Estado de Emergência. Deste modo, procura sinalizar situações de idosos que, por força do maior isolamento social, necessitem de uma abordagem ao nível psicológico, para as quais serão disponibilizados psicólogos do Centro Clínico da GNR.

Para além da sensibilização para a limitação da circulação na via pública, a GNR irá garantir o cumprimento das demais normas previstas na lei, zelando para que a população evite deslocações desnecessárias que podem potenciar a propagação da epidemia COVID-19.

Famalicão: Homem encontrado morto no Rio Ave

Ao final da manhã desta segunda-feira, foi encontrado o corpo de um homem no rio Ave, na zona da Azenha Velha, na vila de Riba de Ave.

Ainda não há informações sobre a idade, naturalidade ou residência, bem como as causas da morte.

No local estão os BV de Riba de Ave, GNR e VMER.

Greves na educação, saúde, transportes e recolha de lixo

Estão marcadas, para os próximos dias, greves em vários setores, que ameaçam parar o país.

Na educação, há greve dos professores marcada pela Fenprof. Dependendo da adesão, esta greve pode afetar também os pais com filhos menores.

A saúde será também afetada, mas não apenas esta sexta-feira. Os enfermeiros iniciaram esta quinta-feira uma greve de três dias, que se prolongará também a 22 e 23 de novembro. O anúncio foi feito depois de uma reunião negocial com o Ministério da Saúde, em causa a progressão na carreira. Quem reivindica também “falta de resposta” por parte do governo devido à questão das “horas extraordinárias” são os técnicos de diagnóstico e terapêutica, por isso anunciaram também a realização de concentrações e uma greve para esta sexta-feira.

No que diz respeito aos transportes, os trabalhadores da Metro Transportes do Sul (MTS) iniciaram na quarta-feira uma greve que se prolongará até sábado. Exigem a abertura de negociações, aumentos salariais e progressão na carreira.

A recolha de lixo é também um setor afetado, mas mais na Área Metropolitana do Lisboa.

 

Crédito Agrícola vai fazer pagamento extraordinário de 500 euros aos colaboradores

A Caixa Central de Crédito Agrícola vai atribuir um pagamento pontual de 500 euros a todos os seus colaboradores, para fazer face ao contexto económico.

Para acompanhar esta medida extraordinária, a Caixa Central emitiu orientações às Caixas de Crédito Agrícola e Empresas do Grupo permitindo que estas, de acordo com as suas condições financeiras, possam atribuir um prémio entre os 250 e os 750 euros.

Paulo Barreto, Diretor de Recursos Humanos do Grupo Crédito Agrícola, afirma que «esta é mais uma medida que visa o comprometimento do Banco com os seus colaboradores e um apoio extraordinário para atenuar os efeitos da subida da inflação e alguma perda do poder de compra. Este apoio extraordinário que o Crédito Agrícola vai atribuir é de extrema importância porque visa impactar positivamente a vida dos nossos colaboradores e reforça a retenção e fixação de talento no Banco».

Além desta medida, o Crédito Agrícola tem em vigor o modelo de teletrabalho que acredita ter impacto no bem-estar pessoal e profissional dos trabalhadores, mas também com a sustentabilidade nas vertentes ambiental e social, devido à poupança nas deslocações. Com um modelo na Caixa Central de três dias presenciais e dois dias em teletrabalho, os colaboradores ainda têm a possibilidade de num prazo de duas semanas terem quatro dias consecutivos em teletrabalho.

O Grupo Crédito Agrícola é um grupo financeiro de génese cooperativa. Com capitais exclusivamente nacionais, conta com mais de 430 mil associados, mais de 1 milhão e 900 mil clientes e mais de 600 agências, distribuídas pelo território nacional.

A Caixa de Crédito Agrícola foi o primeiro banco a disponibilizar o contactless em Portugal, a oferecer o primeiro cartão de pagamento com chip e o primeiro cartão vertical, tendo sido pioneiro na disponibilização de pagamentos com Apple Pay aos seus clientes.

