Diretores das escolas pedem terceira dose da vacina

Os diretores escolares defendem que funcionários e professores devem ser inoculados com uma nova dose da vacina contra a Covid-19. Para evitar o regresso ao ensino à distância, defendem também que o pessoal docente e não docente deve realizar testes serológicos.

De acordo com o vice-presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), David Sousa, em declarações à Lusa, «Os alunos não podem voltar para casa. Fechar as escolas traz efeitos catastróficos que se vão repercutir a longo prazo. Já percebemos que o ensino a distância foi prejudicial para os alunos, em especial os mais novos, que são menos autónomos, e aqueles que já são mais carenciados». O vice-presidente da ANDAEP sublinha que os funcionários das escolas devem ser alvo de testes serológicos e reconhece que estes devem receber uma terceira dose da vacina.

O estudo do Centro Hospitalar da Universidade de Coimbra revelou que os anticorpos contra a Covid-19 começam a baixar três meses após a toma da vacina. Por extensão, com a redução dos anticorpos as pessoas ficam menos protegidas. Tendo em conta esta informação, a comunidade escolar pede medidas urgentes ao Governo: é preciso «fazer tudo para que as escolas não voltem a fechar».

«Não sou técnico de saúde, nem cientista, sei apenas que é preciso garantir que existem condições para que possa haver um ano letivo normal», afirmou o presidente da Associação Nacional de Diretores Escolares (ANDE), Manuel Pereira. «As decisões são tomadas pelo Governo com base em pressupostos científicos. Para nós, o importante é que alunos e professores possam estar nas escolas e se a comunidade científica disser que são precisas três ou quatro vacinas, então estaremos de acordo», referiu, apontando a realização dos testes serológicos também como uma vantagem.

Covid-19: DGS prepara nova dose da vacina

A Direção-Geral da Saúde (DGS) está a preparar a norma para a nova campanha de vacinação contra a covid-19, avança a CNN Portugal. A norma deverá ser até ao início do mês de setembro.

Nem a DGS nem o Ministério da Saúde, no entanto, responderam se serão convocados todos os portugueses – no esquema de ordem decrescente de idade, tal como aconteceu com as campanhas anteriores de vacinação – ou se o serão apenas os mais vulneráveis, como até agora anunciado.

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças como a Agência Europeia do Medicamento recomendam a administração de uma quarta dose das vacinas contra a covid-19 apenas aos cidadãos entre os 60 e 79 anos e a pessoas vulneráveis.

Fonte: CNN Portugal

Urgência de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital de Braga volta a encerrar

A Urgência de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital de Braga volta a encerrar entre as 08h00 de domingo e as 08h00 de segunda-feira, avança a Agência Lusa.

Mais uma vez, o encerramento por 24 horas deve-se à impossibilidade de completar as escalas de médicos, confirma a administração do hospital.

Em caso de urgência, os utentes devem contactar a Linha SNS 24 – 808 24 24 24 e dirigirem-se a outros hospitais da região, nomeadamente aqueles que têm apoio da especialidade de Ginecologia e Obstetrícia, entre os quais Famalicão, Guimarães ou Viana. Em casos de maior complexidade, aconselha o Centro Hospitalar de São João, no Porto.

Recorde-se que no último mês e meio, este será o nono encerramento, por um período de 24 horas, do Serviço de Urgência de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital de Braga.

 

Covid-19: Mortalidade em Portugal está em tendência decrescente

De acordo com o documento da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) hoje divulgado, a mortalidade específica por covid-19 está nos 24 óbitos a 14 dias por um milhão de habitantes.

Este valor está agora mais próximo do limiar de 20 óbitos definido pelo Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC), sendo significativamente inferior às 41 mortes por um milhão de habitantes registadas no final de maio em Portugal.

Já a mortalidade por todas as causas, na última semana encontrava-se acima do limite superior dos valores esperados para esta época do ano, o que indica um excesso de mortalidade por todas as causas, em parte associado à covid-19, refere o relatório.

Na quinta-feira, a DGS anunciou que Portugal registou um excesso de mortalidade entre 07 e 13 de julho correspondente a 238 óbitos, atribuídos à onda de calor que se verifica no continente nos últimos dias.

Quanto à ocupação hospitalar por casos de covid-19, a DGS e o INSA avançam que regista também uma tendência decrescente, com os 1.140 internados na segunda-feira a representarem uma redução de 6% em relação à semana anterior.

