Mudanças de última hora na I Liga: Medida das cinco substituições não arranca para já

Em comunicado, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional refere que “a infeliz oposição de uma sociedade desportiva, no decurso das reuniões de hoje”, impede que “esta medida entrasse em vigor já na primeira jornada da retoma”, após a paragem motivada pela covid-19.

Para a LPFP, a posição do Marítimo, “além de desautorizar os departamentos de futebol, abria a porta a impugnações e procedimentos disciplinares que, a todo o custo, o futebol profissional deve evitar”.

O organismo que tutela o futebol profissional recordou que o plano de retoma decorreu “num clima de cooperação construtiva, com os contributos dos consultores de saúde pública da Liga Portugal e em articulação com o Grupo de Trabalho da USP [Unidade de Saúde e Performance] da FPF [Federação Portuguesa de Futebol] e com a DGS [Direção-Geral da Saúde]”, e foi feito “na exclusiva defesa dos interesses das sociedades desportivas”.

“A decisão, do regresso da Liga NOS, foi tomada em benefício dos clubes e dos seus compromissos, mas não pode, em circunstância alguma, comprometer as atuais condições de segurança e saúde ou as determinações do executivo governamental e da Direção-Geral de Saúde dirigidas ao futebol”, lê-se.

Neste processo, ficou “pelo caminho”, segundo a LPFP, “a transposição para os regulamentos internos da deliberação do International Football Association Board (IFAB), hoje divulgada oficialmente pela Federação Portuguesa de Futebol e já adotada para a Taça de Portugal, que, com vantagem, permitiria a utilização de cinco substituições e nove suplentes na Liga NOS”.

“É um claro revés para os interesses dos clubes e — ainda mais importante — para a preservação da condição física dos atletas, que foi bloqueada por uma interpretação excessivamente restritiva dos estatutos e que foi tão mais surpreendente quanto veio ao arrepio da posição unânime dos clubes, consultados os seus departamentos de futebol”, refere.

A LPFP relembra ainda que esta “foi uma proposta que, desde a primeira hora, se anunciou que seria submetida à ratificação da Assembleia Geral da Liga Portugal”.

“Com efeito, na falta da unanimidade dos participantes na competição, poder-se-ia suscitar a questão da utilização irregular de jogadores, que é sancionado com a pena de derrota, subtração de pontos e multa”, assume a LPFP.

O organismo adia, assim, a entrada em vigor desta medida até à Assembleia Geral, marcada para 09 de junho, dia em que começa a 26.ª jornada.

“Como forma de proteger a competição e as sociedades desportivas, de boa-fé, com ética, lealdade e transparência entendeu a Liga Portugal que a prudência impunha que a decisão não produzisse efeitos até que fosse aprovada pelo órgão (em condições normais) competente para o efeito”, lê-se.

O Marítimo tinha informado na sexta-feira que “renuncia” à possibilidade de impugnar a I Liga portuguesa de futebol, com regressa em 03 de junho, mas que rejeita ser “coagido” a assinar uma declaração “ilegal” no plano de retoma.

A I Liga vai ser reatada sob fortes restrições e sem público nos estádios em 03 de junho, com o encontro entre Portimonense e Gil Vicente, naquele que vai ser o primeiro dos 90 jogos das últimas 10 jornadas, até 26 de julho.

Após 24 jornadas, o FC Porto lidera a competição, com 60 pontos, mais um do que o campeão Benfica.

Além do principal escalão, também a final da Taça de Portugal, entre Benfica e FC Porto, integra o plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, ainda em data e local a designar.

Trofa recebe o maior evento de Kyokushin de Portugal

Na tarde de sábado, a partir das 14h30, o concelho da Trofa recebe a segunda edição do Open Kyokushin Portugal que vai decorrer no Pavilhão Desportivo da Escola EB 2/3 S. Romão do Coronado.

Depois do sucesso da primeira edição em 2019, este ano esperam-se mais de 100 atletas originários de vários países da Europa. Consciente da importância do Open para afirmação da modalidade em Portugal, o evento conta com o apoio institucional da Embaixada do Japão.

Organizado pela Associação Kyokushin do Ave, pela Associação Kyokushin Kai Portugal e pela Kyzami Martial Arts, com o apoio da Câmara Municipal da Trofa, este é o maior evento nacional de Kyokushin.

Kyokushin é um estilo de karaté dinâmico, baseado nos princípios do “bushido”, caminho do guerreiro, dando ênfase aos conceitos ancestrais como ser rigoroso consigo mesmo e ser compreensivo com seus semelhantes.

