Renascimento do Teatro Narciso Ferreira traz dinamismo e centralidade a Riba de Ave

A reabilitação física e cultural do Teatro Narciso Ferreira, em Riba de Ave, uma obra emblemática da freguesia que está atualmente em estado de ruína, é vista como um sinal de revitalização da própria vila.

“Vamos reerguer este edifício e vamos fazê-lo num contexto de rejuvenescimento de Riba de Ave”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, esta segunda-feira, durante a assinatura do auto de consignação, que marcou o arranque das obras de reabilitação do edifício.

Encerrado desde os anos 90, altura em que estalou a crise do sector têxtil que afetou o Vale do Ave, o Teatro Narciso Ferreira deverá voltar a abrir portas no final de 2020, através de um projeto de recuperação que chega aos 3,5 milhões de euros e cuja obra foi entregue à empresa Costeira – Engenharia e Construção, SA.

Com verbas aprovadas no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), assinado entre a autarquia e o Programa Operacional Norte 2020, o município tem garantido um cofinanciamento FEDER, no valor de 2,9 milhões de euros.

O lançamento desta obra é um “momento marcante para Riba de Ave. A vila vai ganhar uma nova valência e um conjunto de condições que lhe vai permitir ter uma atividade cultural. Riba d’Ave voltará a ter uma centralidade cultural, recreativa e lúdica. Voltará a ter condições para que as forças vivas desta comunidade ganhem um novo dinamismo e vitalidade”, assinalou Paulo Cunha.

Visivelmente emocionada, a presidente da Junta de Freguesia de Riba d’Ave, Susana Pereira, realçou que a recuperação do teatro “é um momento simbólico que traz uma nova esperança à freguesia”. A autarca que se recorda bem “das tardes de cinema e de teatro no edifício” salientou que se trata de “um equipamento único pela sua história e pelo fim a que se destina e ímpar pela sua obra”.

“Riba D’Ave perdeu as escolas, os CTT saíram da avenida. Têm acontecido coisas muito más e espero que com as obras do teatro, e a atividade que aqui se vai desenvolver, traga uma nova dinâmica”, salientou ainda Susana Pereira.

A requalificação do Teatro Narciso Ferreira, inaugurado em 1944 e batizado em honra do empresário têxtil responsável pela construção das fábricas mais importantes de Riba de Ave no século XX, é assim um investimento fundamental para o desenvolvimento sócio-económico da vila.

A requalificação, projetada pelo arquiteto Noé Dinis, “um filho da terra” vai preservar os traços exteriores, desenhados pelo arquiteto portuense Manuel Amoroso Lopes, mas remodelar todo o interior. “Trata-se de um belo exemplar da arquitetura modernista que importa manter”, referiu Noé Dinis, salientando que “a obra deverá homenagear a inovação e carater empreendedor de Narciso Ferreira e levar a bom porto o desígnio de desenvolvimento que Riba de Ave merece”.

O projeto foi elaborado em colaboração com ESMAE e com o arquiteto José Prata, nomeadamente no que respeita às áreas de Arquitetura de Cena e Acústica.

O Teatro Narciso Ferreira vai-se tornar num espaço multifacetado, preparado para espetáculos de teatro, de dança ou de música e para sessões de cinema e capaz de responder às necessidades da própria comunidade, mas também de albergar alguns espetáculos de âmbito mais profissional.

A sala de espetáculos apresentará uma tipologia contemporânea multifuncional, de cota única, contemplando uma bancada telescópica motorizada e um teto técnico integral praticável, características que lhe permitirão configurações cénicas variáveis, capazes de responder tanto a desafios criativos específicos quer a montagens mais tradicionais, e ainda a utilizações de carácter lúdico e de atividades do âmbito da formação e da vida comunitária. Reunirá ainda os requisitos técnicos necessários à realização de assembleias, reuniões magnas, atos públicos e sessões solenes; conferências, palestras e apresentações; dança; música de câmara e/ou solista – vocal e/ou instrumental; música moderna e contemporânea com componente eletroacústica dominante; Ópera e Teatro.

FC Famalicão vence nos quartos de final da Taça da Liga

A equipa feminina do FC Famalicão venceu, na tarde deste domingo, o Lank Vilaverdense, por 3-1.

Na Academia e no primeiro jogo dos quartos de final da Taça da Liga, o Famalicão foi claramente superior em todos os momentos do jogo e só deve a si um resultado bem mais folgado.

