Concerto solidário em Esmeriz

A Junta de Freguesia de Esmeriz e Cabeçudos promove, na tarde deste domingo, a partir das 18 horas, o tradicional Concerto de Natal que, à semelhança das últimas edições, tem uma vertente solidária.
O espetáculo, que está agendado para o salão paroquial de Esmeriz, conta com a atuação do grupo “Casa de Esmeriz Ensemble” e de convidados especiais, num total de 15 músicos em palco.

A entrada é livre, mediante a entrega de bens alimentares não perecíveis que serão entregues à Conferência Vicentina para auxiliar pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Famalicão: Comunidade LGBTQIAP+ acusa Câmara Municipal de fingir preocupar-se com os direitos humanos

Em comunicado, o Grupo de Apoio a Pessoas Queer e a Comissão Organizadora da Marcha LGBTQIAP+ de Famalicão acusam o executivo municipal de «incompetência no que se trata à luta pela defesa dos direitos humanos». Esta posição resulta da consulta do Plano Municipal para Igualdade e Não Discriminação, que consideram «escasso, insuficiente e limitador, pois não abrange todas as temáticas envolventes aos direitos humanos. Excluindo grupos minoritários», acusa Diogo Barros, porta-voz do GAPQ e da Comissão Organizadora da Marcha LGBTQIAP+.

Diogo Barros lamenta, ainda, que a Câmara Municipal, «se recuse conversar com o GAPQ, o único movimento LGBTI+ em Famalicão». Aponta, também, que os dois grupos «não foram convidadas a participar na elaboração do Plano Municipal, nem na sessão de apresentação» que decorreu na manhã desta terça-feira, na Casa das Artes.

O Grupo de Apoio a Pessoas Queer entende que a sua exclusão, «comprova que este Plano Municipal para a Igualdade e Não Descriminação é apenas uma jogada política e não uma tentativa de resolver problemas reais e estruturais». Já a Comissão Organizadora da Marcha LGBTQIAP+ de Famalicão, considera que há uma necessidade crescente de combater a discriminação e o ódio, «mas não será com este executivo que este caminho será feito».

Famalicão: Curso solidário de primeiros socorros a animais de companhia

A Associação Portuguesa de Busca e Salvamento realiza, a 20 de novembro, um curso de Primeiros Socorros a Animais de Companhia. A inscrição tem um custo de 30 euros e a verba angariada reverte para a requalificação de postos de saúde das aldeias da Guiné-Bissau onde a Humanitave – Associação de Emergência Humanitária trabalha.

O curso, de 8 horas, decorre no auditório Casa de Camilo, em Seide S. Miguel. Durante a formação serão ministrados conhecimentos e protocolos de atuação ao nível do socorro pré-hospitalar animal, designadamente casos clínicos, sinais e sintomas que podem ser encontrados perante situações de emergência, bem como os solucionar ou os amenizar.

Este curso é aberto a bombeiros, médicos, enfermeiros, veterinários, auxiliares de veterinária, Groomers, forças da segurança, elementos de associações de proteção e defesa animal e civis.

Inscrições, até 10 de novembro, através dos seguintes contactos: apbsalvamento@hotmail.com 938185935

Famalicão: Congresso reúne especialistas em emergência hospitalar

A CESPU – Instituto Politécnico de Saúde do Norte, CHMA – Centro Hospitalar do Médio Ave e VMER do CHMA organizam, no dia 1 de outubro, no auditório da CESPU, o II Congresso Internacional Up To Date Emergência, para o qual estão convidados vários oradores.

Para a sessão de abertura, pelas 10 horas, foram convidados o presidente da Câmara Municipal de Famalicão, o presidente do Conselho de Administração do CHMA, o presidente da CESPU e o coordenador da VMER do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Durante o dia estarão em análise diversos temas, como “A” – Via Aérea; um painel sobre as Multivítimas; ao início da tarde debate sobre o “Doente agitado em emergência”; “Ecografia em emergência: um novo paradigma na avaliação do doente agudo.

Pelas 16 horas está marcada uma mesa redonda sobre “Emergência, com risco, com responsabilidade. Risco na tomada de decisão – como evitar erros. A legalidade de comportamentos e atuações – como gerir conflitos em emergência? Será que sabes ler artigos?”. É moderadora Marta Marques, da Cidade Hoje. São palestrantes: Marta Ferreira, Pedro Miguel Silva, Isabel Araújo e Durval Ferreira.

A sessão de encerramento está prevista para as 17h30.

 

Famalicão: Município quer continuar a combater a discriminação

O Município de Famalicão apresentou esta terça-feira, dia 27 de setembro, o Plano Municipal para a Igualdade e Não Discriminação, que aponta para a aplicação de três dezenas de medidas. A sessão, que decorreu na Casa das Artes, contou com representantes de escolas e instituições, juntas de freguesia, forças policiais e responsáveis municipais.

Esta sessão de apresentação do Plano foi acompanhada com tradução pela língua gestual. Aliás, o braile e a língua gestual são instrumentos de comunicação que o município de Famalicão quer tornar mais frequentes para combater a discriminação.

O Plano contém muitas outras medidas, desde campanhas de sensibilização, regulamentos, eliminação de barreiras físicas, ajudas técnicas para os cidadãos portadores de deficiência e prémios.

«Já vínhamos fazendo uma sensibilização para esta igualdade de oportunidades que tem que existir entre homens e mulheres. A única coisa a ser distinguida são as qualificações, tarefas e as funções e não o sexo ou a raça da pessoa», realça o presidente da Câmara, em declarações aos jornalistas no final da palestra de apresentação do Plano.

Além das medidas já referidas, o autarca famalicense defende o cumprimento da escolaridade obrigatória como um requisito importante para atingir a igualdade de oportunidades. «Vou estar atento a isso porque não quero que, por via da falta de escolaridade, as pessoas tenham menos oportunidades», referiu Mário Passos.

Ao nível da não discriminação, o edil quer também campanhas de sensibilização e medidas que ajudem a combater algum tipo de discriminação a nacionais ou estrangeiros. «O concelho tem que ser para todos», recordando que Famalicão conta já com cidadãos de 27 nacionalidades.

O presidente da Câmara considera que também na área da Igualdade e Não Discriminação o município de Famalicão é uma referência nacional. No entanto, apesar de reconhecer que muito já foi feito, reconhece que ainda há trabalho a fazer. «Não estamos satisfeitos porque não atingimos os 100%», por isso diz que é preciso continuar a trabalhar para melhorar. «Não entendo que avôs/avós, pais/mães, que temos filhos/filhas ou netos/netas, a quem damos a melhor educação que sabemos e podemos, e depois hajam outros que, porventura, os discriminem», frisa.

Famalicão: Homem detido por condução ilegal

A PSP deteve, esta segunda-feira, pelas 17H15, um homem, de 43 anos, que conduzia veículo automóvel sem carta de condução.

A detenção ocorreu na Rua da Estação, na cidade de Famalicão.

Luto: Faleceu o Professor famalicense Álvaro Vasconcelos

Faleceu, nesta segunda-feira, vítima de doença súbita, aos 83 anos, o Professor Álvaro Vasconcelos.

O docente, nos últimos anos, deu aulas da disciplina de história na Escola Secundária Camilo Castelo Branco. Foi professor e investigador com uma das carreiras mais longas em Vila Nova de Famalicão, tendo marcado várias gerações de famalicenses.

Não haverá cerimónia religiosa, no entanto, o corpo estará em câmara ardente esta quinta-feira das 9h às 14h na capela da antiga Matriz.