Mensagem do Arcipreste de Famalicão: Tudo mudou, menos a Páscoa

Este ano a Páscoa não é como a temos vindo a viver e a celebrar desde há muito tempo.

Por isso, estamos todos a reinventar a Páscoa. Não a Páscoa em si, mas o modo de a viver e de a celebrar. Os rituais alteraram-se substancialmente mas a sua essência permanece. Apesar de termos que fazer tudo de forma condicionada e contida, estamos a constatar que este mal da pandemia do coronavírus Covid – 19 espevitou a nossa criatividade e está a dar-nos a oportunidade de sairmos da rotina, de alguns hábitos e costumes que já não produzem os seus efeitos. Os sinais de que a Páscoa está a ser vivida e celebrada estão nas nossas Igrejas Domésticas, as famílias, onde pais e filhos se reúnem para celebrar os mistérios da fé. Não têm faltado subsídios para a família celebrar em casa a sua fé. Não faltam também os sinais visíveis das cruzes ornamentadas nos jardins ou nas portas das casas. Não faltarão também as velas à janela ou nos varandins das casas para assinalar que a família está em vigília pascal, unida a toda a Igreja universal a celebrar a Páscoa.

A Páscoa tem sempre esta capacidade transformadora do mundo do pranto, da tristeza, do medo e da morte em mundo de novos horizontes, das lágrimas enxugadas, da esperança experimentada e de vida nova. A Páscoa será sempre este convite a sintonizar a nossa respiração com aquele sopro imenso e intenso que incessantemente une o visível ao invisível, a terra e o céu, o instante e o eterno, a nossa pobreza e a riqueza de Deus. A Páscoa é a semente aberta, a desabrochar, a rebentar de força e de vida, a crescer e a transformar-se em planta, em árvore, em acontecimento novo. A Páscoa revela sempre o supremo excesso do Amor que Deus tem por nós. O filósofo Gabriel Marcel diz: “Amar é dizer: tu não morrerás!”. A Páscoa é este grande sopro inesperado, excessivo, e mesmo louco do Amor de Deus, revelado em Jesus Cristo. O que a Páscoa nos dá não é a morte mas a vida intensa, amada e desejada por Deus. Por isso, a Páscoa apresenta-se-nos como o coração do tempo. Dela tudo nasce, tudo depende e tudo ganha alento e sentido.

Com o nosso coração, assim, animado e fortalecido pela ressurreição de Cristo, não vemos neste acontecimento pandémico apenas dificuldades e problemas, perturbação e medo. Vemos também oportunidades.

Aqui está a nossa oportunidade para a mudança. Tudo mudou! Tudo está a mudar! E eu como estou a encarar esta oportunidade de mudança!? O mundo, isto é, a família, os idosos, os agentes de saúde, os mais pobres e frágeis, os presos, os indigentes, os injustiçados, só serão diferentes quando eu perceber a importância e o valor que cada um destes tem na minha vida. Vou cuidar deles!? Com o Covid-19 ou em qualquer outra situação, não deixemos de nos empenhar, ainda mais e seriamente, na superação destes flagelos, cada um de nós cumprindo o seu papel com responsabilidade. Estes gestos e atos são já ações pascais, transformadoras.

Com o Papa Francisco, bem sabemos que “estamos todos no mesmo barco” e “ninguém se salva sozinho”, e que no meio desta “tempestade que desmascara a nossa vulnerabilidade” precisamos de “despertar e ativar a solidariedade e a esperança” e “renovar a nossa fé pascal”.

A Páscoa é o Coração do Tempo! Vamos então centrar-nos no que é essencial. O Papa Francisco, numa inédita oração pela humanidade, deu o tom: “É o tempo de reajustar a rota da vida rumo a Ti, Senhor, e aos outros. (…) O Senhor interpela-nos e, no meio da nossa tempestade, convida-nos a despertar e ativar a solidariedade e a esperança, capazes de dar solidez, apoio e significado a estas horas em que tudo parece naufragar. (…) O Senhor desperta, para acordar e reanimar a nossa fé pascal. Temos uma âncora: na sua cruz, fomos salvos. Temos um leme: na sua cruz, fomos resgatados. Temos uma esperança: na sua cruz, fomos curados e abraçados, para que nada e ninguém nos separe do seu amor redentor”.

