Pelo menos um morto no sequestro num supermercado do sul de França. AFP fala em dois

Pelo menos uma pessoa morreu esta manhã num sequestro num supermercado no sul de França. O incidente começou por volta das 11 da manhã, hora local. Cerca de duas horas depois, os reféns já tinham sido libertados. O primeiro-ministro francês diz que tudo leva a pensar que se trata de um ato terrorista.

Pelo menos uma pessoa foi morta hoje de manhã numa tomada de reféns num supermercado em Trèbes, perto de Carcassonne, no sul de França, anunciou o comandante da polícia local.“Temos infelizmente a suspeita de uma morte, mas não podemos fazer entrar um médico para confirmar”, disse à France-Presse o general Jean-Valéry Lettermann.

Por volta das 13:00 (menos uma hora em Lisboa), todos os reféns tinham já sido libertados.

Uma fonte próxima do processo disse à AFP que há pelo menos dois mortos.

A Associated Press cita por seu turno o secretário-geral do sindicato da polícia, Yves Lefebvre, que afirma que um refém foi morto a tiro e outro gravemente ferido.

O presidente francês, Emmanuel Macron, pediu ao ministro do Interior, Gérard Collomb, para se deslocar a Trèbes.

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, afirmou que tudo leva a crer que o tiroteio seguido por uma tomada de reféns perto de Carcassonne, se trata de “um ato terrorista”.

“A seção antiterrorista do Ministério Público de Paris está a reunir todas as informações que temos até ao momento e essas informações sugerem que se trata de um ato terrorista”, disse Philippe, que interrompeu a visita que fazia a Mulhouse (no norte do país).

Um homem, que afirmou agir em nome do grupo ‘jihadista’ Estado Islâmico, entrou no supermercado cerca das 11:15 (10:15 em Lisboa) e foram ouvidos tiros, segundo fonte judicial citada pela agência France-Presse (AFP).

Pelo menos uma pessoa terá falecido no ataque, segundo o general Jean-Valéry Letterman, citado pela agência France-Presse, mas até o momento as forças de segurança não conseguiram enviar um médico para confirmar a situação.

A justiça antiterrorista assumiu a investigação do ataque, que o primeiro-ministro francês Edouard Philippe classificou como “sério”.

Famalicão: Município quer que refugiados ucranianos se sintam em casa

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão, Mário Passos, recebeu, esta sexta-feira, um grupo de refugiados ucranianos, recém-chegados a Famalicão. São já mais de 30 os refugiados em Famalicão, que estão a receber ajuda de familiares, amigos, empresas e do município. Os que fogem da guerra são, sobretudo, crianças e mulheres.

O município, com a ajuda de particulares, instituições e empresas, está a encetar todos os esforços para trazer mais pessoas que fogem da guerra na Ucrânia. Famalicão poderá acolher algumas centenas de pessoas.

Emigrante português com 35 anos morre em acidente de trabalho num hotel de Bruxelas

Um emigrante português morreu, esta segunda-feira, ao cair de uma altura superior a 30 andares, no Hotel Sheraton, em Bruxelas, na Bélgica.

O acidente aconteceu cerca das 16h00 e, depois da queda, a vítima terá embatido com violência numa plataforma instalada no exterior do 3º piso.

O português de 35 anos participava nas obras de requalificação daquela unidade hoteleira.

O óbito foi declarado no local.

É de Famalicão emigrante de 35 anos que morreu em acidente de trabalho em Bruxelas

Depois de IKEA, grupo ZARA fecha mais de 500 lojas na Rússia

O grupo Inditex, dono de marcas como Zara, Stradivarius, Bershka ou Massimo Dutti, anunciou que vai fechar as mais de 500 lojas em território russo.

Esta é mais uma decisão que surge na sequência da invasão de tropas russas à Ucrânia.

O grupo Inditex segue, desta forma, outros grandes grupos que já tomaram a decisão de abandonar a Russia.

 

Presidente da Ucrânia envia mensagem a Portugal para agradecer o apoio que tem recebido

O Presidente da Ucrânia utilizou as redes sociais para deixar uma mensagem de agradecimento a Portugal.

Volodymyr Zelensky refere que falou com Marcelo Rebelo de Sousa e agradeceu todas as medidas que receberam o apoio português.

Veja a mensagem

Governo ucraniano quer confundir tropas russas e pede que população arranque placas de trânsito

O governo ucraniano fez mais um apelo à população: Desta vez é pedido à comunidade que se mobilize nas ruas e remova todas as informações de trânsito.

Desta forma, o governo ucraniano acredita que é possível confundir as tropas russas, uma vez que sem essas placas elas deverão ficar desorientadas.

A informação está a ser transmitida à população através de vários meios, como é exemplo a internet.

Lá fora: França testa radares que vão multar veículos que façam muito barulho

Há novos radares em França que, para além de controlarem a velocidade, vão controlar o ruído emitido pelos veículos.

Estes novos equipamentos já foram instalados nas imediações de Paris e estão por esta altura a serem testados. Terminada esta primeira fase, os novos radares vão começar a multar todos os veículos que façam um ruído superior a um determinado número de decibéis.

Ainda não é conhecido o limite de decibéis permitido, contudo, já se sabe que a multa mais baixa é de 135 euros.