UEFA tem vários planos para retomar competições de futebol

A UEFA ainda não sabe quando é que a temporada de futebol pode ser retomada, depois da interrupção devido à pandemia da covid-19, mas tem três planos para retomar as competições. “Ninguém sabe quando é que a pandemia vai terminar. Temos um plano A, B ou C, e estamos em contacto com as ligas, temos um grupo de trabalho, mas temos de esperar como todos os outros setores”, disse Aleksander Ceferin, presidente da UEFA, em entrevista ao jornal italiano La Repubblica.

O organismo que tutela o futebol europeu tem várias opções, mas Ceferin explicou que não pode existir um plano final, uma vez que a pandemia continua a evoluir. “A temporada pode recomeçar em meados de maio, em junho ou fim de junho. Existe até uma proposta para terminar a época no início da próxima, que começaria mais tarde. Agora, sem saber quando a pandemia vai terminar, não podemos ter um plano final”, explicou.

A UEFA decidiu adiar o Euro2020 para 2021 e tem as suas competições suspensas, como é o caso da Liga dos Campeões e da Liga Europa.

Sobre a redução dos salários dos jogadores, o esloveno que lidera a UEFA desde 2016 afirmou que não existe “espaço para egoísmos” nesta situação, salientando que muitos jogadores estão de acordo.

Na entrevista, Aleksander Ceferin deixou também críticas à União Europeia na resposta à pandemia. “Estou dececionado com a União Europeia. A Europa é dominada por um excesso de regras, está dividida e, por essa razão, é mais fraca. Não há solidariedade e é muito triste”, concluiu.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou cerca de 572 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 26.500. Dos casos de infeção, pelo menos 124.400 são considerados curados. Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, já morreram 100 pessoas até este sábado.

Famalicão: A última subida à Torre de Tiago Machado

O ciclista famalicense, que em junho passado assumiu que finda esta época deixará a caravana velocipédica, subiu este domingo, pela última vez, ao alto Torre. Mítica etapa da Volta a Portugal.

Em jeito de nostalgia escreveu nas redes sociais: “A minha última subida ao alto da Torre enquanto ciclista profissional.
Obrigado a todos pelo apoio, em especial à minha família e amigos mais próximos por mais este última ” valeta” da Torre”, agradeceu Tiago Machado.

O famalicense é um dos ícones do ciclismo nacional, tendo cumprido ao longo da sua profícua carreira três edições da Volta a França, cinco à Espanha e duas a Itália. Em representação de Portugal participou em cinco Campeonatos do Mundo. Mas os seus créditos e currículo é bem mais vasto…

Atualmente, e na Volta a Portugal, Tiago Machado corre pela Rádio Popular – Paredes – Boavista.

Foto: Facebook Tiago Machado

Famalicão: Ciclista Rui Sabino é campeão nacional

Rui Sabino, ciclista famalicense que alinha na União Ciclismo da Trofa, sagrou-se este sábado Campeão Nacional de Juvenis, nos Campeonatos Nacionais que decorrem no Bombarral.

Rui Sabino foi mais forte no sprint final na prova de 21km e fica para a história como o primeiro Campeão Nacional da categoria.

Rui Sabino não poderia estar mais feliz com a vitória. “A sensação de conseguir esta vitória é muito boa. Só posso agradecer à minha família que esteve aqui hoje a apoiar-me. É muito bom conseguir esta vitória e ser recompensado pelo esforço. É a minha primeira vitória este ano e logo num campeonato nacional. É maravilhoso”.

Famalicão sofre derrota em casa do Estoril Praia no primeiro jogo da época (2 – 0)

O Futebol Clube de Famalicão iniciou a época com uma derrota, em casa do Estoril Praia, na tarde deste sábado.

A equipa adversária marcou por duas ocasiões, ao minuto 20 e 45.

Francisco Geraldes e Arthur foram os marcadores de serviço.

Na próxima sexta-feira, o Futebol Clube de Famalicão recebe o Braga S.C., no segundo desafio da época no principal campeonato do futebol português.

Guterres avisa: “Humanidade está a brincar com uma arma carregada”

O secretário-geral da ONU disse hoje em Hiroshima que a humanidade está “a brincar com uma arma carregada” nas atuais crises nucleares, num discurso no 77.º aniversário do bombardeamento atómico dos EUA no Japão.

Numa cerimónia anual na cidade japonesa para assinalar as vítimas do atentado de 1945, António Guterres fez um forte apelo aos líderes mundiais para removerem as armas nucleares dos seus arsenais.

Há setenta e sete anos, “dezenas de milhares de pessoas foram mortas de uma só vez nesta cidade. Mulheres, crianças e homens foram incinerados num incêndio infernal”, lembrou.

“Os edifícios transformaram-se em pó. Os sobreviventes foram amaldiçoados com um legado radioativo” de cancro e outras doenças, acrescentou.

Hoje, “as crises com tons nucleares estão a alastrar rapidamente, desde o Médio Oriente à península coreana, passando pela invasão russa da Ucrânia. A humanidade está a brincar com uma arma carregada”, disse Guterres, repetindo avisos feitos esta semana numa conferência de signatários do Tratado de Não-Proliferação Nuclear em Nova Iorque.

Durante os últimos dois anos, as comemorações do atentado de Hiroshima – com a presença de sobreviventes, familiares, funcionários japoneses e alguns dignitários estrangeiros – têm sido realizadas de forma limitada por causa da covid-19.

A cerimónia de sábado foi mais significativa.

A ameaça nuclear tem assombrado as pessoas desde que a Rússia invadiu a vizinha Ucrânia em fevereiro. O embaixador da Rússia no Japão não foi convidado para a cerimónia, mas visitou Hiroshima na quinta-feira para depositar uma coroa de flores em honra das vítimas.

Cerca de 140.000 pessoas morreram em resultado do atentado de 06 de agosto de 1945, o bombardeamento de Hiroshima, uma contagem que inclui aqueles que sobreviveram à explosão, mas que mais tarde morreram devido à radiação.

Três dias mais tarde, os Estados Unidos lançaram outra bomba nuclear sobre a cidade portuária japonesa de Nagasaki, matando cerca de 74.000 pessoas e pondo fim à Segunda Guerra Mundial.

FC Famalicão participa no conceituado troféu Teresa Herrera

A equipa feminina do FC Famalicão participa, no dia 13 de agosto, num dos mais prestigiados torneios internacionais, o Teresa Herrera.

Na vertente feminina, o torneio vai na décima edição.

No dia 13, às 18 horas, o Desportivo Avanca defronta o FC Famalicão; às 20h30, defrontam-se as equipas masculinas do RC Deportivo da Corunha e o FC Metalist Kharkiv.

A participação da equipa famalicense neste prestigiado troféu espanhol, reconhecido mundialmente, representa uma participação internacional de grande relevo que atesta o percurso da equipa desde que o clube também enveredou pelo futebol feminino.