Em Cristo ressuscitado, o nosso rosto expresse verdadeira alegria e confiança. Tenhamos todos o rosto de gente salva.

Agora é a vida do Ressuscitado a marcar o tempo. Vivamos n’Ele, com Ele e como Ele.

A todos e a cada um de vós, a todas as comunidades e a todas as famílias, desejo uma Páscoa santa e fecunda.

P.e Francisco Carreira,Arcipreste de Vila Nova de Famalicão

Famalicão: PSP deteve jovem de 17 anos que conduzia sem carta

Agentes da Polícia de Segurança Pública detetaram, esta quinta-feira, um jovem de 17 anos a conduzir sem carta de condução.

No momento da abordagem das autoridades, o adolescente conduzia uma viatura na Avenida dos Descobrimentos.

O jovem foi detido e notificado para comparecer a tribunal.

 

PSP avisa: Há radar na variante de Famalicão neste mês de fevereiro

Dia 23 de fevereiro irá decorrer na variante nascente de Famalicão uma operação de controlo de velocidade com colocação de radar móvel.

A ação é levada a cabo pela Polícia de Segurança Pública e foi divulgada por esta autoridade nas últimas horas.

A fiscalização decorrerá a partir das 09h00.

Símbolos da Jornada Mundial da Juventude já estão em Famalicão

Chegaram a VN de Famalicão, na noite desta quinta-feira, os símbolos da Jornada Mundial da Juventude.

A Cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani, que retrata a Virgem Maria com o Menino nos braços, vão estar no Arciprestado até domingo.

Os símbolos entraram no concelho pela paróquia de Gondifelos e, a partir de amanhã, seguem para Vale S. Cosme, Riba de Ave, Avidos, Antas e Vila Nova de Famalicão.

Um dos pontos altos desta passagem será a Peregrinação dos Símbolos na noite de sábado, pelas 21h30, com início na Praça – Mercado Municipal e término na Igreja Matriz Nova.

Famalicão: Bombeiros alertados por cidadão que diz ter visto fumo a sair de prédio

Os bombeiros foram, na tarde desta quinta-feira, acionados por um popular que dizia ter visto fumo a sair da cobertura de um edifício, na Avenida Marechal Humberto Delgado, em Famalicão.

Chegados o local, e depois de acederem à cobertura do prédio, os soldados da paz não encontraram nenhum foco de incêndio ou até mesmo fumo.

Os meios acabaram por ser desmobilizados sem que existisse uma explicação para o fumo descrito no alerta que havia sido feito.

Famalicão: Esmeriz recebe sessão sobre reabilitação e valorização das zonas ribeirinhas

A Casa de Esmeriz recebe, na noite do próximo sábado, uma sessão de esclarecimento sobre o projeto “Recuperação e Valorização Hidrográfica da Bacia do Ave – VN Famalicão – Rio Pelhe”, tendo como orador o especialista em reabilitação de rios, Pedro Teiga, Doutor em Engenharia do Ambiente – Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.
O projeto tem como objetivo a reabilitação e valorização dos ecossistemas ribeirinhos do rio Pelhe, atravessando zonas agrícolas / florestal e aglomerados urbanos.
A ação de esclarecimento, com início marcado para as 21h30, destina-se não só à população em geral, mas, particularmente, a proprietários dos terrenos das margens das linhas de água.

Famalicão: Presidente da Câmara reuniu com profissionais da Educação

Ao final da tarde desta quarta-feira, representantes dos docentes e não docentes dos Agrupamentos de Escolas Camilo Castelo Branco e D. Sancho I foram recebidos, nos Paços do Concelho, pelo presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, e pelo vereador da Educação e Ciência, Augusto Lima.

Nesta reunião, os autarcas procuraram perceber melhor os temas que têm levado milhares de profissionais da educação a manifestarem-se e as questões prioritárias nas negociações com o Governo.

Mário Passos e Augusto Lima ouviram os docentes e os não docentes durante um encontro que também contou com representantes de todos os níveis de educação escolar, os técnicos especializados e os assistentes operacionais, nomeadamente os que trabalham diretamente com a Educação Especial.

Os dois autarcas mostraram-se compreensivos e solidários com as causas destes profissionais e evidenciaram a sua preocupação com o impacto deste período prolongado de greves para famílias e alunos. Mário Passos e Augusto Lima desejaram aos profissionais sucesso nas negociações com o Governo.