Trofa discute Carta Metropolitana para a Cultura

A Área Metropolitana do Porto e os Municípios que a integram (Arouca, Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Oliveira de Azeméis, Paredes, Porto, Póvoa de Varzim, Santa Maria da Feira, São João da Madeira, Santo Tirso, Trofa, Vale de Cambra, Valongo, Vila do Conde e Vila Nova de Gaia) debatem com a comunidade a Versão Zero da Carta Metropolitana para a Cultura. Uma das 17 sessões será dia 11 de fevereiro, no auditório do Fórum Trofa XXI, pelas 19h00. A participação na sessão é gratuita, mas carece de uma inscrição obrigatória.

Os interessados em participar na sessão de Discussão pública na Trofa deverão fazer a sua inscrição através do link https://bit.ly/3vZpnHv e consultar toda a informação referente à Carta Metropolitana no site da Câmara Municipal da Trofa.

A Carta Metropolitana para a Cultura pretende ser o principal instrumento de elaboração, execução e análise das políticas culturais da Área Metropolitana do Porto.

A Versão Zero é o resultado de um esforço de consulta e diálogo iniciado em maio de 2022 com os municípios, os agentes culturais, a academia e a comunidade, e que pretendem aberto, participado e contínuo.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Arranca na Trofa o curso de Escultura e Pintura de Arte Sacra

O Curso de Escultura e Pintura de Arte Sacra arranca no dia 13, às 11 horas, com 15 alunos, superando as expectativas dos impulsionadores que são a Câmara Municipal da Trofa, o Serviço de Formação do Porto e o Serviço de Emprego de Santo Tirso.

Este curso, que preserva a herança dos santeiros de S. Mamede do Coronado, vai decorrer na antiga escola de Feira Nova.

Uma das particularidades do curso será o envolvimento dos mestres santeiros no lecionamento de aulas teóricas e práticas, para proporcionar aos formandos o domínio das técnicas tradicionais de escultura e pintura de arte sacra.

Recorde-se que os Santeiros de São Mamede foram reconhecidos como uma das 7 Maravilhas da Cultura Popular Portuguesa e encontra-se em curso o processo para iniciar o dossier de candidatura deste ofício a Património Imaterial da Humanidade.

Promover na região a preservação da arte dos santeiros – escultores e pintores que produzem imagens de vulto devocionais para locais de culto é um dos principais desígnios do curso. A produção de arte sacra representa um importante legado específico e original para o património cultural trofense e nacional que, ao longo de décadas, se desenvolveu no Vale do Coronado, assumindo-se como um testemunho vivo de todo o saber que passou de mestres para aprendizes.

 

Projeto da Casa da Música regressa à Trofa

“Holograma”, projeto da Casa da Música, vai ser apresentado entre os dias 9 e 12 de fevereiro, no auditório da Junta de freguesia de Bougado, polo de São Martinho.

Este projeto, desenvolvido pela Área Metropolitana do Porto, e que vai passar por 17 municípios da Área Metropolitana do Porto, pretende possibilitar ao público em geral experiências musicais com raiz pedagógica e educativa.

Cada edição do “Holograma” é especialmente concebida para o Município em questão, com a qualidade artística e os cuidados de produção que são próprios da Fundação Casa da Música.

Na edição deste ano, o projeto “Holograma” apresenta um programa de acesso gratuito, dividido em apresentações para a comunidade escolar, 9 e 10 de fevereiro, e para o público em geral, 9, 10, 11 e 12 fevereiro.

Assim, dia 9, às 9h30 e às 11h00, o espetáculo “Ler” explora a relação entre a voz falada e a música. Num diálogo para que são convocados instrumentos eletrónicos e acústicos, o itinerário passa por vários momentos da História de Portugal, evocando também o prazer e a riqueza que a música nos tem legado ao longo do tempo.

No dia seguinte, também às 9h30 e às 11h00, “Fonte Fontaine” remete a comunidade escolar para as fábulas da infância com reinvenções e desfechos improváveis.

Direcionado para o público em geral e com entrada gratuita, a APPACDM apresenta, nos dias 9 e 12 de fevereiro, pelas 21h00, o espetáculo “Comunidades”.

No dia 10, pelas 21h00, o projeto Holograma apresenta “Sopa d’Urso”, um sexteto composto por Ricardo Folha na voz e guitarra; Xavier Santos na guitarra; Daniel Fernandes no baixo e voz; Sean Kong nos teclados e voz; Eduardo Santos nos teclados e Pedro Coelho na Bateria, que apresenta uma sonoridade pop-rock herdeira de alguns dos principais projetos portugueses revelados nas décadas de 80 e 90. Em 2020 o projeto apresentou o seu trabalho de estreia, “Colher de Pau”. Passados dois anos a banda reinventou-se com a saída e entrada de novos elementos e para breve promete apresentar novo álbum.

No sábado, 11 de fevereiro, dedicado às famílias e ao público infantil – dos 6 aos 12 anos, o espetáculo “Ler”, fará dois concertos no auditório, às 10h00 e às 11h30. À noite, a partir das 21h00, terá lugar o concerto “Solistas da Casa da Música”. Para além de ser um edifício dedicado à realização de concertos de todos os géneros, a Casa da Música é também a “casa” de vários agrupamentos profissionais, que ali ensaiam e se apresentam regularmente, entre os quais uma orquestra sinfónica, uma orquestra barroca, um ensemble de música contemporânea e um coro. Os Solistas da Casa da Música que se apresentam no Holograma são formados por músicos da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, da Orquestra Barroca Casa da Música ou do Remix Ensemble.