Os três golos famalicenses foram apontados na primeira parte, por Laís Araújo, Pati e Alidou, em resultado de uma boa exibição.
O Lank Vilaverdense esboçou, nos primeiros minutos da segunda parte, uma reação e fez um golo.

Até final, a equipa treinada por Miguel Afonso desperdiçou mais algumas oportunidades para dilatar o marcador.

Mónica Vilela dos B.V.Riba d’Ave foi a bombeira do concelho mais rápida a subir o Bom Jesus

Mónica Daniela Silva Vilela, dos Bombeiros Voluntários de Riba d’Ave, foi a mais rápida do concelho a fazer a prova “Escadórios da Humanidade”, que se realizou este sábado, no Bom Jesus, em Braga.

A prova juntou centenas de bombeiros de todo o país e não só que tinham como objetivo subir os 566 degraus do Bom Jesus. Para além da dificuldade da prova, acresce o facto de os participantes terem que efetuar o desafio totalmente equipados.

Mónica Vilela, que outrora teve o título de bombeira mais rápida de Portugal, fez a prova em 8:53, tendo alcançado o 3 lugar do seu escalão (Sénior Fem.) e a 211ª posição da classificação geral.

Nesta competição participaram elementos de todas as corporações de Vila Nova de Famalicão, o homem mais rápido do concelho foi Carlos Rafael Freitas dos B.V.Famalicão.

Famalicão: Embatem em carro, provocam estragos consideráveis e fogem

Um carro ficou com vários estragos depois de, aparentemente, ter sofrido um embate de uma viatura que se colocou em fuga, na freguesia de Pedome, em Vila Nova de Famalicão.

O acidente aconteceu na tarde deste sábado, entre as 14h45 e as 17h30, relata a proprietária do veículo na imagem.

A lesada refere que estacionou o veículo junto à igreja de Pedome e só deu conta do sucedido quando regressou a ele, cerca das 17h30. No local não foram encontrados elementos suficientes que pudessem identificar o autor dos estragos, apenas algumas marcas que indiciam que o veículo envolvido será de cor azul.

A mulher apela à comunidade para, no caso de ter informações sobre o acidente, o reportem.

Maior transportadora Suíça abre escola em Famalicão: Vai formar e contratar motoristas de pesados

O maior transportador da Suíça (Galliker Transport AG), vai abrir instalações em Vilarinho das Cambas, Vila Nova de Famalicão.

O objetivo deste espaço passa pela formação e recrutamento de motoristas de pesados em Portugal, para uma futura carreira na Suíça, com as condições salariais e regalias praticadas naquele país.

Trata-se de um investimento inicial de um milhão de euros e que será apresentado ao detalhe na próxima quarta-feira, nas novas instalações do grupo em Portugal.

A Galliker Transport AG vai ficar instalada na Rua da Economia nº 152, em Vilarinho das Cambas.

Famalicão: Carro estacionado na cidade aparece danificado e autor dos estragos está por localizar

Um Renault Clio dos novos foi encontrado pela sua proprietária com vários estragos, na zona lateral e traseira, no centro da cidade de Famalicão.

A viatura estava estacionada ao lado do Parque 1º de Maio, nas proximidades do concessionário da Renault, e os estragos terão sido provocados no último domingo, dia 18 de setembro.

A proprietária do carro deparou-se com aquela situação por volta das 00h00, assim que saiu do emprego e se preparava para regressar a casa.

Passada uma semana desde o incidente, a lesada ainda não conseguiu obter informações que a levassem ao responsável pelos estragos, no entanto, não perde a esperança que alguém tenha visto o que aconteceu e possa ajudar, uma vez que os custo de reparação será avultado.

Famalicão: Carro estacionado na Praça D.Maria II fica sem parte do para-choques, sem sensores e cablagem

Há registo de mais uma viatura que ficou sem parte do para-choques e alguns acessórios no centro de Vila Nova de Famalicão.

O furto ocorreu na madrugada deste sábado, entre as 00h00 e as 03h00, sendo que a viatura estava estacionada numa zona bastante iluminada da renovada Praça D.Maria II.

Para além de uma parte do para-choques, os larápios terão arrancado os sensores de estacionamento e alguma cablagem do automóvel.

O caso foi reportado às autoridades que, segundo o lesado, terão admitido tratar-se de uma situação recorrente.