Uso de máscara obrigatório nas escolas, mas alívio nas regras de isolamento profilático

Qualquer criança com pelo menos dez anos de idade deve utilizar máscara na escola e todos os alunos do 2.º ciclo do ensino básico, independentemente da idade.

No caso das crianças do 1.º ciclo, a utilização de máscara comunitária certificada ou cirúrgica é fortemente recomendada. Os alunos com problemas de saúde (como diabetes, asma e obesidade), a DGS aconselha a que sejam avaliados pelo médico assistente que determinará os cuidados a ter, inclusive se devem frequentar o ensino presencial.

A máscara é para manter, assim como o distanciamento físico e os rastreios, mas a DGS aliviou outras medidas, como o isolamento profilático. Agora, os contactos de baixo risco ou com teste negativo regressam logo à escola.

Para este alívio estará a vacinação dos jovens entre os 12 e os 17 anos de idade, que já chegou aos 75% (com primeiras doses). Um fator de confiança também para a Confederação das Associações de Pais, que já esperava a manutenção de algumas regras no ano letivo 2021/2022.

Covid-19: DGS prepara nova dose da vacina

A Direção-Geral da Saúde (DGS) está a preparar a norma para a nova campanha de vacinação contra a covid-19, avança a CNN Portugal. A norma deverá ser até ao início do mês de setembro.

Nem a DGS nem o Ministério da Saúde, no entanto, responderam se serão convocados todos os portugueses – no esquema de ordem decrescente de idade, tal como aconteceu com as campanhas anteriores de vacinação – ou se o serão apenas os mais vulneráveis, como até agora anunciado.

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças como a Agência Europeia do Medicamento recomendam a administração de uma quarta dose das vacinas contra a covid-19 apenas aos cidadãos entre os 60 e 79 anos e a pessoas vulneráveis.

Fonte: CNN Portugal

Famalicão: Refeições escolares ficam (muito) mais caras ao município

No próximo ano letivo, a Câmara Municipal de Famalicão vai pagar mais pelo serviço de refeições escolares. Por ausência de propostas no concurso anterior, a Câmara teve que subir o preço por refeição que foi adjudicado por 2,79 euros, mais IVA.

O valor global para as refeições no próximo ano letivo é superior a 6 milhões 307 mil euros.

No âmbito do novo acordo de descentralização de competências, assinado na semana passada, o valor a transferir pelo Estado é de 2,75, mais IVA. O diferencial de quatro cêntimos terá que ser assumido pelo município de Famalicão, «mas também vamos desenvolver diligências, com outros municípios, para que, tal como o acordo com o Estado prevê, possamos ainda ser ressarcidos destes quatro cêntimos», ambiciona Mário Passos. O autarca lembra que estão em causa muitos milhares de refeições, o que perfaz muito dinheiro.

Ainda assim, e recordando o acordo de descentralização de competências, o presidente da Câmara recorda que houve uma melhoria significativa da proposta do Governo, uma vez que inicialmente propôs pagar aos municípios 1,46 cêntimos por refeição.

Só o orçamento de 2023 trará vertidos estes valores agora acordados com o Estado.

AF Braga entrega presentes às crianças internadas no hospital de Famalicão

No âmbito do programa comemorativo do seu Centenário, a Associação de Futebol de Braga visitou, na manhã desta quarta-feira, os quatro serviços de Pediatria dos Hospitais Públicos do Distrito – Braga, Barcelos, Famalicão e Guimarães – para oferecer um presente simbólico a cada criança internada – uma mochila, uma bola, lápis de cor e desenhos para colorir.

No Centro Hospitalar do Médio Ave, em Famalicão, a visita coube aos vice-presidentes Miguel Azevedo e Custódio Ribeiro que foram recebidos pela enfermeira diretora Deolinda do Vale e pela enfermeira Angélica Vilaça, enfermeira chefe do serviço de Pediatria. Os vice-presidentes visitaram o espaço e entregaram lembranças a cada criança.

