Porminho quer faturar 60 milhões em 2020

A pequena empresa de cariz comercial que nasceu há 34 anos em Famalicão transformou-se numa das principais fabricantes agroalimentares do norte do País. A Porminho tem em curso um investimento de 18 milhões de euros para ganhar escala global.

A empresa agroalimentar Porminho tem em curso um projeto de ampliação das suas instalações industriais em Famalicão (distrito de Braga). A fabricante de produtos de charcutaria e carne fresca vai desembolsar 18 milhões de euros para fazer crescer a dimensão da fábrica dos atuais oito mil metros quadrados para 20 mil metros quadrados. Um investimento que vai permitir a criação de 30 novos postos de trabalhado naquela região do norte do País.

Com a ampliação da unidade industrial, a empresa planeia aumentar a capacidade de produção e automatizar os processos fabris. A ambição da pequena empresa comercial que nasceu há 34 anos em Famalicão e se transformou numa das principais empresas da indústria agroalimentar do norte do País, é apostar forte no lançamento de novos produtos, através de investigação interna e em parceria com universidades e outras entidades ligadas ao setor alimentar. E exportar mais. “Sem o projeto de expansão em curso, o crescimento fica claramente comprometido. Atualmente, produzimos 200 toneladas por semana e temos limitações de espaço que não nos permitem ir mais além”, disse em entrevista ao HIPERSUPER Tiago Freitas, administrador da Porminho. O plano de investimento, que deverá estar concluído em 2020, define a meta de 2028 para alcançar o retorno do investimento.

A empresa deu um salto de gigante a partir de 2010, quando faturava cerca de 17 milhões de euros e dava emprego a 132 pessoas. Sete ano depois, a Porminho detinha 250 funcionários e um volume de negócios de 46 milhões de euros. “Este incremento ficou a dever-se a um crescimento generalizado de produtos e mercados. A Porminho alargou os seus horizontes mercadológicos e atualmente está presente em quase todos os segmentos de clientes em território nacional e nos mercados externos”, justifica Tiago Freitas. A empresa começou a trabalhar o mercado internacional “de forma mais relevante” junto dos PALOP (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa), em 2009. Atualmente exporta para 12 países a gama de produtos de charcutaria, maioritariamente com a sua própria marca. No ano passado, a exportação representou cerca de 15% do volume de negócios.

Faturação de €60 milhões em 2020

A atual estratégia passa por conquistar novas geografias e consolidar as vendas nos mercados onde já está presente. Participa “regularmente” em feiras internacionais para angariar novos clientes – leia-se importadores, distribuidores ou cadeias de distribuição – e desenvolve um “trabalho próximo com os atuais clientes para acompanhar de perto a evolução do seu negócio”.

Quando o plano de investimento estiver concluído, em 2020, a empresa famalicense estima atingir um volume de negócios de 60 milhões de euros.

O portefólio da Porminho está hoje adequado a diversos segmentos e utilizações, abrange desde produtos gourmet e de conveniência até aos componentes para a preparação de refeições rápidas. “Temos projetos em desenvolvimento para trabalhar produtos que respondam às exigências de uma alimentação cuidada, os quais estão ligados ao novo projeto de expansão industrial”, conta o administrador da empresa agroalimentar.

Diversificar a oferta tem sido uma das principais preocupações para dar resposta a motivações mais direcionadas para uma utilização prática dos produtos ou para investir em segmentos mais económicos.

Fundada pela família Freitas em 1984, a partir de um pequeno negócio que rapidamente ganhou escala industrial, a Porminho tem vindo ao longos dos anos a investir na modernização da sua unidade industrial, na aquisição de novos equipamentos produtivos, no alargamento dos recursos humanos e no reforço dos sistemas de certificação de qualidade e segurança alimentar.

 Fonte: HIPERSUPER 

Famalicão: Jovens partilham ideias e desafios para o seu futuro profissional

Mais de 30 jovens famalicenses, que procuram um novo desafio profissional, participaram, na semana passada, em dois Creativity Camp, com duração de dois dias, promovidos pelo programa Contrato Local de Desenvolvimento Social 4G/Comunidades Incubadoras.

Esta ação de formação, que decorreu na Casa da Juventude, tem objetivos e metodologias de trabalho específicos e contou com o apoio do Movimento Transformers, sendo «um espaço e momento de partilha, criatividade, desafios e procura de soluções», conforme referiu Ana Carvalho, coordenadora da equipa do CLDS.

Sonhos, objetivos, propósito, forças e fraquezas, análise e foco, foram alguns dos conceitos que se debateram nesta ação. A identificação de áreas de interesse e o pensamento criativo para o desenho de novas soluções foi uma constante ao longo dos dois dias de formação.

No decorrer desta iniciativa surgiram projetos com potencial de serem incubados com o apoio da equipa do CLDS 4G no território do Município.

O CLDS 4G é um programa do Instituto da Segurança Social, promovida pela Câmara Municipal e que tem a ENGENHO, como entidade coordenadora e executora do projeto.

Famalicão: “Manta de Afetos” no Dia Internacional da Pessoa Idosa

“Manta dos Afetos” é muito mais do que uma tapeçaria, representa convívio e interação entre centenas de pessoas de mais idade. Estes trabalhos foram mostrados no dia 1 de outubro, nas comemorações do Dia Internacional da Pessoa Idosa, assinaladas no concelho famalicense com uma festa convívio que decorreu no Parque do Quinteiro, em Oliveira São Mateus.