 

Famalicão: Intervenções nos postos da GNR e PSP «são urgentes» (c/vídeo)

No âmbito do debate na especialidade sobre o Orçamento de Estado para 2023, o deputado do Partido Socialista (PS) Eduardo Oliveira, questionou o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, sobre a necessidade de investimentos nas instalações da esquadra da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Vila Nova de Famalicão e dos postos territoriais da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Vila Nova de Famalicão e de Riba de Ave, com o ministro a informar que o Governo está a estudar uma solução definitiva para o posto da vila ribadavense.

Sobre as obras na esquadra da PSP de Vila Nova de Famalicão, a secretária de Estado da Administração Interna, Isabel Oneto, informou que o processo se encontra na fase de adjudicação do concurso de elaboração do projeto de execução.

Eduardo Oliveira afirmou que a esquadra da PSP de Vila Nova de Famalicão «não oferece condições de trabalho aos agentes policiais, nem condições de atendimento à população» e que GNR de Riba de Ave «está, há vários anos, num edifício habitacional, sem condições» para os militares «prestarem um bom serviço e precisa de ser instalada num espaço próprio». Relativamente às condições da GNR da cidade, referiu que «também está mal instalada, numa antiga cadeia do Estado Novo, um edifício que precisa de obras urgentes de modernização».

Da argumentação usada, o deputado socialista referiu que «Famalicão é um dos concelhos mais habitados do País e um dos que mais contribuem para a riqueza nacional, liderando as exportações nacionais a norte de Lisboa. Porém, em matéria de infraestruturas de segurança pública há três intervenções cuja concretização se revela urgente», afirmou.

 

 

 

Famalicão: Deputado Jorge Paulo Oliveira questiona ministro sobre postos da GNR e PSP (c/vídeo)

Em resposta ao deputado Jorge Paulo Oliveira, a Secretária de Estado da Administração Interna, Isabel Oneto, informou que está em curso a adjudicação do projeto de execução da 2.ª fase da requalificação da Esquadra da PSP de Famalicão. O deputado não ficou satisfeito.

O deputado famalicense perguntou ao Ministro da Administração Interna, no âmbito do debate na especialidade do Orçamento de Estado para 2023, sobre as obras nos postos da GNR e da PSP de Famalicão.

Jorge Paulo Oliveira, do PSD, lembrou o ministro José Luís Carneiro que o quartel da GNR da Vila de Riba de Ave, apesar de estar incluído na Lei de Programação de Infraestruturas e Equipamentos, cuja dimensão temporal já chegou ao seu término, «nunca saiu do papel, com o Governo a dizer sucessivamente coisas diferentes».

Acerca das obras da 2.ª fase da Requalificação da Esquadra da PSP, o deputado lembrou que foram anunciadas nos últimos três anos.

Sobre o posto da GNR da cidade que, segundo Jorge Paulo Oliveira, «inexplicavelmente ficou de fora da última Lei da Programação de Infraestruturas e Equipamentos», o deputado famalicense questionou o Governo se iria aceitar a «disponibilidade manifestada pela autarquia para colaborar neste investimento infraestrutural inquestionável?».

Além da informação sobre a segunda fase das obras na Esquadra da PSP, o gabinete do Ministro reconheceu a «necessidade de relocalização das condições em que opera a Guarda Nacional Republicana e também quanto às necessidades de investimento nas condições de trabalho da Polícia de Segurança Pública. É uma preocupação que temos»; informação que Jorge Paulo Oliveira considera «evasiva».

 

Greve nos CTT a 31 de outubro e 2 de novembro

Os CTT – Correios de Portugal informam que foi marcada uma greve geral, no dia 31 de outubro, segunda-feira, e 2 de novembro, quarta-feira, avançando a possibilitada de perturbações na normal distribuição de correio e encomendas.

Os CTT prepararam um plano de contingência para minimizar eventuais impactos, nomeadamente a mobilização de meios no sábado seguinte, quando tal se justifique para recuperar de eventuais atrasos.

Os CTT respeitam o direito à greve, mas «estranha e repudia» as datas escolhidas pelos sindicatos promotores, numa semana com um feriado – «como já se tornou habitual nas greves anteriores», consta de comunicado, acrescentando o «repúdio pelas razões para a sua realização»