Greve dos trabalhadores da IP vai afetar circulação de comboios nos dias 1, 3 e 5 de agosto

A organização sindical representativa dos trabalhadores da IP – Infraestruturas de Portugal (gestor da infraestrutura ferroviária) convocou uma greve para os dias 1, 3 e 5 de agosto e a Comboios de Portugal (CP) prevê «fortes perturbações» na circulação.

Em comunicado, a CP reporta que, «por motivo de greve convocada por organização sindical representativa dos trabalhadores da IP – Infraestruturas de Portugal preveem-se fortes perturbações na circulação de comboios, a nível nacional, em todos os serviços, nos dias 1, 3 e 5 de agosto de 2022».

Está prevista a realização de serviços mínimos nos dias da greve, sem prejuízo de poderem ser realizados comboios adicionais, cuja lista pode ser consultada em www.cp.pt

Famalicão: Associação Juvenil Yupi apresenta resultados do projeto de Educação para a Cidadania

A Associação YUPI, o Agrupamento de Gondifelos e a Associação Famalicão em Transição apresentaram, no dia 22 de julho, os resultados do projeto de referência nacional na área da Cidadania, que articularam em conjunto.

A cerimónia aconteceu na Fundação Calouste Gulbenkian e na presença do Ministro da Educação João Costa.

Tratou-se de um projeto piloto de Educação para a Cidadania. No nosso Município aconteceu através do projeto “Cidadania 2.0” coordenado pela Associação YUPI, com o Agrupamento de Gondifelos e Associação Famalicão em Transição. Foi um dos três consórcios escolhidos a nível nacional.

Estas três instituições famalicenses cooperaram intensamente nos últimos 3 anos letivos para a implementação de um projeto no âmbito da Educação para a Cidadania em contexto escolar, em alunos do 3º ciclo. Ao longo deste período foram abordados diversos temas como Direitos Humanos, Igualdade de Género, Aceitação da Diversidade e Não Discriminação, Participação Democrática e Desenvolvimento Sustentável.

Em breve o consórcio disponibilizará um Manual de 31 recomendações em diferentes âmbitos de ação e reflexão sobre a Educação para a Cidadania nas escolas.

 

Famalicão: Alunos fecham ciclo na Engenho com festa

A Engenho realizou a festa de finalistas dos alunos do pré-escolar para assinalar os cinco anos na instituição e a passagem para outro nível de ensino. É sempre um momento marcante para as crianças, para as suas famílias mas também para a instituição.

A festa aconteceu na passada sexta-feira, dia 22 de julho, no Centro de Apoio Comunitário, com a presença de crianças, familiares e educadores.

«Foram 5 anos que a Engenho acolheu, cuidou, educou e viu crescer, nos diferentes domínios, os vossos filhos, crianças de hoje e cidadãos de amanhã. Que continuem a cresce felizes na vossa companhia», referiu o presidente da direção, Manuel Augusto de Araújo, que se dirigiu aos pais, agradecendo também o facto de terem escolhido a Engenho como ” instituição educadora” para os seus filhos.

Nas palavras que dirigiu aos presentes, o responsável enalteceu ainda o profissionalismo e a dedicação dos colaboradores da Engenho, postos à prova em momentos «críticos e de forte adversidade, como os que se têm vivido com a pandemia».

A direção da Engenho recorda que o seu projeto educativo, subordinado ao tema “Minha Terra, Meu Mundo”, está patente em iniciativas, atividades e metodologias específicas, procurando «valorizar a vivência familiar, o diálogo, o convívio e aprendizagem intergeracionais, o gosto pela descoberta e conhecimento dos sítios e do território e o contacto com a natureza».

Este é um projeto global e articulado com os utentes das diferentes respostas sociais e serviços da Associação e agentes/parceiros da Comunidade.