Trofa: Visita às oficinas de arte sacra para celebrar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Para assinalar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios e a Semana Nacional do Turismo Industrial, a Câmara Municipal da Trofa promove uma visita às Oficinas de Arte Sacra de São Mamede do Coronado. A iniciativa decorre dia 10 de abril, entre as 09h30 e as 12h30 e tem inscrição gratuita, até ao dia 7 de abril através do e-mail patrimoniocultural@mun-trofa.pt .

O ponto de encontro para os interessados em visitar as Oficinas de Arte Sacra de São Mamede do Coronado, terra de longa tradição de santeiros, e herdeiros do oficio de José Ferreira Thedim, autor da imagem de Nossa Senhora de Fátima da Capelinha das Aparições, do Santuário de Fátima, é o Largo da Igreja Paroquial de São Mamede do Coronado.

A freguesia de São Mamede do Coronado e a história do território trofense é marcada por oficinas de produção de arte sacra onde os santeiros esculpem e pintam imagens religiosas. Esta visita pretende divulgar o património cultural, material e imaterial, associado ao saber-fazer dos Santeiros do Vale do Coronado, dando ao conhecer os artistas, técnicas e histórias de vida associadas ao ofício que foi reconhecido como uma das 7 Maravilhas da Cultura Popular Portuguesa, estando a decorrer o processo para iniciar o dossier de candidatura a Património Imaterial da Humanidade.

CD Trofense elege novos órgãos sociais

A Comissão Administrativa do Clube Desportivo Trofense convoca os sócios para uma Assembleia Geral Ordinária, que terá lugar esta quarta-feira, 7 de dezembro, pelas 20:30h, na Junta de Freguesia de Bougado (São Martinho e Santiago), polo de S. Martinho.

Da ordem de trabalhos consta a eleição dos órgãos sociais para o biénio 2022/2024, ato que decorre até às 22 horas; segue-se a tomada de posse e, por último, a discussão de outros assuntos de interesse para o clube.

Só será permitida a participação de sócios do clube com as quotas em dia (inclusive a quota de dezembro de 2022); só poderão votar os sócios de idade igual ou superior a 15 anos e que tenham completado, pelo menos, três meses de associado.

Famalicão: Alunos da EB de Delães exploram a Casa do Território

Os alunos do 3º ano da EB de Delães visitaram a Casa do Território, no Parque da Devesa, no dia 28 de novembro. As crianças tinham como objetivo conhecer melhor o território, as suas personalidades e principais atividades.

Num só espaço ficaram a conhecer Bernardino Machado, Alberto Sampaio, Camilo Castelo Branco e Soledade Malvar. Para além das personalidades, também perceberam que existem museus importantes, com um significativo espólio.

A visita só terminou depois de os alunos conhecerem as indústrias que levam o nome de Vila Nova de Famalicão a todo o mundo, como é o caso de Vieira de Castro, Riopele, Louropel, Continental Mabor e Leica.

Rafael Azevedo, Lara Sampaio e outros meninos, intitulados “Somos os Exploradores”, ficaram encantados com as surpresas deste espaço e, no final, demonstraram os conhecimentos adquiridos.

 

Famalicão: Cantigas de Natal em Joane

A igreja paroquial de Joane recebe, na tarde de domingo, às 15h30, um concerto de “Melodias de Natal” promovido pela Rusga de Joane.

O concerto começa com o grupo anfitrião, a Rusga de Joane, com cantigas tradicionais religiosas, alusivas ao Natal e recolhidas na comunidade e nos cancioneiros populares da região minhota. Nesta iniciativa atua, também, a fadista Patrícia Costa com “Um Natal Português”, apresentando melodias quase perdidas na memória, que devolvem lugares, pessoas e vivências, envoltos no sentimento mais português: a saudade.

 

Famalicão: Projeto ‘ADN’ da PASEC vence Programar em Rede 2022

O projeto ‘ADN’ de Famalicão, da PASEC – Plataforma de Animadores Socioeducativos e Culturais, venceu a edição 2022/2023 do Programar em Rede, iniciativa do Município de Vila Nova de Famalicão que contempla uma verba, até 10 mil euros, para financiar um projeto cultural que seja apresentado em rede por várias entidades do concelho.

O ‘ADN’ será desenvolvido em parceria com o Centro Artístico ‘A Casa ao Lado’, o Agrupamento de Escolas D. Maria II, a Associação Famalicense de Prevenção e Apoio à Deficiência (AFPAD) e a APDASC Norte – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento da Animação Sociocultural.

Partindo de um processo de investigação-relação-ação, ‘ADN’ pretende levar os jovens e adultos famalicenses, nomeadamente os que estão em situação de exclusão, a refletir e retratar os principais autores e figuras históricas de Famalicão, através de um espetáculo interativo de rua e em espaços culturais com as populações locais por todo o concelho. Os textos, bandas sonoras, cenários amovíveis e encenações de dança e expressão corporal serão desenvolvidos pelos cidadãos numa lógica de cocriação.

