Todo o país em aviso amarelo devido ao frio

Segundo a informação disponibilizada no seu ‘site’, o IPMA refere que hoje são três os distritos – Bragança, Guarda e Vila Real – que estão sob aviso amarelo devido à persistência de valores baixos de temperatura mínima, aos quais se juntam, a partir das 03:00 de segunda-feira os restantes distritos portugueses.

O aviso amarelo é emitido sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Devido à persistência de valores baixos de temperatura mínima para os próximos dias, o IPMA coloca, a partir da madrugada de segunda-feira, os 18 distritos do Continente sob aviso amarelo.

O aviso amarelo do IPMA irá vigorar até às 07:00 de quarta-feira.

Segundo o organismo, as temperaturas vão descer em Portugal a partir de segunda-feira, com mínimas entre os 5º e -6º, mantendo-se tempo frio até ao final da semana.

Em comunicado, o IPMA refere que o tempo frio é causado por um anticiclone localizado no norte da Europa, que se estende, “em crista até ao Atlântico” e “transportará uma massa de ar frio continental para a Península Ibérica”.

Esta “descida acentuada dos valores de temperatura até segunda-feira, dia 23”, deve manter-se “sem alterações significativas até ao final da semana” e não há previsão de chuva, ainda segundo o instituto meteorológico.

Na segunda-feira, de acordo com o IPMA, a “temperatura mínima deverá variar aproximadamente entre 0º e 5° C, sendo inferior no interior Norte e Centro, onde irá baixar até valores entre 0 e -6° C”, prevendo-se igualmente a formação de geada.

A temperatura máxima também vai descer, “prevendo-se na generalidade do território valores entre 10º e 15°C e, no interior Norte e Centro, valores entre 5º e 10° C”.

3 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Credithora oferece cartão com 250€ a quem recorrer aos serviços de intermediação de crédito

Se vai comprar ou construir casa e precisa de financiamento, se precisa renegociar ou consolidar o seu crédito, saiba que encontra na empresa famalicense CREDITHORA a solução para todas essas questões.

A CREDITHORA é especialista em contratos de crédito aos consumidores, prestando todo o acompanhamento e apoio na hora de celebrar ou renegociar um crédito. Para além disso, e de forma a poder ajudar todas as famílias, a CREDITHORA dispõe de um serviço de consultadoria gratuita na intermediação de crédito.

Até ao final deste mês de fevereiro, ao recorrer aos serviços da CREDITHORA (crédito habitação, construção, transferência de crédito, auto construção), exclusivamente por e-mail geral@credithora.pt ou pelo contacto 912 971 210, pode usufruir de um cartão de 250 euros para gastar em qualquer loja Worten do território nacional. Esta é uma oferta direta, válida para todos os clientes e sem concurso / passatempo.

Pode saber mais sobre esta campanha no facebook ou instagram da CREDITHORA .

A CREDITHORA está localizada em plena Avenida Marechal Humberto Delgado, 263 1ºDt Frente, em Vila Nova de Famalicão. Todos os serviços estão disponíveis para consulta no site credithora.pt.

PSP avisa: Há radar na variante de Famalicão neste mês de fevereiro

Dia 23 de fevereiro irá decorrer na variante nascente de Famalicão uma operação de controlo de velocidade com colocação de radar móvel.

A ação é levada a cabo pela Polícia de Segurança Pública e foi divulgada por esta autoridade nas últimas horas.

A fiscalização decorrerá a partir das 09h00.

Braga é dos distritos com mais acidentes de trabalho graves

Os dados disponíveis na página da internet da ACT referem-se a acidentes de trabalho com vítimas mortais objeto de inquérito no âmbito da ação inspetiva levada a cabo pela autoridade.

Do total de acidentes com vítimas mortais registados no ano passado, 49 ocorreram no setor da construção, 18 no das indústrias transformadoras e 16 na agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca.

A maioria dos acidentes (101) sucedeu nas instalações das empresas.

Segundos a ACT, a generalidade (32) dos acidentes com vítimas mortais ocorreu em estaleiros, pedreiras, minas a céu aberto e construção.

Das 124 vítimas mortais registadas, 90 eram cidadãos nacionais, a maioria (101) homens nas faixas etárias dos 55 aos 64 anos (39) e dos 45 aos 54 (32).

Segundo os dados da ACT, Lisboa foi o distrito onde ocorreram mais acidentes com vítimas mortais (25), seguido do Porto (18), Beja (12) e Aveiro e Leiria (10).

Em 2023 e até 01 de fevereiro, foram já registados três acidentes com vítimas mortais nas instalações das empresas nos distritos de Aveiro, Beja e Braga.

Quanto a acidentes de trabalho com vítimas que ficaram em estado grave, em 2022, a ACT contabilizou 427, menos 186 do que em 2021 (613).

A maioria das vítimas (353) foram homens, na faixa etária entre os 45 e os 54 anos, sendo a generalidade dos ferimentos (202) causados por fraturas e em acidentes em edifícios, construções e superfícies acima do solo.

Lisboa, com 126, foi o distrito onde se registaram mais acidentes com vítimas graves, seguido do Porto (96) e Braga (49).

Famalicão: Bombeiros alertados por cidadão que diz ter visto fumo a sair de prédio

Os bombeiros foram, na tarde desta quinta-feira, acionados por um popular que dizia ter visto fumo a sair da cobertura de um edifício, na Avenida Marechal Humberto Delgado, em Famalicão.

Chegados o local, e depois de acederem à cobertura do prédio, os soldados da paz não encontraram nenhum foco de incêndio ou até mesmo fumo.

Os meios acabaram por ser desmobilizados sem que existisse uma explicação para o fumo descrito no alerta que havia sido feito.

Braga: GNR identifica homem que matou cão de companhia a tiro

Agentes da Guarda Nacional Republicada identificaram, esta quarta-feira, um homem de 62 anos pelo crime de morte e maus tratos a um animal de companhia.

Segundo avança o Correio da Manhã, “ao terem conhecimento que o homem alegadamente matou um cão com uma arma de fogo, os militares realizaram um mandado de busca domiciliária e três buscas em viaturas”.

Foram apreendidas duas espingardas, uma catana e 58 cartuchos.

Os factos foram comunicados ao Tribunal Judicial de Braga.