O documento refere ainda que o número de 57 doentes em cuidados intensivos corresponde a 22,4% do limiar definido como crítico de 255 camas ocupadas nessas unidades, quando na semana anterior era de 28,2%.

“O impacto na mortalidade geral está a diminuir. É expectável a manutenção da diminuição da procura de cuidados de saúde” devido à covid-19, prevê o relatório, que continua a recomendar a vigilância da situação epidemiológica, a vacinação de reforço e as medidas de proteção individual.

A DGS e o INSA referem também que a linhagem BA.5 da variante Ómicron, com maior capacidade de transmissão, é responsável por 92% das infeções registadas em Portugal e que a percentagem de testes positivos para o SARS-CoV-2 nos últimos sete dias foi de 35,1%, com tendência decrescente.

Desde 03 de março de 2020 e até à última segunda-feira, foram registados 5.265.951 casos em Portugal, 332.671 dos quais suspeitas de reinfeção, que representam 6,3% do total de casos.

Famalicão: Centro de Vacinação encerra esta sexta-feira

O Centro de Vacinação Covid19, instalado na antiga escola Didáxis, em S. Cosme do Vale, encerra a sua atividade esta sexta-feira.
A partir de segunda-feira, as vacinas passam a ser ministradas nas várias unidades de saúde do concelho, mediante casa aberta e de acordo com o horário que pode consultar em baixo.
Deste modo, a direção do Agrupamentos de Centros de Saúde Ave – Famalicão acredita que se privilegia o atendimento de proximidade, sendo que as Unidades, nos horários definidos, estarão ao serviço dos utentes elegíveis para vacinação Covid19.

O Centro de Vacinação localizado em S. Cosme do Vale abriu 13 de fevereiro de 2021, na antiga Escola Cooperativa de Ensino Didáxis, mediante uma parceria estabelecida entre o Município e o ACeS AVE – Famalicão. A Câmara Municipal cedeu as instalações, disponibilizou mais de duas dezenas de técnicos para acolhimento, encaminhamento e orientação dos utentes. A limpeza do espaço e a segurança estiveram, também, entregues ao Município que forneceu, ainda, equipamento logístico e dois veículos para as deslocações dos profissionais de saúde que vacinaram doentes acamados no concelho.

Famalicão: Projeto municipal de apoio à população idosa e cidadãos portadores de deficiência dá um passo em frente

O programa municipal “Mais e Melhores Anos” será estudado e otimizado para o elevar para novos patamares de desenvolvimento, de forma a que o apoio à qualidade de vida da população idosa e de cidadãos portadores de deficiência de Vila Nova de Famalicão seja ainda mais efetivo. Este passo resulta do protocolo de cooperação, assinado na passada semana, pela Câmara Municipal e pela Universidade do Porto, através da Faculdade de Desporto.

O acordo, firmado no dia 7 de julho, pelo presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, e pelo diretor da FADEUP, António Manuel Fonseca, no salão nobre dos Paços do Concelho, representa um passo em frente neste projeto, assume Mário Passos. O edil deu conta que são «parcerias como esta que nos permitem evoluir mais, chegar mais longe. Temos projetos desportivos interessantes e muito importantes no Município, mas ainda podemos potenciá-los por via do cruzamento da área técnica com o conhecimento académico».

O diretor da FADEUP, António Manuel Fonseca, elogiou o posicionamento da autarquia famalicense, considerando que «a tomada de decisão será sempre melhor, quanto mais informados forem os nossos políticos». No que refere ao benefício para a faculdade, António Manuel Fonseca realça que «enquanto escola, o que nos interessa é que o nosso parceiro sinta que valeu a pena (…) que resultou numa maior qualidade dos serviços que providencia e que fornece aos cidadãos».

A formalização desta parceria constitui um passo importante no compromisso assumido pela autarquia de promoção da saúde e de estilos de vida saudáveis no concelho, tratando-se de uma alavanca para garantir elevados níveis de qualidade, humanismo e eficiência no âmbito da promoção da saúde, melhoria da qualidade de vida e otimização do serviço prestado à população.

A FADEUP é uma instituição académica de referência no ensino e na investigação no âmbito das Ciências do Desporto e da Atividade Física, relacionada com a Saúde e a Doença, dispondo de reconhecida competência e capacidade, em termos de recursos humanos e materiais nos principais domínios da avaliação e prescrição do exercício.