A esta edição do Programar em Rede, concorreu, ainda, a Ribeirão Musical – Sociedade Artística e Musical com o projeto ‘Imbricações Artísticas’. A proposta vencedora conquistou cerca de 10 dos 18 votos apurados pelo Conselho Municipal da Cultura, do qual fazem parte as entidades culturais do concelho. A reunião decorreu na passada segunda-feira, 28 de novembro, na Casa das Artes.

Lançado em 2016, o programa municipal já apoiou cerca de seis projetos culturais de cooperação, que constituíram um investimento municipal na ordem dos 59 mil euros, tendo servido de alavanca para a concretização de «Museus Ilustrados em Rede» (2016), «Traço» (2017), «Poesia Invade a Cidade» (2018), «Marc@s, Intervenção pela Arte & Cultura – Pela Coesão Comunitária» (2019), «Intervenções artísticas na Unidade Hospitalar de Famalicão» (2020) e «Obras Sobrepostas» (2021).

 

Os Meninos Cantores da Trofa apresentam «Cantata de Pedra»

Depois do sucesso na Fundação José Saramago – Casa dos Bicos, em Lisboa e na Antiga Estação, na Alameda da Estação, chegou a vez da Casa da Cultura receber a interpretação dos Meninos Cantores do Município da Trofa, da «Cantata de Pedra», a partir do livro “José, Será Mago?”, com texto e música de Mário João Alves. O espetáculo decorre este domingo, às 11 horas.

O coro dos Meninos Cantores do Município da Trofa, fundado a 1 de outubro de 1999, foi o primeiro projeto avançado pelo pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Trofa. O coro é formado por cerca de 40 elementos e é dirigido desde a sua fundação pela maestrina Antónia Maria Serra.

«Falar nos Meninos Cantores do Município da Trofa é falar, inevitavelmente, em magia. As atuações dos nossos meninos são um orgulho não só para a autarquia, não só para o concelho, mas para o nosso país. O resultado de qualquer atuação é sempre algo brilhante», refere Renato Pinto Ribeiro, vereador da Cultura da Câmara Municipal da Trofa.

Exposição fotográfica sobre os Museus de Famalicão está patente no Mercado Municipal

A exposição “Museus de Famalicão. O outro lado” pode ser visitada na Praça-Mercado de Famalicão até ao dia 31 de maio de 2023. A mostra reúne uma seleção de trabalhos do fotojornalista Alfredo Cunha em torno dos museus de Famalicão, para um catálogo fotográfico com o mesmo nome.

O trabalho, que resulta de uma parceria entre o fotojornalista e o município de Famalicão, foi apresentado ao público no dia 26 de novembro, e está inserido no 10.º aniversário da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão.

«Confesso que quando recebi o convite, encarei-o com algum ceticismo», comentou Alfredo Cunha na apresentação. Depois da experiência, o fotógrafo admitiu que foi um trabalho que «me deu bastante prazer».

Alfredo Cunha percorreu cada um dos 11 museus-membro da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão, e ficou surpreendido com o que encontrou. «Nunca pensei que Famalicão tivesse museus tão diferentes Quando eu entro naqueles museus sou remetido para aquele tempo, para aquelas vivências. A dinâmica que os museus têm e a diversidade e a qualidade fizeram com que este projeto ganhasse vida própria», comentou sobre a sua experiência nos espaços museológicos.

O fotojornalista acrescentou que o «mais surpreendente de tudo é que eu fotografei os Museus de Famalicão com uma máquina fabricada em Famalicão», referindo-se à marca Leica. No final, admitiu que «sinto -me honrado, agradecido. Espero que gostem do livro».

Para o presidente da Câmara, «é esta riqueza e esta diversidade que fazem com que os Museus de Vila Nova de Famalicão sejam um produto atrativo». Mário Passos considera, ainda, que o legado e a polivalência dos museus famalicenses são o reflexo de «um passado riquíssimo, que queremos que perdure e vamos continuar a potenciar», afirmou o edil, que também enfatizou que «este trabalho fotográfico eterniza os nossos museus e o catálogo vai fazê-los perdurar no tempo».

De referir que a exposição ‘Museus de Famalicão. O outro lado’ é composta por 22 imagens dos Museus de Famalicão, selecionadas de entre o amplo registo fotográfico efetuado pelo fotojornalista Alfredo Cunha nos 11 museus-membros da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão. A publicação que originou a exposição pode ser adquirida na livraria municipal, localizada na Casa do Território do Parque da Devesa, em Famalicão, ou no Posto de Turismo, junto ao mercado municipal.