Governo vai decidir: Proposta para aumentar preço do tabaco

Os responsáveis do Programa Nacional para a Prevenção do Tabagismo propuseram um aumento do preço do tabaco, e a decisão depende agora do Governo, disse à Lusa fonte da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Em declarações à Lusa quando se assinala o Dia do Não Fumador, a diretora do Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo (PNPCT) disse que a proposta de aumento do preço “já foi feita, mas carece de uma decisão que não está ao nível da DGS”.

Emília Nunes disse ainda que se pretende igualmente diminuir os custos para os utilizadores de substitutos da nicotina, explicando que isso pode passar por vários esquemas que podem ser estudados, entre eles a cedência de nicotina às pessoas que façam o programa intensivo para deixar de fumar.

“Poderemos aqui ter vários esquemas, (…) por exemplo, ter substitutos de nicotina nas consultas para ceder às pessoas que façam o programa”, disse a responsável, explicando que alguns hospitais “já estão a comprar nicotinas para ceder a alguns doentes internados para diminuir a privação de nicotina”

“Há vários esquemas para diminuir a barreira que o preço constitui na aquisição e o que nós queremos é diminuir essa barreira”, afirmou.

Famalicão: Louro/Mouquim distinguida com Selo Escola Amiga da Criança

A EB Louro/Mouquim foi, mais uma vez e pelo quinto ano consecutivo, distinguida pela Confederação Nacional das Associações de Pais (CONFAP) e a LeYa Educação, com o Selo Escola Amiga da Criança 2021. A distinção veio com a quinta edição da iniciativa “Escola Amiga das Crianças”, nas categorias de “Família” e “Digital”.

No âmbito desta iniciativa e (cor)respondendo ao desafio lançado, a EB Louro/Mouquim apresentou dois projetos, “Ler em Família” e “Mobile Learning com a BE”, que foram distinguidos entre milhares de candidaturas de todo o país.

Estes projetos foram implementados com os alunos, através da adoção de estratégias enriquecedoras e significativas, com o objetivo de promoção da leitura, da literacia digital e da formação integral dos alunos, em estreita ligação com a comunidade educativa, uma prática recorrente e que faz parte do ADN desta escola.

 

 

Famalicão: CDU diz que faltou transparência no processo da central fotovoltaica em Outiz/Vilarinho

O grupo municipal da CDU, em comunicado à imprensa, considera «criticável» a forma como a maioria municipal PSD/CDS e o Governo do PS conduziram o processo da central fotovoltaica de Outiz/Vilarinho das Cambas. A CDU diz que falta «clareza, transparência e envolvimento da população», numa matéria que, no seu entender, assim o exigia.

«É incompreensível que em nome da transição energética e da defesa do ambiente seja posta em causa a degradação de solos férteis, abrindo caminho ao desmatamento de floresta autóctone, ameaçando a biodiversidade e os serviços de ecossistemas que estes espaços naturais promovem, quando projetos desta natureza poderiam facilmente ocupar espaços já construídos», considera a CDU. Acrescenta que respostas para travar as alterações climáticas são necessárias mas não aquelas que vêm acrescentar ao problema.

Quanto ao facto do município de Famalicão ter emitido um comunicado sobre o assunto, a CDU diz que foi depois da decisão estar tomada e «apenas em reação à polémica instalada».

«O comunicado da Câmara Municipal limita-se a enquadrar juridicamente o processo», mas, na opinião da CDU, «a questão coloca-se essencialmente no plano das opções políticas, que não servem os interesses dos cidadãos, que exigem, cada vez em maior força, o respeito pelo equilíbrio ecológico e ambiental», afirma.

No comunicado, a CDU critica o corte de sobreiros e de carvalhos alvarinhos, numa área de Reserva Ecológica Nacional, «e que abrange as cabeceiras das linhas de água e áreas com risco de erosão». Recorda que em 2011, o sobreiro foi consagrado a Árvore Nacional de Portugal, pelo seu valor económico, social e ambiental.

A CDU diz que é preciso continuar a defender o Monte do Facho, contra «a especulação imobiliária que tem assaltado este espaço e tem assumido prioridade errada, com a conivência da Câmara Municipal».

Em conclusão, a CDU afirma que o «capitalismo não é verde, e este investimento demonstra-o de forma inequívoca».

