Dias sem fim

Não é à toa que quando cantamos os parabéns a alguém existe uma parte que diz “muitas felicidades, muitos anos de vida”. Porque é realmente aquilo que todos os que cantam desejam ao aniversariante. Que permaneça junto de todos os que o rodeiam por mais tempo possível. Por todos lhe quererem bem e tê-lo perto.

Crescemos habituados à presença de determinadas pessoas nas nossas vidas. Sejam família, amigos ou simples conhecidos. E se existem as que nos acompanham desde que nascemos, como os nossos pais e a nossa família, outros há que vão entrando nesse tal processo de crescimento e amadurecimento.

Não estamos preparados para perder nem uns, nem outros. Porque sentimos sempre que fazem parte de nós, que são um pedacinho da nossa alma que lá está. Indo embora deixam um espaço vazio. Por isso vamos ficando cada vez mais incompletos. Levando connosco o legado que cada um nos vai deixando.

Algumas dessas pessoas são especiais. Aparentemente banais, iguais a tantas outras, sem qualquer particularidade. Olhando a olho nu. Mas mais do que tudo isso é pensar nos momentos em que estamos todos presentes e as recordações que esses mesmos momentos nos deixam. E aí encontraremos a verdadeira essência do que verdadeiramente nos une. Ou nos uniu.

Algumas pessoas têm o dom, entre outros, de nos fazerem sorrir. De serem alegres, de estarem constantemente na paródia, de serem felizes com o que têm. Ao ponto de ser impossível recordar um, somente um, momento triste junto dessas pessoas. Eu tive a felicidade, vejam só a ironia, de conhecer uma pessoa verdadeiramente feliz. A sorrir e a fazer sorrir os outros.

Não havia tristeza ou lugar a pensamentos menos positivos quando estava presente. Só uma alegria e energia contagiantes, às quais era impossível ficar indiferente. Gostava de cada um dos seus de uma forma muito particular e demonstrava-o nos gestos, na disponibilidade para ajudar e estar presente quando precisávamos. Nunca me falhou. Na alegria a no apoio.

A melhor forma de recordarmos alguém é dar seguimento ao seu legado. Ao que de bom nos transmitiu, àquilo que nos mostrou, aos valores que ensinou, às formas e perspectivas de vida que os seus horizontes nos abriram. Somos ricos nas pessoas com que nos cruzamos. Por tudo o que nos acrescentam e mostram.

A vida faz sempre questão de nos fazer descer à terra no momento em que alguém sobe aos céus. Para nos manter focados no essencial desta passagem. Na verdade, não se morre apenas uma vez. Vai-se morrendo aos poucos. Vamos morrendo ao ritmo dos pedacinhos que nos vão cortando da alma. Com a caixa das saudades sempre a aumentar.

Vou guardar-te onde guardo todos os que me recuso a deixar partir.

Bruno Marques

Hóquei em patins: FAC fecha campeonato com vitória

Depois de ter garantido, na penúltima jornada, o regresso à 1.ª divisão, a equipa de Vítor Silva terminou a época com uma vitória, 6-8, em casa do CH Carvalhos, em partida disputada este sábado.

O FAC totalizou 68 pontos em 26 jornadas da zona norte do nacional da 2.ª divisão, em resultado de 22 vitórias e apenas 2 empates e outras tantas derrotas. Agora, segue-se a disputa do título nacional frente ao primeiro classificado da zona sul, o CRF Murches, equipa de Cascais.

Hóquei em patins: Riba d´Ave/Sifamir discute promoção à 1.ª divisão a 4 e 11 de junho

Fechada, este sábado, a zona norte do nacional da 2.ª divisão, o Riba d´Ave/Sifamir, segundo da prova, com 64 pontos, depois da vitória, 6-2, sobre o Infante de Sagres, vai disputar o play off de promoção com o Sport Alenquer e Benfica. Os jogos que vão determinar qual destas equipas sobre à divisão maior da modalidade decorrem nos dias 4 e 11 de junho.

Da última jornada da fase regular, a equipa de Raul Meca começou a perder, mas depois do empate de Miccoli não mais largou a frente do marcador. Anderson Nery fez o 2-1, seguindo-se novo golo de Miccoli. Os visitantes reduziram para 3-2, mas antes do intervalo Hugo Barata fez o quarto golo ribadavense. Na segunda parte, mais dois golos: Miccoli aos 7 e Artur Ribeiro aos 24 minutos.

Foto: Marlene Ferreira

 

Ambiente: Espaços verdes de Famalicão contam com uma nova sinalização

O Município de Vila Nova de Famalicão está a sinalizar alguns espaços verdes do concelho com placas informativas que dão conta das novas práticas adotadas no tratamento e manutenção deles.

Estas novas soluções requerem menos recursos, nomeadamente água, que valorizam as espécies autóctones, os insetos polinizadores e o ecossistema e que podem ser reproduzidas em qualquer jardim, informa a autarquia.

Famalicão: Despiste de mota na Av. do Brasil faz um ferido

Pelo menos uma pessoa ficou ferida, na manhã deste domingo, num despiste de mota, em plena Avenida do Brasil, em Gavião, Vila Nova de Famalicão.

O acidente deu-se cerca das 08h00 e para o local foram acionados os Bombeiros Voluntários Famalicenses e a VMER da unidade de Vila Nova de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Desconhece-se o tipo de ferimentos da vítima.

Famalicão: Daniela Lopes é campeã nacional de águas abertas

Daniela Lopes, do GD Natação, é campeã nacional júnior de Águas Abertas e consegue o apuramento para o Europeu. O feito foi alcançado este sábado, na prova que decorre em Avis.

Afonso Silva foi quarto no mesmo escalão no campeonato nacional de Águas Abertas.