Mensagem do Arcipreste de Famalicão: «Muda de Natal»

Todos os anos começamos a preparar o Natal com muita antecedência. Antes de iniciar o mês de Novembro, já surgem sinais natalícios, alertando-nos para a proximidade desta celebração anual à qual ninguém é indiferente.

Contudo, o acontecimento fundante desta celebração parece passar ao lado. Esses sinais não têm mais a linguagem simbólica do Natal de Jesus. O presépio deixou de estar presente nas praças públicas, nos “enfeites” de Natal… Tudo é feito em ordem a criar uma magia, um espírito natalício, a surpreender os nossos sentidos… Celebrar, porém, o nascimento de Jesus está longe do que por aí se faz.

A sociedade descristianizada tende a negar e a obstruir tudo o que é símbolo de fé, em nome de um universalismo desprovido de qualquer identidade ou referência fundante. Não se quer ferir as susceptibilidades dos que pensam ou vivem de forma diferente. E por causa da diferença anula-se a singularidade. Ou, por causa da singularidade de uns poucos anula-se a identidade de muitos.

É impossível desvincular o Natal do nascimento de Jesus. Podemos até retirar da nossa linguagem a palavra Natal, (como se pretendeu no parlamento europeu), e encontrar outra para lhe substituir. Contudo, a origem fundante desta celebração nunca será apagada.

Creio que os cristãos têm aqui uma grande responsabilidade. Na verdade, o Natal não fará falta nenhuma, absolutamente nenhuma, se lhe retirarmos o facto de Deus ter nascido como Homem. O Natal será uma inutilidade, se nós cristãos não tivermos ainda percebido que o nascimento de Jesus é para a humanidade um sinal visível do Amor que Deus lhe tem, do qual nasce paz, alegria, justiça, esperança.

Por isso, desafio os cristão deste arciprestado a celebrar o verdadeiro Natal, a fazerem o presépio e a colocá-lo bem visível para todos, a enfeitarem as casas com símbolos que traduzem o Natal de Jesus (as luzes – Jesus é a Luz; a árvore – cruz de Jesus é a árvore da vida; a estrela – Jesus é a nossa estrela polar; os anjos – anunciação a Maria, a José e aos pastores; os sinos – anunciam a alegria de um nascimento…). Além destes sinais exteriores, o Natal verdadeiro para os cristãos é aquele que se traduz em gestos concretos de amor.

De igual modo, desafio os cristãos deste arciprestado a pensarem em dois gestos concretos de amor. Cada um saberá como poderá ajudar outro: familiar, vizinho, amigo, colega de trabalho, doente, pobre, carenciado… alguma instituição de beneficência ou algum grupo sócio-caritativo, quer seja da igreja ou da sociedade civil.
O Natal será uma inutilidade se for apenas espetáculo de luzes ou promoção do comércio. Nisso não há fé, nem amor, nem esperança, ainda que nos eleve o ego e nos alivie a economia. Todavia, o Natal será a celebração da Fé, do Amor e da Esperança quando cada um de nós souber acolher humildemente o Dom de Deus entre nós. É aqui que tudo muda. Não foi assim há dois mil anos!?

A todos desejo um Santo e fecundo Natal, com votos de um próspero ano 2022.

 

Pe. Francisco Carreira, Arcipreste.

O Carnaval em Famalicão obriga ao uso de copos reutilizáveis

O Carnaval está a chegar, mas diversão não pode rimar com poluição. Por isso, a proposta das entidades responsáveis, como a ACIF e a Câmara, é o uso obrigatório de copos reutilizáveis. Serão obrigatórios em todos os bares e estabelecimentos comerciais aderentes às festividades do Carnaval.

Pode adquirir na sede da ACIF, que os tem de diferentes tamanhos: 0,20cl, 0,33cl, 0,50cl e de Gin. Mais informações em 961219496 ou em comunicação.acif.pt.

Famalicão: Atropelamento junto ao campo da feira

Uma pessoa foi, na tarde desta terça-feira, atropelada por um automóvel, nas proximidades do campo da feira de Famalicão.

O acidente aconteceu cerca das 13h20 e para o socorro da vítima foram acionados os Bombeiros Voluntários de Famalicão, acompanhados pela VMER da unidade de Vila Nova de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Coube aos bombeiros o transporte da vítima que, segunda as primeiras informações, terá sofrido ferimentos ligeiros.

Famalicão: Acidente na praça das portagens em Esmeriz

A manhã desta terça-feira fica marcada por um acidente de viação, na praça das portagens, na freguesia de Esmeriz, em Vila Nova de Famalicão.

O sinistro, um despiste, ocorreu no acesso às portagens e não terá provocado feridos.

A GNR foi chamada ao local e tomou conta da ocorrência.

 

Famalicão: Vai ser criada nova ligação ao Hospital e construído parque de estacionamento público

Esta quinta-feira vai a reunião de Câmara a proposta de uma nova unidade de execução urbanística entre a Avenida 9 de Julho (Estrada Famalicão-Póvoa) e a Rua Norton de Matos, na parte norte do Hospital.

A área abrange 23.490 m2, com proposta para 3.274m2 de terreno para parque de estacionamento público; uma parte destinada a edificação, com zonas comerciais e de serviços, e outras destinadas à habitação.

Esta proposta urbanística inclui um melhor acesso ao Hospital tanto para ambulâncias como para o trânsito em geral, evitando que os condutores tenham que ir à Rotunda de Santo António.

Na Avenida 9 de Julho será construída uma rotunda que permitirá simultaneamente o acesso à zona do Hospital e ao Talvai.

Esta proposta será analisada e votada na reunião de Câmara desta quinta-feira, seguindo-se um período de discussão pública que terá início no 5.º dia após a publicação do respetivo aviso em Diário da República.

Famalicão: Aparatoso despiste seguido de capotamento em Novais

O final de tarde desta segunda-feira fica marcado por um aparatoso despiste, seguido de capotamento, na Rua das Almas, em Novais, Famalicão.

O sinistro aconteceu cerca das 18h40 e, segundo as primeiras informações, terá deixado ferido um jovem.

(em atualização)