Perto de três centenas de seniores famalicenses associaram-se à festa que contou com vários momentos de animação, protagonizados pelos alunos dos cursos técnicos de desporto, geriatria e restauração da Didáxis de Riba de Ave e pela Tuna ARRA, Associação de Reformados da freguesia, e com uma ação de sensibilização para os direitos da pessoa idosa pela PSI-ON.

O município de Famalicão já anunciou a intenção de criar Academias Seniores, um programa descentralizado de promoção de uma vida ativa junto dos seniores. Presente no convívio de Oliveira S. Mateus, o presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, falou «na importância de se trabalhar a problemática do isolamento social, de reforçar os laços de pertença dos seniores à comunidade e de potenciar uma vida mais ativa através do trabalho criativo e da partilha de atividades e de experiências, conforme são objetivos deste projeto».

 

 

Famalicão: Casal apanhado pela GNR a roubar combustível do depósito de duas viaturas

A GNR deteve hoje um homem, de 40 anos, e uma mulher, de 30, por furto de combustível no concelho de Barcelos, no distrito de Braga, anunciou aquela força.

Em comunicado, a GNR refere que se trata de uma investigação envolvendo mais de uma dezena de furtos de combustível nos concelhos de Barcelos, Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso e Vila do Conde.

Os suspeitos foram detidos em flagrante, quando se encontravam a furtar gasóleo do depósito de duas viaturas, num estaleiro de obras.

No seguimento da ação policial, foi realizada uma busca domiciliária que permitiu apreender 175 litros de gasóleo, 17 bidões para transporte de combustível, uma viatura, um telemóvel e diverso material associado àquele tipo de furto.

Os suspeitos vão ser presentes na terça-feira ao Tribunal de Barcelos, para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.

Famalicão: Eduardo Oliveira apresenta lista

Eduardo Oliveira, recandidato à concelhia do Partido Socialista de Famalicão, divulgou a sua lista para a Comissão Política, onde figuram nomes como Sandra Moreira, de Vilarinho das Cambas; Manuel Loureiro, antigo autarca de Fradelos e mandatário da candidatura de Eduardo Oliveira; Sérgio Cortinhas, vereador municipal oriundo de Joane; Jorge Costa, líder do grupo do PS na Assembleia Municipal; Aristides Freitas, Camilo Lellis, Sandra Lopes, Amaro Araújo, Manuel Carvalho, Elisa Costa, Rui Carvalho, entre outros.

Isabel Silva também se recandidata à presidência da comissão política das Mulheres Socialistas – Igualdade e Direitos de Vila Nova de Famalicão. Ricardo Dias recandidata-se a coordenador da secção de Famalicão e Laetitia da Costa também se recandidata a coordenadora da Secção de Riba de Ave.

António Silva, que foi candidato à presidência da Junta da União de Freguesias de Famalicão e Calendário, e Albano Costa são candidatos a presidentes das mesas das seções de Vila Nova de Famalicão e Riba de Ave, respetivamente.
Recorde-se que Eduardo Oliveira é o atual presidente da concelhia do PS e recandidata-se para um segundo mandato, com a moção “Todos por Famalicão”, tendo por objetivo «continuar a crescer para servir Famalicão» e ganhar as autárquicas de 2025.

As eleições realizam-se no próximo sábado, dia 8 de outubro, na sede concelhia do Partido Socialista de Vila Nova de Famalicão, entre as 14h00 e as 22h00.

 

Famalicão: Supermercado ALDI abre em Joane ainda este ano

Tal como a Cidade Hoje avançou, a rede de supermercados ALDI prepara-se para abrir uma loja em Vila Nova de Famalicão.

O espaço fica localizado na vila de Joane, na Avenida Padre Silva Rego, junto à VIM.

A cadeia de supermercados de origem Alemã ALDI está em expansão no território nacional, sendo que na região vai avançar com a construção de uma plataforma logística, em Santo Tirso.

A Cidade Hoje está em condições de avançar que a loja ALDI de Joane vai entrar em funcionamento ainda no decorrer deste ano.

Famalicão: Casa do Artista Amador de portas abertas para a cultura

Há, no concelho, um novo espaço de criação cultural e artística. A Casa do Artista Amador, no Louro, abriu portas este domingo, sendo mais um equipamento «ao serviço da descentralização e democratização cultural no concelho», referiu Mário Passos na sessão de inauguração.

O espaço, que é sede da promotora do festival Laurus Nobilis, a Associação Ecos Culturais do Louro, resulta da requalificação da antiga escola primária de Gandra, que teve um apoio municipal de cerca de 77 mil euros. Trata-se de «um sonho de longa data, agora concretizado pela conjugação de esforços incansáveis da Câmara Municipal, Junta de Freguesia, associados e de muitas empresas do concelho», agradeceu o responsável da associação. José Aguiar promete, doravante, «um espaço aberto a todos aqueles que precisam de um local para produzir e expor a sua arte».

Na inauguração da Casa do Artista Amador, que decorreu ao final da manhã deste domingo, Mário Passos deu nota da «persistência e proatividade» da Associação Ecos Culturais do Louro. O presidente da Câmara Municipal considera que «a cultura famalicense ganhou um novo palco de excelência, ao mesmo tempo que se deu uma nova vida a um antigo edifício escolar da freguesia».

Em termos de programação, outubro marca o arranque com propostas para todos os gosto, contabilizando-se cerca de 25 iniciativas, entre concertos, exposições, palestras, entre outros.

Mais informações na página oficial de Facebook da Associação Ecos Culturais do Louro, em www.facebook.com/EcosCulturaisdoLouro.