No dia 12 de fevereiro, o espetáculo “Fonte Fontaine” apresenta, às 10h00 e às 11h30, o concerto direcionado ao público infantil, dos 0 aos 6 anos.

 

Presidentes de Câmara de Famalicão, Santo Tirso, e Trofa unidos no melhoramento da maternidade do Hospital

A propósito da maternidade do Centro Hospitalar do Médio Ave, os presidentes das Câmaras Municipais de Famalicão, Santo Tirso e da Trofa reuniram-se, esta quinta-feira, com a administração e responsáveis pelos serviços de maternidade, ginecologia e obstetrícia.

O assunto já não é a manutenção da maternidade mas o seu funcionamento. Os autarcas reafirmaram a sua disponibilidade e compromisso em acompanharem a maternidade de Famalicão no seu crescimento qualitativo.

No encontro, o responsável pelo Centro Hospitalar, António Barbosa, agradeceu o empenho dos autarcas na luta pela permanência da Maternidade em Famalicão, que considerou «muito importante» para o desfecho que se veio a verificar. Agradecimento que foi retribuído pelos autarcas aos responsáveis pelo hospital «pelo seu empenho e trabalho em prol de um serviço público de qualidade exemplar».

O presidente da Câmara de Famalicão fala «de um equipamento essencial para a região, que desenvolve um trabalho de reconhecida qualidade, um serviço público estruturante para o presente e futuro dos nossos municípios».

Recorde-se que o encerramento da maternidade do Centro Hospitalar do Médio Ave foi uma das possibilidades adiantadas pelo estudo da Comissão de Acompanhamento de Resposta às Urgências de Ginecologia/Obstetrícia, possibilidade entretanto descartada pelo Diretor Executivo do Serviço Nacional de Saúde.

O CHMA está inserido numa região de grande força e vitalidade económica e social, servindo cerca de 250 mil habitantes. A administração tem sede em Santo Tirso, gerindo o Hospital Conde de São Bento, em Santo Tirso, e o Hospital S. João de Deus, em Famalicão. Em 2022, o Centro Hospitalar do Médio Ave registou um total de 1175 nascimentos, um acréscimo de 17% em comparação a 2021.

Colheita de Sangue em S. Tomé Negrelos

No próximo domingo, dia 5, a Associação de Dadores de Sangue de V. N. de Famalicão promove uma colheita de sangue na Escola Básica de S. Tomé Negrelos, concelho de Santo Tirso. Com o apoio da Junta de Freguesia, do agrupamento CNE nº 93 e do Agrupamento de Escolas D. Afonso Henriques, a colheita é aberta à população em geral.

A dádiva decorre entre as 9 e as 12h30, pelo Instituto Português do Sangue e da Transplantação.

 

Brasmar adquire empresa britânica e reforça internacionalização

O Brasmar Group, que tem uma unidade industrial em VN Famalicão, adquiriu a Holmes Seafood, empresa britânica de pescado congelado para o segmento grossista. Com um volume de negócios a rondar os 40 milhões de euros, a Holmes Seafood é um dos principais importadores e distribuidores de produtos do mar congelados deste mercado, no qual, através da recente aquisição, a Brasmar pretende reforçar presença.

A aquisição desta empresa permitirá à Brasmar, líder nacional no setor alimentar de produtos do mar, reforçar a sua presença naquela geografia, incrementando a comercialização dos seus produtos junto dos consumidores britânicos. A Holmes Seafood manterá a atual equipa de gestão, bem como todos os postos de trabalho.

Há vários anos que a Brasmar, empresa participada do VigentGroup e do private equity MCH, tem intensificado o seu processo de internacionalização, com um conjunto de aquisições e a abertura de filiais. Em 2022 adquiriu a maioria do capital da francesa Sedisal, e em 2019 comprou duas empresas espanholas: a Foncasal e a La Balinesa.

«A Brasmar continua ativa na identificação de oportunidades de negócio, de modo a reforçar a sua posição de liderança no mercado europeu. No caso específico da Holmes, oferece-nos um valioso conhecimento, experiência e posicionamento no Reino Unido, reforçando significativamente a nossa presença neste mercado», sublinha Sérgio Silva, Presidente do Conselho de Administração da Brasmar.

O grupo português está presente em mais de 40 países, conta com um universo de colaboradores que ultrapassa os 850 e obteve uma faturação consolidada, em 2022, de cerca de 272 milhões de euros. Para este ano, estima atingir um volume de negócios de 350 milhões de euros.

 

Oito detidos por conduzirem alcoolizados

Durante este fim de semana, nas cidades de Braga e Vila Nova de Famalicão, a PSP deteve oito pessoas, com idades compreendidas entre os 22 e 59 anos, por condução de veículo automóvel com taxa de alcoolemia superior à permitida por lei. Submetidas aos respetivos testes, acusaram uma TAS entre 1,22 e 2,62 g/l no sangue.

Foram notificados para comparecerem juntos dos respetivos tribunais.