Greve nas escolas prolonga-se até ao fim do mês

Os protestos iniciados pelo STOP no início de outubro vão continuar até, pelo menos, ao dia 29 de novembro, disse à Lusa o coordenador do STOP, André Pestana.

Nas primeiras seis semanas de greve fecharam seis escolas, mas nas duas últimas semanas encerraram 20, segundo contas do STOP que, perante a adesão de cada vez mais estabelecimentos de ensino decidiram prolongar os protestos.

Na próxima segunda, professores, funcionários, pais e alunos vão realizar um cordão humano em torno da Secundária de Amarante com cartazes alertando para os problemas da escola pública, explicou.

Os motivos das greves têm vindo a aumentar: no início começou como um protesto contra a presença de amianto nas escolas, mas entretanto passaram a incluir também a violência nas escolas, a falta de funcionários e professores, os baixos salários e a precariedade.

O dirigente do STOP recordou que desde que as greves tiveram início, a 4 de outubro, houve milhares de alunos sem aulas em protestos que contaram, quase sempre, com o apoio das escolas e encarregados de educação.

“Temos tido o apoio dos pais porque estamos a lutar pela resolução de problemas que realmente os preocupam”, sublinhou.

Famalicão: Equipas/grupos da D. Sancho apresentam-se

No dia 23 de novembro decorreu a apresentação dos vários grupos/equipas de desporto escolar do Agrupamento de Escolas D. Sancho I, apadrinhados por vários elementos do futebol de formação do F. C. Famalicão. Perante bancadas repletas de alunos e professores foram apresentadas as várias equipas, bem como os professores responsáveis e parceiros desportivos.

Nos discursos, de Helena Pereira, diretora do Agrupamento, do vereador do Desporto, Pedro Oliveira, e de Isabel Columbano, Coordenadora do desporto escolar, foi vincada a importância da prática desportiva, designadamente em contexto escolar, como fundamental no bem-estar e na formação integral dos jovens. Depois destas intervenções decorreu uma sessão fotográfica das várias equipas, terminando com uma foto de grupo demonstrativa da dinâmica e entusiasmo com que se vive o desporto na D. Sancho I.

Os responsáveis escolares agradecem a todos os que dão corpo e dimensão ao projeto, bem como ao “sponsor” – Bazar Desportivo – por, mais uma vez, colaborar com o desporto escolar deste agrupamento.

 

Famalicão: Rui Batista treina Dumiense

O técnico famalicense, Rui Batista, é o novo treinador do Dumiense, equipa do campeonato de Portugal.

Rui Batista, que já treinou o Ribeirão e os juniores do Famalicão, tem como adjuntos Luís Teixeira, Tiago Salgado, Luís Barbosa e o treinador de guarda redes, Pedro Almeida.

Famalicão: Ecos de Outono na escola de Ribeirão

Para celebrar e vivenciar o outono, os alunos do Agrupamento de Escolas de Ribeirão (do pré-escolar ao 3º ciclo) desenvolveram um conjunto de atividades interdisciplinares para conhecimento das tradições de outono do meio local, inseridas no âmbito do Plano Nacional das Artes/ Projeto Cultural de Escola.

Todas estas atividades estiveram agregadas a um programa construído em torno da preservação do ambiente e das tradições, que culmina com exposições (uma delas itinerante) e a construção de um livro digital.

Entusiasmados com o que aprenderam, os alunos exteriorizaram os conhecimentos adquiridos através da sua criatividade com desenhos, dança, canções tradicionais, criação de poemas alusivos à época, pinturas, criações artísticas com material proveniente da Natureza, reciclado, em croché, em tecido e identificaram as espécies de árvores autóctones da escola com recurso aos respetivos nomes científicos.

Este projeto cultural de natureza interdisciplinar teve o seu ponto alto na atividade que decorreu no Dia de S. Martinho, no polivalente da escola-sede, que se transformou num teatro, onde todos os elementos necessários ao sucesso de um espetáculo se juntaram e dançaram numa peça final, designada “Ecos de Outono”.

Alunos, pais, avós, auxiliares de ação educativa, Junta de Freguesia e utentes do Centro de Dia de Ribeirão, professores de diversas áreas do saber, colaboraram como puderam e souberam, resultando todo este esforço num espetáculo de grande sensibilidade artística que poderá despertar sensibilidades e competências adormecidas.

Famalicão: Greve afeta funcionamento de várias escolas

Diversos sindicatos de vários setores juntaram-se, esta sexta-feira, à greve da Função Pública situação que está afetar muitos serviços, em particular os estabelecimentos de ensino.

Em Famalicão, segundo o que CIDADE HOJE conseguiu apurar, estão encerradas as secundárias Camilo Castelo Branco e D. Sancho, na cidade. Também as escolas sede dos agrupamentos de Ribeirão e Pedome estão fechadas.

A funcionar, embora com falhas de professores e assistentes, estão as escolas Padre Benjamim Salgado, em Joane, a Júlio Brandão (Famalicão), de Gondifelos, D. Maria II, em Gavião, e a escola básica Vale do Este Arnoso Santa Maria.

Além destas, há jardins de infância e escolas do 1.º ciclo que se encontram encerradas.

Famalicão: A Praça-Mercado vai transmitir os jogos da Seleção no Mundial de Futebol

A Praça-Mercado de Famalicão vai ser o estádio do Mundial de Futebol em Vila Nova de Famalicão. No espaço serão transmitidos, em ecrã gigante, todos os jogos da competição que começa este domingo, 20 de novembro, no Catar.
Realce para a fase de grupos da Seleção Nacional: no dia 24 de novembro pode ver o jogo entre Portugal e o Gana, às 16 horas; no dia 28, às 19 horas, o confronto com o Uruguai; e a 2 de dezembro, às 15 horas, o jogo com a Coreia do Sul.

Greves na educação, saúde, transportes e recolha de lixo

Estão marcadas, para os próximos dias, greves em vários setores, que ameaçam parar o país.

Na educação, há greve dos professores marcada pela Fenprof. Dependendo da adesão, esta greve pode afetar também os pais com filhos menores.

A saúde será também afetada, mas não apenas esta sexta-feira. Os enfermeiros iniciaram esta quinta-feira uma greve de três dias, que se prolongará também a 22 e 23 de novembro. O anúncio foi feito depois de uma reunião negocial com o Ministério da Saúde, em causa a progressão na carreira. Quem reivindica também “falta de resposta” por parte do governo devido à questão das “horas extraordinárias” são os técnicos de diagnóstico e terapêutica, por isso anunciaram também a realização de concentrações e uma greve para esta sexta-feira.

No que diz respeito aos transportes, os trabalhadores da Metro Transportes do Sul (MTS) iniciaram na quarta-feira uma greve que se prolongará até sábado. Exigem a abertura de negociações, aumentos salariais e progressão na carreira.

A recolha de lixo é também um setor afetado, mas mais na Área Metropolitana do Lisboa.