Famalicão: Corrida Popular de Gavião regressa a 18 de junho

Depois do interregno motivado pela pandemia covid-19, a Corrida Popular de Gavião está de volta. Trata-se da décima quarta edição e realiza-se no dia 18 de junho, a partir das 18 horas, do renovado Parque Desportivo das Ribeiras, com um percurso de 6 km.

As inscrições são grátis e podem ser feitas em www.famalicaodesportivo.pt ou em FPA Competições.

A prova é organizada pelo Grupo Recreativo Gavião e insere-se nas comemorações do Dia da Freguesia.

Famalicão: 24 Horas BTT ENIF já tem troféu

A prova organizada pela associação Amigos do Pedal realiza-se nos dias 18 e 19 de junho, no Louro, e já tem troféu, inspirado no percurso da prova.

Esta jornada de BTT, que vai na décima segunda edição, promete o mesmo de sempre: a melhor organização, o melhor percurso, o melhor desafio, a melhor animação; tudo a partir do Louro, a partir do Lugar de Barradas, junto à Louropel.

As inscrições decorrem em 24horasbttfamalicao.com

Todos ao Jamor para apoiar a equipa feminina do FC Famalicão

No tarde do dia 28 de maio, a equipa feminina do FC Famalicão disputa a final da Taça de Portugal, contra o Sporting, no Estádio Nacional do Jamor.

Para este momento singular na história do emblema famalicense, o clube continua a desenvolver uma campanha que convida os famalicenses a fazerem parte desta festa do futebol. O ingresso e transporte custam 10 euros e os interessados devem dirigir-se à Loja Oficial ou à Academia.

Vários clubes famalicenses, associando-se a este apelo e a este momento inédito no desporto concelhio, estão a partilhar nas redes sociais este convite, apelando a que todos apoiem a equipa neste importante jogo, marcado para as 17h15 do dia 28 de maio.

Famalicão: Cerca de 789 alunos do Agrupamento de Escolas de Pedome aprendem ténis

O Clube de Ténis de São Pedro de Bairro está a ensinar ténis, de forma gratuita, nos meses de maio e junho, aos 789 alunos do pré-escolar e 1.º ciclo que frequentam o Agrupamento de Escolas de Pedome. Começaram por participar os 147 alunos da Escola Básica de Bairro.

Este é um projeto que está inserido no programa “A minha escola tem ténis”, com os objetivos de expandir a modalidade a um maior número de crianças, desenvolver uma rede de ligações entre a Escola de Ténis e Escolas de Ensino, além de promover os valores éticos associados a esta modalidade desportiva.

Esta dinamização faz parte do Projeto de Intervenção de Fomento da Associação de Ténis do Porto, com apoio da Federação Portuguesa de Ténis.

Assinaram o protocolo, que permite tornar real este projeto, a diretora do Agrupamento de Escolas de Pedome, Sandrine Fortes; o presidente do Clube Ténis São Pedro de Bairro, Victor Azevedo; a coordenadora do Fomento Norte de Portugal do distrito de Braga, Ângela Cardoso; e o coordenador do departamento de fomento da Federação Portuguesa de Ténis, Pedro Lobão.

 

Famalicão: Pedro Almeida promete competitividade no Rali de Portugal

Ao volante de um Skoda Fabia, Pedro Almeida e Mário Castro vão disputar o Rally de Portugal, prova do WRC – Campeonato do Mundo de Ralis que se realiza entre quinta-feira e domingo, entre Coimbra e Matosinhos. A dupla está inscrita no WRC2 e no CPR – Campeonato de Portugal de Ralis.

«O nosso foco é o CPR e estar bem, em especial nas classificativas que pontuam para o Campeonato de Portugal», salienta Pedro Almeida.

Pedro Almeida, que vai para a quarta participação, diz que quer «desfrutar do evento, mas impondo-nos a responsabilidade de sermos muito competitivos, de dar o máximo e continuar a aproximação aos registos dos pilotos mais rápidos do CPR, somando pontos no campeonato».

O famalicense salienta ainda a dureza da prova, que exige atenção aos pilotos nacionais. «Temos trabalhado muito na preparação e confiamos na fiabilidade do Skoda Fábia, fundamental para cumprir os nossos objetivos. No Rally de Portugal partimos mais atrás, já encontramos o terreno degradado e isso exige-nos cuidados redobrados», aponta o piloto.

O Rally de Portugal começa esta quinta-feira com uma curta super especial em Coimbra e prolonga-se até domingo, com final em Matosinhos. A classificação do CPR- Campeonato de Portugal de Ralis fica fechada no final de sexta-feira, após a realização da especial de classificação 9, a super especial de Lousada.