Greves na educação, saúde, transportes e recolha de lixo

Estão marcadas, para os próximos dias, greves em vários setores, que ameaçam parar o país.

Na educação, há greve dos professores marcada pela Fenprof. Dependendo da adesão, esta greve pode afetar também os pais com filhos menores.

A saúde será também afetada, mas não apenas esta sexta-feira. Os enfermeiros iniciaram esta quinta-feira uma greve de três dias, que se prolongará também a 22 e 23 de novembro. O anúncio foi feito depois de uma reunião negocial com o Ministério da Saúde, em causa a progressão na carreira. Quem reivindica também “falta de resposta” por parte do governo devido à questão das “horas extraordinárias” são os técnicos de diagnóstico e terapêutica, por isso anunciaram também a realização de concentrações e uma greve para esta sexta-feira.

No que diz respeito aos transportes, os trabalhadores da Metro Transportes do Sul (MTS) iniciaram na quarta-feira uma greve que se prolongará até sábado. Exigem a abertura de negociações, aumentos salariais e progressão na carreira.

A recolha de lixo é também um setor afetado, mas mais na Área Metropolitana do Lisboa.

 

Famalicão: CITEVE, CENTI e Raclac em feira internacional sobre saúde e cuidados médicos

O CITEVE participa em mais uma edição da MEDICA, certame internacional dedicado a artigos e produtos para a área da saúde e cuidados médicos. Até esta quinta-feira, em Düsseldorf, estão em exposição vários projetos em que o Centro Tecnológico está envolvido juntamente com empresas nacionais, para demonstrar as mais recentes inovações na área médica e tecnológica.
Inserido no stand coletivo From Portugal, co-financiado pelo Portugal 2020, além do CITEVE, estão também outros expositores, como por exemplo, o CeNTI e a Raclac.

Famalicão: Festa de Outono em Nine é este sábado

A Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica e Jardim de Infância de Nine realiza, no dia 12 de novembro, a segunda edição da Festa de Outono.

Na escola, a partir das 16 horas, está garantida muita animação e música, com jogos tradicionais, atuação das crianças, concertinas com os Amigos Rio Este, Filipe Teixeira, Vítor Rodrigues e o DJ José Santos. Os comes e bebes também não faltarão.

Crédito Agrícola vai fazer pagamento extraordinário de 500 euros aos colaboradores

A Caixa Central de Crédito Agrícola vai atribuir um pagamento pontual de 500 euros a todos os seus colaboradores, para fazer face ao contexto económico.

Para acompanhar esta medida extraordinária, a Caixa Central emitiu orientações às Caixas de Crédito Agrícola e Empresas do Grupo permitindo que estas, de acordo com as suas condições financeiras, possam atribuir um prémio entre os 250 e os 750 euros.

Paulo Barreto, Diretor de Recursos Humanos do Grupo Crédito Agrícola, afirma que «esta é mais uma medida que visa o comprometimento do Banco com os seus colaboradores e um apoio extraordinário para atenuar os efeitos da subida da inflação e alguma perda do poder de compra. Este apoio extraordinário que o Crédito Agrícola vai atribuir é de extrema importância porque visa impactar positivamente a vida dos nossos colaboradores e reforça a retenção e fixação de talento no Banco».

Além desta medida, o Crédito Agrícola tem em vigor o modelo de teletrabalho que acredita ter impacto no bem-estar pessoal e profissional dos trabalhadores, mas também com a sustentabilidade nas vertentes ambiental e social, devido à poupança nas deslocações. Com um modelo na Caixa Central de três dias presenciais e dois dias em teletrabalho, os colaboradores ainda têm a possibilidade de num prazo de duas semanas terem quatro dias consecutivos em teletrabalho.

O Grupo Crédito Agrícola é um grupo financeiro de génese cooperativa. Com capitais exclusivamente nacionais, conta com mais de 430 mil associados, mais de 1 milhão e 900 mil clientes e mais de 600 agências, distribuídas pelo território nacional.

A Caixa de Crédito Agrícola foi o primeiro banco a disponibilizar o contactless em Portugal, a oferecer o primeiro cartão de pagamento com chip e o primeiro cartão vertical, tendo sido pioneiro na disponibilização de pagamentos com Apple Pay aos seus clientes.